Pub
Por: António Manuel Neves

AntónioMNeves

Por mais voltas que se dê dificilmente se consegue entender o que certos membros do auto-intitulado Grupo de Reflexão pretendem com tanta truculência, artimanhas e controvérsias no seio do PAICV, quando chegam até a utilizar, como estão a fazer neste contexto da próxima eleição interna, uma linguagem como que a fazer passar a ideia, para quem só agora está a inteirar-se sobre a vida política cabo-verdiana, que a jovem líder tambarina, Janira Hopffer Almada, terá sido nomeada para o lugar, pelo que, não tem legitimidade democrática.

E quem são, porventura, os militantes do PAICV que estão a assumir tamanha ambiguidade: são nada mais, nada menos, gente que, na qualidade de ex-candidatos disputaram, “ferozmente”, numa luta democrática renhida, juntamente com a então candidata e atual Presidente do PAICV, a liderança desse Partido (propiciada pela abertura da vacatura do lugar pela desistência do então Presidente do PAICV – Dr. José Maria Neves, ex Primeiro-ministro). E na noite de 14/12/14, ao sair os resultados das eleições da sucessão, os restantes candidatos foram literalmente derrotados, sem apelo nem agravo, com uma esmagadora maioria, pela jovem candidata!

E o que passou a verificar-se a partir daí é uma correria desenfreada dos candidatos vencidos atrás do “prejuízo”, que têm transmitido a impressão de que juraram criar dificuldades de todo o tipo ao PAICV e a liderança de Janira Hopffer Almada, esperando desgastá-la politicamente. Só que, se de facto pensam desse modo, é sinal de que não conhecem a líder do seu Partido. Os efeitos, que têm sido precisamente o contrário, demonstram que tal estratégia tem sido pura perda de tempo – tiros a saírem pela culatra, como se diz na gíria!! Porque não fazem senão fazer emergir ainda mais a grande capacidade de luta de Janira Hopffer Almada, uma das melhores Líderes políticos da atualidade cabo-verdiana.

Essa correria e pressa em vir à praça pública, numa altura em que o Partido está em fase de se ocupar da fase do processo de listas para as próximas eleições que se aproximam, lançar a pretensão de disputar a liderança com o Presidente do PAICV (claro que é um direito que assiste à qualquer militante do Partido, desde que reúne as condições estatutárias), ainda por cima com insinuações de que a intenção é consertar o que não está bem, assemelha-se mais à uma brincadeira de mau gosto ou, como já se disse noutros posts, tem no seu bojo o claro intuito de confundir a opinião pública.

Só não vou exprimir o argumento de que as eleições previstas para janeiro, ainda sem data marcada, são de relegitimação, para evitar que algum faça chover chumbo grosso sobre os meus ombros. Isso porque, segundo penso, não passaria pela cabeça da liderança de qualquer Partido ou Movimento políticos, propor baralhar as cartas para dar de novo em ano de eleições importantíssimas para qualquer que seja a Força política, especialmente para o Partido Tambarina, tanto mais, como é notório, trata-se de uma candidatura multicéfala, inicialmente apresentada por Filú. Seria como que abdicar e/ou adiar qualquer processo vitorioso, e isso, todos sabemos, se coaduna com a postura de um Partido com vocação do Poder!!!

*Título da responsabilidade da redação

Artigo publicado pelo autor no facebook



APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

A crise na imprensa mundial, com vários jornais a fechar as portas, tem um denominador comum: recursos financeiros. Ora, a produção jornalística, através de pesquisas, entrevistas, edição, recolha de imagens etc. Tem os seus custos. Enquanto está a ler e a ser informado, uma equipa trabalha incessantemente para levar a si a melhor informação, fruto de investigação apurada no estrito respeito pela ética e deontologia jornalisticas que caracterizam a imprensa privada, sobretudo.

Neste momento em que a informação factual é uma necessidade, acreditamos que cada um de nós merece acesso a matérias precisas e de interesse nacional. A nossa independência editorial significa que estabelecemos a nossa própria agenda e damos nossas próprias opiniões. O jornalismo do Santiago Magazine está livre de preconceitos comerciais e políticos e não é influenciado por proprietários ou accionistas ricos. Isso significa que podemos dar voz àqueles menos ouvidos, explorar onde os outros se afastam e desafiar rigorosamente aqueles que estão no poder.

Portanto, se quiser ajudar este site a manter-se de pé e fornecer-lhe a informação que precisa, já sabe que toda contribuição do leitor, grande ou pequena, é tão valiosa. Apoie o Santiago Magazine, da maneira que quiser, podendo ser através da conta nº 6193834.10.1 - IBAN CV64 000400000619383410103 – SWIFT: CANBCVCV - Correspondente: TOTAPTPL - Banco Caboverdeano de Negócios - BCN, ou por meio deste dispositivo do PayPal.


APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

Comentários  

0 # Zé Moreno 12-09-2019 08:42
António Manuel Neves! Se o senhor é do PAICV, e não sabe openar de maneira que não atinja os próprios colegas do partido, então, é melhor manter calado no que se refere à este assunto! Por favor não contribua para, ainda mais, cisão do partido. Num partido como PAICV, tem de haver eflexão, ainda mais, pelas miseráveis resultados conseguidos nas passadas eleições autárquicas e legeslativas.
Responder
0 # José Pedro candeias 12-09-2019 21:24
Ze Moreno, Esta estratégia de deixar a agua arrefecer para depois comentar na calada da noite pode ser considerada cobardia. Eu penso que o Senhor Antonio Manuel Neves esta a agir bem. Nao tenho dúvidas que é devido ao sistema religioso de se dar a outra face que o PAICV está na situação em que se encontra
Deixar o Filu fazer tudo o que lhe dá na bola, fazer gato sapato do partido que fez dele gente é condenar o PAICV ao extermínio. Nao há duas sem 3 e o tal grupo de reflexão já está a abusar da boa fé dos dirigentes.
Acreditar que tratar esse grupo que está a afundar o seu partido com quem bebe um copo de agua, com paninhos mornos é melhor, é pura6h ingenuidade. Contudo, a decisao certa é da direção do PAICV. Eles lá sabem o que melhor lhes convem.
Responder
+4 # pedro barbosa 30-08-2019 15:27
Carissimo compatriot bateu o martelo na cabeca do prego certissimo. O grupro de "comichao" parece-me que perdeu o rumo politico e anda a deriva. Para quem tem seguido o trajecto dos components deste tal grupo de reflecao so pode concluir que GREED esta bem vivo em CV.
Ambicao esmerada e sem projecto faz-nos morrer na praia … a comer padugos de areia.
A Luta continua.
Responder
-2 # Palinho 30-08-2019 23:18
Por acaso, em 2000, a dis[censurado] entre JMN e FILU não terá sido. Amenos de 6 meses das legislativas? N6 meses depois das autárquicas, onde o MPD ganhou as eleições autárquicas e era Governo?

Ou o articulista é selectivo na defesa da sua dama?
O PAICV quer eleições directas ara a escolha do Presidente do PAICV, mas, a Presidente não quer ter candidatos adversários, é isso?
Responder