Pub

Encontro Associação Pro Praia e o primeiro ministro

O presidente da associação Pró-Praia defendeu esta quinta-feira, 11 de julho, a criação de um programa especial de habitação social visando garantir o desenvolvimento integrado e sustentável da cidade e promover a melhoria de condições de vida dos munícipes.

José Jorge Pina falava à imprensa após um encontro reivindicativo com o primeiro-ministro, que teve como objectivo proceder a apreciação de projectos importantes anunciados, nomeadamente, o centro de convenções, o “hub” tecnológico e o hospital de referência e apresentação de propostas de curto, médio e longo prazos para o desenvolvimento sustentável da Cidade da Praia.

Segundo o responsável da Pró-Praia, o chefe do executivo mostrou total abertura relativamente às propostas apresentadas pela associação, entendendo a mesma, entretanto, que alguns dos projectos apresentados são da alçada da Câmara Municipal da Praia.

“Exigimos que a habitação social faça parte do programa “Casa para Todos” para ser definitivamente resolvida e entregue a pessoas pobres, pedimos imediata priorização da implementação dos quatro bairros que foram prometidos para o financiamento por parte da China”, afirmou, considerando que o programa especial de habitação irá melhorar a estética e as condições de vida das pessoas.

A associação Pró-Praia, prosseguiu, exige ainda que a autarquia, à semelhança daquilo que as outras câmaras do país têm feito, no que se refere à reabilitação de moradias, passa a conceder anualmente habitações às famílias mais carenciadas, com vista a diminuir as construções clandestinas e promover a inclusão social.

O encontro com Ulisses Correia e Silva, de acordo com José Jorge Pina, serviu de igual modo para propor a alocação das actuais estruturas do Campus da Uni-CV, do Palmarejo, para a criação da escola do mar de Sotavento, uma medida que, no seu entender, irá diminuir a desemprego e promover o rendimento da classe juvenil.

“Exigimos essa escola do mar assim como também exigimos o Instituto Marítimo Portuário, portanto, com uma direcção regional já que se prevê a eliminação da Capitania de Sotavento e, mais, a eliminação da estrutura do pouco que existia na área do mar”, notou.

A Pró-Praia, segundo o seu presidente, reivindica essas valências para o porto, a autonomização final, no sentido de reverter a diminuição da actividade económica.

No que ser refere a escola do mar, José Jorge de Pina disse ter saído do encontro com o primeiro-ministro “não agradado” porque não há resposta definitiva que o projecto será implementado brevemente.

Fez saber, ainda, que a Pró-Praia propôs que seja feita a expropriação de duas faixas do Taiti para a instalação, ao longo da Av. Cidade de Lisboa, de equipamentos de lazer, espaços verdes e iluminação condizente e para realização de actividades ao ar livre, uma vez que a Cidade da Praia não tem lugares apropriados para isso.

Informou, por outro lado, que a Pró-Praia propôs ao Governo que disponibilize o espaço entre a Electra e o Arquivo Histórico Nacional para a construção do hotel de 85 milhões de euros, evitando assim que o investimento seja feito na praia da Gamboa.

José Jorge Pina congratulou-se com o anúncio da construção de um hospital de raiz na Cidade da Praia que, no seu entender, terá todas as condições e irá servir o país e melhorar a qualidade da saúde em Cabo Verde.

Com Inforpress

Comentários  

+2 # SÓCRATES DE SANTIAGO 12-07-2019 19:45
Primeiro, os meus parabéns à PRÓ- PRAIA por esta feliz e grande iniciativa, tudo isto, em prol do desenvolvimento da CIDADE DA PRAIA e da GRANDE ILHA. Segundo, para dizer ao Senhor José Lopes que PARVALHÃO É ELE PRÓPRIO QUE SÓ PENSA EM SI E NA SUA ILHA e que deixe de transmitir informações falsas aos cabo- verdianos. Pois, registe, senhor José Lopes, a China nunca pensou fazer projecto algum do campus universitário em S.Vicente, visto que a mesma não é Governo da República de Cabo Verde e não poderá, de forma alguma, substitui- la nesta matéria. Sobre este assunto, já várias vezes falou e escreveu o PROFESSOR DOUTOR JOSÉ MARIA NEVES, a título de esclarecimento, ele que foi o PRIMEIRO MINISTRO DE CABO VERDE, durante 15 anos e decidiu sobre a localização do referido campus universitário na CIDADE DA PRAIA, onde estudam cerca de 70 por cento dos estudantes nacionais. Sobre a ESCOLA DO MAR, não acha o senhor José Lopes que, à semelhança de S.Vicente, se deve também criar uma ESCOLA DO MAR na CIDADE DA PRAIA para servir TODO O SOTAVENTO, formando prifissionais ligados ao MAR e à ECONOMIA MARÍTIMA? Ou o Senhor é daqueles que ainda pensam que as ESCOLAS PROFISSIONAIS, o LICEU e a UNIVERSIDADE só devem estar no Mindelo, S.Vicente?! Olhe que o TEMPO COLONIAL passou, passou também a PRIMEIRA REPÚBLICA e agora, meu caro sampa, estamos na SEGUNDA REPÚBLICA e na DEMOCRACIA. Bem haja a PRÓ- PRAIA!
Responder
-2 # JOSÉ LOPES 12-07-2019 15:10
MAS QUEM ESSE JOSÉ DE PINA PENSA QUE É???? EXIGE,EXIGE,EXIGE...KKKK. ESCOLA DO MAR DE SOTAVENTO PARA FAZER CONCORRÊNCIA COM A PROVÁVEL DE SÃO VICENTE??? ROUBARAM O PROJETO DE CAMPUS UNIVERSITÁRIO QUE A CHINA IA FAZER EM SV DESVIANDO-O PARA PRAIA E AGORA EXIGE ESCOLA DO MAR, PARVALHÃO
Responder
+2 # ALBERTO LOPES 12-07-2019 11:35
Parabéns à Pró- Praia por esta importante iniciativa. Sim, deve- se reivindicar com elevação e civismo, sem humilhar o outro, reivindicar e propor soluções, ser também parceira do desenvolvimento que se quer para a CIDADE DA PRAIA, A NOSSA CAPITAL, A CIDADE DE TODOS NÓS, A CIDADE QUE NOS UNE, como dizia o ex- autarca Felisberto Vieira. Cumprimentos e longa vida à nossa querida associação.
Responder
+2 # Maria 12-07-2019 08:00
Meus Parabéns, Precisamos dessas necessidades para desenvolver o capital do país. Continuação de Bom trabalho!
Responder