• Praia
  • 29℃ Praia, Cabo Verde

Corrupção diplomática. Luis Filipe Tavares teria recebido benesses (um Mercedes!) para nomear Cesar do Paço consul na Florida (com video integral)

A segunda edição da Grande Reportagem da SIC, televisão portuguesa, sobre as ligações do empresário Cesar do Paço ao Chega, emitida esta quarta-feira, 14, volta a colocar Cabo Verde, país por onde esse partido da extrema-direita portuguesa pretendia iniciar a sua internacionalização, no meio desse esquema de financiamentos ilícitos e corrupção. Desta feita, a estação de Carnaxide publicou documentos nos quais o ex-ministro dos Negócios Estrangeiros, Luis Filipe Tavares, solicita à concessionária da Mercedes na Praia uma proposta de compra de uma viatura topo de gama e encaminha o email com o preço de mais de 5.400 contos ao conselheiro e presidente da Fundação de Cesar do Paço, José Lourenço, precisamente três dias depois de obter a autorização dos EUA para nomear Cesar de Paço consul de cabo verde na Florida.


Cabo Verde volta a estar sob os holofotes da imprensa portuguesa pelas razões menos boas. Mas para melhor compreendermos essa estória, acompanhemos o roteiro da Grande Reportagem da SIC "A Grande Ilusão: cifrões e outros demónios (2ª edição)", assinada por Pedro Coelho, que foi ao ar na noite de ontem, quarta-feira, 14,

O texto de Coelho começa desde logo por explicar como os partidos da extrema-direita, um pouco toda a Europa, vêm montando esquemas de financiamento e como se propõem expandir. É aqui que entra o português César do Paço, antes um fugitivo das autoridades judiciais que enriqueceu nos Estados Unidos e que é tido como o principal financiador do partido Chega, de André Ventura.

Segundo a reportagem da SIC, Ventura queria iniciar a internacionalização do Chega por Cabo Verde, um país, de acordo com Pedro Coelho, "improvável para um partido de extrema-direita". A viagem de André Ventura e do seu então vice, Diogo Pacheco de Amorim, para este arquipélago estava agendada para Março do ano passado e com encontros marcados com diversas entidades - Vice.primeiro ministro, minisro da Administração Interna, ministro dos Negócios Estrangeiros e da Defesa e o presidente da AN - mas o mesmo cancelou a deslocação a Cabo Verde por causa da pandemia da Covid-19.

Além das autoridades cabo-verdianas, estavam à sua espera José Lourenço, à época vice-presidente do Cjega da distrital do Porto, e conselheiro e braço-direito de César do Paço, e o próprio César do Paço, que, de acordo com a SIC, já apresentara ao Governo uma proposta de investimentos no país se Cabo Verde desse uma posição diplomáica à sua esposa Deanna Padovani-Do Paço. E assim foi, Padovanni foi nomeada consul honorária de Cabo Verde em New Jersey.

O casal, aliás, fora recebido na cidade da Praia com honras de Estado, facto que espantou até ao antigo deputado do MpD, Cristiano Monteiro, que alega ter sido ele a encetar os contactos para De Paço investir no país, mas confessou ter-se arrependido depois de se ver colocado de fora dos diálogos posteriores entre o empresário português e o então ministro dos Negíocios Estrangeiros, Luis Filipe Tavares.

"Quando chegamos a Cabo Verde (juntamentoe com José Lourenço, conselhieor de Cesar do Paço, e o advogado de De Paço) a nossa missão foi sempre empresarial. Mas eu sempre ouvia o conselheiro do Dr Paço a dizer que o andré, o André, o André... mas não sabia quem era, até que chegou o momento em que ele tinha que mandar uma lista de pessoas que iam para uma sessão parlamentar em Cabo Verde é que percebi tratar-se do André Ventura, presidente do Chega", contou Cristiano Monteiro à SIC, via telefone, a partir dos EUA,
Monteiro disse ainda que Cesar de Paço delegou ao seu conselheiro e braço-direito, José Lourenço, na altura vice-presidente da dstrital do Porto do partido Chega, todos os poderes para negociar com Luis Filipe Tavares. A partir daqui Cristiano Monteiro conta que foi afastado das negociações e não soube de mais nada, já que não lhe atendiam as chamadas.

A relação entre José Lourenço e Luis Filipe Tavares viria a revelar-se de grande proximidade, com vários encontros casuais e familiares, almoços e passeios, com fotos publicadas pelo português na sua página no facebook.

Cifrões e outros demónios

No entrementes, César de Paço havia prometido que se fosse nomeado consul honorário faria do consulado de Cabo Verde na Florida o melhor do mundo. E assim foi. A nomeação saiu no início deste ano e foi a primeira edição desta Grande Reportagem da SIC sobre o passado de De Paço a levar Cabo Verde a recuar nessa nomeação e obrigar Luis Filipe Tavares a pedir demissão do Governo momentos depois de ter afirmado que Cesar do Paço era "pessoa de bem" e que iria manter-se consul na Florida.

Ora bem, na segunda edição da Grande Reportagem da SIC ficamos a saber que essa nomeação não terá sido de mão beijada, ou, se se preferir, de borla. Tanto que, para aceite aceite pelos EUA onde Cabo Verde já tinha outro consul na Florida, Tavares "usou arte e engenho", nas palavras do jornalista Pedro Coelho, para obter o exéquatur, ou autorização dos EUA, para nomear o empresário português e garantir-lhe passaporte diplomático.

Esse "esforço" de Luis Filipe Tavares teria uma recompensa. No dia 11 de Setembro de 2020, três dias depois de o então ministro enviar uma carta a Cesar de Paço a informar-lhe que já tinha a autorização dos EUA para o nomear consul, Tavares recebe um e-mail da Freexauto Cabo Verde, concessionária da Mercedes na Praia, assinada pela funcionária Maryelsa Macedo, com uma proposta de compra de um Mercedes, com dois meses e 8500km, "carregado de extras" - "full options".

Mercedes CLA 180 Coupé - Full Options, mesmo tipo que Luis Filipe Tavares teria encomendado e enviado o valor de 5.492.693$00 para o conselheiro de Cesar do Paço, José Lourenço, ex-vice presidente do Chega no Porto

O email foi recebido às 12h06 e já depois das 21h desse mesmo dia, Luis Filipe Tavares reencaminha a mensagem a José Loureço, conselheiro de César do Paço e presidente da Fundação DoPaço, e que tinha luz verde do seu chefe para negociar tudo com o ex-ministro dos Negócios Estrangeiros.

Tavares não atendeu às várias chamadas da SIC para explicar por que razão enviou ao conselheiro de César do Paço uma proposta de aquisiçáo de uma viatura de alta cilindrada no valor de 5.492.693$00. O dono da Freeaxuto, contactado pela SIC sobre o assunto limitou-se a dizer: "está enganado, está enganado... Vocês mentem muito na vossa televisão. Com licença". E desligou a chamada. O certo é que do pedido da proposta e respectivo envio da mesma a Joasé Lourenço à nomeação de César de Paço passaram-se cerca de quatro meses. Só depois de o escândalo das ligações perigosas entre o Chega, de Paço e Cabo Verde ser tornado público é que a nomeação do revogada, fazendo também cair, a seu pedido, Luis Filipe Tavares, que é um dos quatro vice-presidenes do MpD..

A demissão de Tavares, tendo como base a ligação de De Paço com o Chega, levou o líder desse partido português da extrema direita, André Ventura, a reagir forte e com uma advertência: "Cabo Verde que se preocupe com a sua política interna" e as razões por que tanto jovens cabo-verdianos chegam a Portugal sem condições "porque no seu país não encontraram um Governo capaz de dar soluções"

Mas agora importa saber é se o Mercedes chegou de facto a ser adquirido e foi entregue a Luis Filipe Tavares. Se sim, vale também questionar se foi devolvido? 

A reportagem continuou com uam viagem à Madeira para mostrar como César do Paço utiliza o dinheiro para comprar objectivos. Veja a reportagem completa, clicando na imagem. A parte que menciona Cabo Verde começa no minuto 17.

Partilhe esta notícia