Pub
Por: José Jorge Costa Pina

 JJPina1

Mais um carnaval se consumou na Praia continuando a suscitar sentimentos múltiplos de frustração versus enorme potencial, indiferença dos que podem mas omitem dedicação, imensidão de público expetante, muitos estrangeiros participantes ativos e crentes que a qualquer instante/dia, a festa se transcende e satisfará os santiaguenses e seus amigos!

Antes de mais digo que o carnaval deste ano superou muito os dos anos anteriores!

Sou daqueles a quem o carnaval não diz nada, mas que se preocupa com o facto de, historicamente, a Praia/Santiago ter contribuído para o maior carnaval do mundo no Brasil, mas que tem sofrido vicissitudes de toda a ordem que descontinuou o seu carnaval nos anos 80 e agora luta para vencer sacanices e indiferença generalizada para erguer esse evento. Essa preocupação tem a ver com as seguintes constatações seguidas de propostas para ultrapassar as atuais insuficiências:

- Enormes esforços da CMP / Governo no sentido de adequar a avenida e erguer sambódromo (este ainda pobre em oferta versus procura de assentos), e provimento de financiamento minimalista mas formatado para cobertura global dos grupos;

- Salutar a mobilização de staff de apoio, segurança dos desfiles e acomodação/disciplina do público em pé;

- Participação cada vez mais ativa e em maior número de estrangeiros europeus, asiáticos e africanos nos desfiles;

- Enorme público á espera de um carnaval autêntico e á altura de Praia/Santiago;

- Tímido incremento de assistência por parte de políticos (vi o Primeiro Ministro, o Presidente AN e alguns ministros, incluindo a Dona Maritza Rosabal - é assim que, em Santiago, designamos senhoras a quem temos consideração e que se desfilou no Samba Jó), poucos jornalistas locais e quase nenhuns deputados e outros políticos no ativo em Santiago;

- Os desfiles arrancam depois das 17 horas (na Praia não há tolerância de ponto de terça de manhã para que os cinco grupos oficiais habituais possam contar com os seus membros desde manhã para prepararem melhor e mais cedo para os desfiles), o que desfavorece a sua espetacularidade já que a iluminação da maior avenida do país continua (apesar de LED) a ser muito inadequada;

- Há claras deficiências de harmonia das danças com a música acompanhante. Há sobreposição de batucada e musica acompanhando deficientemente as várias alas de um mesmo grupo em desfile! Falta compactação das varias componentes do grupo em desfile;

- Não se dá conta do trabalho de uma associação ou liga, nem de preparativos ao longo do ano, logo após o último carnaval. Por isso vi muita gente desolada com falhas no acabamento dos andores que deviam ser mais caprichados em tudo, nas vestimentas, nos enfeites das viaturas /mecanismos de tração etc o que demonstra falta de equipamentos disponíveis atempadamente e de tempo para a conclusão e afinamento dos trabalhos;

- Os trajes e os andores são, na sua maioria, muito elementares e pobres me termos de confeção;

- Há excessivo recurso a crianças que são levadas a se exporem de forma inadequada se se considerar as suas idades;

- Há uma lamentável ausência de artistas e personalidades que confeririam prestígio e orgulho dos amigos do carnaval santiaguense;

- Há uma tímida tentativa de trazer elementos de produção endógena santiaguense para o carnaval da avenida Cidade de Lisboa;

Proponho:

- Combate para se estabelecer, já no próximo ano, tolerância de ponto toda a terça, para esbater a hipocrisia em relação à necessidade de melhor chance de preparação dos desfiles do carnaval praiense e que algures se trabalha quarta á tarde para equilibrar!

- Criar de imediato o fórum e/ou Associação do carnaval da Praia (contem com a instalação da Pró-Praia para as reuniões iniciais), com início dos trabalhos de organização e dinamização dos fundos do carnaval de 2020 e bases para um carnaval autêntico e sustentável para o futuro;

- Dinamizar, junto do Governo, os meios para o financiamento de mecanismos recentemente adquiridos na Europa, de cobertura musical harmoniosa ao longo do desfile de cada grupo, realçando a espetacularidade e qualidade que esse componente essencial empresta ao espetáculo dos desfiles dos grupos;

- Negociar com o governo a abrangência de discriminação positiva que é claramente aplicável ao carnaval da Praia com enorme potencial e em franco crescimento, não para bazofaria mas para agradar o enorme público na avenida e colocar esse evento no nível que a capital merece no quadro, também, de se integrar esse carnaval no programa global de seu desenvolvimento económico em geral e do seu turismo em particular sendo uma cidade capital de um país turístico, 3º lugar do volume dos visitantes e com reduzíssimas áreas e condições efetivas de exercício de atividades económicas;

- Complementar o sistema de iluminação da avenida, particularmente no âmbito do evento carnavalesco;

- Dinamizar participação de artistas, designers, arquitetos enfim de gente nos vários bairros da cidade que estão ausentes do nosso carnaval mas que claramente trariam mais-valias que a avenida, tão bem preparada pela CMP, merece para completar o sucesso do carnaval praiense;

- Conduzir um programa de dinamização de fundos para o carnaval praiense, incluindo atividades próprias e também junto de empresas amigas da cidade e/ou aquelas com atividades económicas relevantes em Santiago. Contem, para o efeito, com os mil escudos meus, como contributo-cidadão (se multiplicarmos por 50 mil dos 150 mil praienses residentes, serão 50 mil contos!); Não se pode exigir mais qualidade e dedicação com os atuais magros meios de preparação e prémios!

- A par da capacitação económica, deve se implementar um programa de capacitação técnica dos artistas em geral e que inclui, a costura, confeção de andores e dos vários figurinos carnavalescos, condução de desfiles etc, Não defendo ensino de dança brasileira e ou estilos de apresentação de figurinos como de porta bandeira á brasil, preferindo aplicação de estilos e performances próprios da ilha.

- Aperfeiçoar, por parte da CMP ou da Associação, os critérios de atribuição de apoios e de preparação e de prémios tanto para grupos oficiais como para pequenos agrupamentos e indivíduos que antes faziam tanto para o carnaval praiense! Os critérios devem integrar o nº dos figurantes, sofisticação/criatividade e beleza dos enfeites e vestes dos protagonistas e andores e dos mecanismos de tração (essas viaturas de tração têm de ser enfeitadas porque senão estragam todo o trabalho!) e qualidade da música e sobretudo do grau e qualidade de elementos típicos da cultura de Santiago em tudo, tornando o carnaval praiense num carnaval santiaguense e nunca um brasilinho (isso partindo do pressuposto de que nenhum santiaguense sentiria orgulhoso em mostrar aos outros, particularmente a um turista, uma cópia do carnaval brasileiro, mas sim o seu batuque, funaná/kotxi po, tabanca imbuídos da sua rica cultura satírica e outras em que somos tão ricos)!

- Com os aperfeiçoamentos referidos acima exigir a transmissão direta pela RCV e TCV, e aumentar as mostras de preparativos de modo a se valorizar as enormes contribuições financeiras que a cidade atribui a RTC via taxa e assim equilibrar as transmissões em doses «cavalares» que os cidadãos deste país se consentem assistir do carnaval de uma só outra ilha!

Por fim, diria que o carnaval praiense já deu aquele passo de transição para o que a Praia considera ser desejável por aquilo que vimos na avenida, no sábado, com o grupo Batuca Samba que brilhou, faltando para o pleno, a iluminação complementar da avenida, o tal mecanismo de música e a compactação do desfile. Para o ano esse grupo pode também contar com os meus mil escudos.

Para os próximos anos, contamos pois com a associação e um trabalho árduo de capacitação técnica e financeira dos grupos/membros, adesão dos jornalistas de Santiago e não só e de todos os políticos, de mais transmissões (tem havido melhorias), de pessoas/técnicos/empresários que detêm meios válidos para o relançamento do carnaval praiense autêntico e á altura da capital e da sua capacidade de realização de eventos do tipo.

Praia, aos 8 dias de Março de 2019

José Jorge Costa Pina

Comentários  

0 # SÓCRATES DE SANTIAGO 16-03-2019 12:56
Senhor José Pedro e Senhor Rui, além deste monumental artigo sobre o Carnaval da Praia do nosso amigo e patrício José Jorge Costa Pina, que escreve assina por baixo, convido V.exas. a ler um outro grande artigo sobre o Carnaval da Praia escrito pelas penas de Natacha Magalhães, artigo esse publicado no Jornal Expresso das Ihas e intitulado- CARNAVAL DA PRAIA CRESCE E APARECE-. Tudo isso, para dizer a esses senhores detratores da PRAIA e do CARNAVAL DA PRAIA, que PRAIA MARIA TEM CARNAVAL E SEMPRE TEVE CARNAVAL. Eu, SÓCRATES, sou menino e alfacinha da Praia, já com barbas bem brancas, lembro-me sempre, desde os longínquos anis da minha infância, do CARNAVAL DA PRAIA, de grandes grupos organizados em quase todos os bairros da Praia, grupos esses que realizavam, não só os rijos bailes de carnaval, como também os famosos desfiles pelas ruas da CAPITAL, dos subúrbios às largas e belas ruas do PLATEAU. O Carnaval da Praia decaiu um pouco, devido às medidas injustas tomadas oficialmente, desde os anos 80, como sendo o não apoio monetário por parte do Governo aos grupos carnavalescos da Praia, à semelhança do que se faz com os grupos carnvalescos de S.Vicente e de S.Nicolau, e não feriado, ao longo de todo o dia de terça feira do Carnaval, como também se faz em S.Vicente. Além dessas medidas injustas e absurdas, há ainda acções no terreno contra o Carnaval da Praia, acções essas levadas a cabo tanto pela COMUNICAÇÃO SOCIAL DO ESTADO, como a RÁDIO e a TELEVISÃO, tanto pelos detratores habituais da CIDADE DA PRAIA, como os senhores José Pedro e Rui. Uma pergunta apenas- Os senhores malfeitores e detratores da Praia acham justo que o GOVERNO DA REPÚBLICA DE CABO VERDE, governo de todos nós, tira cerca de 11 mil contos do COFRE DO ESTADO para financiar o Carnaval de S.Vicente e de S.Nicolau e não dá nenhum tostão ao CARNAVAL DA PRAIA?! Pergunto até quais os critérios utilizados para o financiamento do Carnaval de Cabo Verde e se não estaríamos a cometer uma GRANDE DISCRIMINAÇÃO E CRIME CONTRA A CIDADE DA PRAIA E O CARNAVAL DA PRAIA, cidade essa que contribui com cerca de 50 por cento da riqueza nacional. O CARNAVAL DA PRAIA, como disse muito bem o Presidente do Grupo VINDOS DA ÁFRICA, um dos mais antigos da CAPITAL e um dos melhores de Cabo Verde, o CARNAVAL DA PRAIA, dizia, é um CARNAVAL DE RESISTÊNCIA, isto, tendo em conta os grandes constrangimentos que institucionalmente se lhe criam, pois, com excepção dos apoios da Câmara Municipal da Praia, os grupos não têm praticamente nada e, como se sabe, não se faz carnaval sem dinheiro. Porém, mesmo com esses constrangimentos, o que se viu na AVENIDA CIDADE DE LISBOA e por outras ruas da Praia é CARNAVAL. BATUCASSAMBA, VINDOS DA ÁFRICA, SAMBA- JO, MARAVILHAS DO INFINITO, VINDOS DO MAR e AFRO-ABEL DJASSI e outros provaram, no MAIOR SAMBÓDROMO DE CABO VERDE, que PRAIA MARIA TEM CARNAVAL, Carnaval esse que cresce e aparece todos os anos, por isso incomoda muita gente que, em matérias de carnaval, teatro e mar, acham que a PRAIA não tem nada e não merece o apoio devido e merecido. Já é tempo, pois, de o NOSSO GOVERNO, através do Ministério da Cultura, mandar urgentemente anular o tão FASCISTA EDITAL DO CARNAVAL, dividindo o BOLO CARNAVAJESCO, de igual para igual por todos os grupos carnavalescos do País e não distribuir o DINHEIRO DO CARNAVAL apenas aos grupos de S.Vicente e de S.Nicolau, pois o MINISTÉRIO DA CULTURA é MINISTÉRIO DA CULTURA e não MINISTÉRIO DO CARNAVAL. Ou se apoia todos ou não se apoia ninguém. Todos nós com dinheiro nas mãos, como disse muito bem a Presidente do BATUCASSAMBA, somos artistas e com o samba pé. No Brasil, há várias Cidades que brincam ao Carnaval. Há o Carnaval do Rio de Janeiro, mais comercial que alguns entre nós querem imitar, há o Carnaval de São Paulo, há o Cranaval de Minas Gerais, há o Canaval da Fortaleza e outros e o famoso Cranaval da Baía, este bastante parecido com o CARNAVAL DA PRAIA, por ser mais histórico e cultural. E é aqui, sim, que o CARNAVAL DA PRAIA fará a diferença, transformando- se juntamente com as Festas de Cinzas, num dos grandes produtos turísticos da CIDADE DA PRAIA MARIA E DA DA GRANDE ILHA DE SANTIAGO.
Responder
0 # rui 14-03-2019 19:10
A grande verdade, por mais que alguns tenham esse desejo quase que doentio de fazer um carnaval para competir com as outras ilhas, neste caso Sao Vicente e Sao Nicolau é que...
Na Praia a grande maioria do povo não se importa com o Carnaval, não trazemos esta festa nas veias.
Antes queremos um aparelho de TAC no Agostinho Neto, que se termine com o cobro das taxas moderadoras, que se ajude as pessoas no campo que estão sofrendo pela seca.
Sr articulista, Tarrafal tambem é Santiago, São Domingos tambem é Santiago, Picos tambem é Santiago, e nos importa algo mais que estar chorando por carnavais.
Responder
+1 # Carlos 13-03-2019 21:02
Caro Jose Pedro,

Voce e mesmo complexado. Qual e o problema de um cidadao opinar sobre a sua cidade?

Abrco.
Responder
-1 # José Pedro 13-03-2019 11:48
COMPLEXOS DE UM POVO E PAÍS QUE ACHA QUE TUDO O QUE EXISTE DE BOM NESTE PAÍS A PRAIA TEM DE TER MELHOR, KKKK. CARNAVAL OU ESTA NO SANGUE OU NÃO HÁ COMO. DA MESMA FORMA QUE O BATUQUE, TCHABETA, FUNANA, NÃO ESTÁ NO SANGUE DE OUTRAS PESSOAS DAS OUTRAS ILHAS DE CABO VERDE. O CARNAVAL QUE TEMOS AQUI NA PRAIA É FEITA A MELHOR DELA POR GENTES DO NORTE DE CABO VERDE. MAS NÃO VEJO GENTES DE OUTRAS ILHAS A RECLAMAREM QUEREM TER UMA FESTA DE BANDEIRONA DO FOGO, OU DE BATUQUE...NAS SUAS ILHAS TAMBÉM.
Responder
+1 # Sérgio Dantas 13-03-2019 11:06
Bom artigo.depois da independência houve a construção de toda uma narrativa contra o carnaval da praia, dizendo que Praia não tem Carnaval e com isso se justificou toda a falta de apoio financeira, material e de tempo ao carnaval da Praia.Pior, muitos praienses interiorizaram a tal narrativa que vinha de altas esferas do poder. Praia teve carnaval e tem carnaval, o interior de santiago tem carnaval que era comemorado de forma sui-generis com os tais "mascarados". Enfim há que recuperar todo o património cultural de santiago e lutar contra as adversidades.
Responder
+1 # SÓCRATES DE SANTIAGO 13-03-2019 10:42
Meu caro José Jorge, este seu artigo pode ser considerado um VERDADEIRO MANIFESTO SOBRE O CARNAVAL DA PRAIA. Faço minhas as suas palavras e vamos todos mostrar que PRAIA MARIA TEM CARNAVALe vamos fazer do CARNAVAL DA PRAIA, o mais genuíno e culural carnaval de Cabo Verde. E nós, aqui na Praia e Santiago, além do Carnaval, temos ainda a FESTA DE CINZAS, um produto único nosso que, ao lado do Carnaval, pode também ser transformado num grande produto turístico da PRAIA MARIA E DE SANTIAGO. Meus cumprimentos, ó Zé Jorge, menino e alfacinha da Praia, como eu. Não pare de escrever sobre PRAIA e SANTIAGO. Um dia, venceremos, com certeza, esta luta de todos nós.
Responder