• Praia
  • 29℃ Praia, Cabo Verde
Eleições Internas no PAICV e a Verdade I*
Ponto de Vista

Eleições Internas no PAICV e a Verdade I*

Há sujeitos no PAICV que deveriam ficar calados e sequer aparecer nas redes sociais a dar palpites nas eleições internas ou naquela 'farsa' que se convencionou chamar de eleições.


1- Que o presidente do PAICV deveria ser eleito pelos militantes em eleições diretas, isto parece uma descoberta que merece o prêmio Nobel de SILÊNCIO.

2- Que não são os delegados que escolhem o presidente no congresso, assim está escrito no estatuto, que agora é letra morta.

3- A maior estranheza é a artimanha de termos delegados natos superior aos que vão ser eleitos, e a artista de momento quer fazer passar isto em branco.

4- As eleições internas além de escolhermos o Presidente, deveria servir também para escolhermos os delegados ao Congresso, facto que não irá acontecer, porque os doutos senhores já vão ficar no guinness book de escolher a maioria dos delegados e não entendemos porquê a realização de eleições.

5- Verdade maior, que a articulista de momento não quer revelar é o seguinte: os delegados servem para votar e aprovar a Moção estratégica de orientação politica Nacional, sem a qual nenhum presidente governa, os delegados servem para elegerem a comissão nacioanl de jurisdição e fiscalização, os delegados elegem os membros do Conselho Nacional, e esta por sua vez elege a comissão politica Nacional, o Secretário-geral e o secretariado geral, a comissão permanente.

5- Convém que a articulista que já golpeou o PAICV, já capturou todos os seus órgãos arrepie caminho, porque se continuar a falar os cabo-verdianos conhecerão ainda mais a sua via ditatorial.

6- Se os delegados natos não são importantes, porquê este golpe vil e baixo?

7- A vossa escolha advém do medo de perderem as eleições directas e controlarem todos os outros órgãos do Partido.

8- Esta manobra é resultante da vossa prática. Lembremos aqui o que aconteceu com o golpe que a mesma articulista orquestrou e mandou executar para derrubar a comissão politica regional de Santiago Sul.

9- Portanto, poderíamos ir às eleições e em qualquer circunstância seriam os mesmos golpistas a dirigirem o PAICV.

10- Continuarei firme a denunciar o assalto ao partido.

11- Eu não vou legitimar esta farsa e peço ao militantes que reflectem. Assim, se constroem as ditaduras.

12- Convictamente militante do PAICV. Decidi viver em democracia, com verdade, pela transparência e sem medo.

* Artigo publicado hoje pelo autor na sua página do Facebook

Veja mais em Santiago Magazine:

Carta Aberta de JHA. Uma jovem mulher que escolheu Cabo Verde!

PAICV diz que Tarrafal tem sido vítima do MpD há cerca de 28 anos

Ponto de Vista. A nova ilusão chamada de massa salarial

Partilhe esta notícia

SOBRE O AUTOR

Redação

    Comentar

    Inicie sessão ou registe-se para comentar.

    Comentários

    • Este artigo ainda não tem comentário. Seja o primeiro a comentar!