Pub

Jesus contou aos seus discípulos uma parábola para mostrar-lhes que eles deviam orar sempre e nunca desanimar (Lucas 18:1)

Por que, quando oramos, tantas vezes parece que Deus não nos ouve, ou que ele não se importa connosco? Você já sentiu isso? Ou alguém já lhe perguntou a respeito? É algo que pode nos acontecer – muitas vezes oramos com muita intensidade por alguma coisa e nada acontece. Então nos perguntamos por que Deus não faz nada?!

Umas das coisas que precisamos ter em mente é que o tempo de Deus não é igual ao nosso. Nós oramos hoje e na verdade já queríamos a resposta ontem. Queremos que Deus responda imediatamente. Mas aí precisamos perguntar também pelo propósito de Deus com determinada situação, mesmo que seja sofrimento ou outro tipo de dificuldade. É preciso lembrar que Deus trabalha em nossa vida mesmo quando estamos passando por alguma situação difícil. Aí vem a pergunta: será que estou aberto à atuação de Deus em minha vida? É claro que ninguém é masoquista, ninguém quer sofrer, mas muitas vezes é a única maneira para a pessoa prestar atenção a Deus. Algumas vezes também passamos por tais situações para depois podermos ajudar outras pessoas em situação igual. Não se pode esquecer que Deus fortalece a nossa fé em meio à luta. E também que nenhuma luta vai além das nossas forças, ou seja, daquilo que podemos suportar.

Deus é soberano! Você crê nisso? Aceita isso? Aceitar a soberania de Deus quer dizer que me coloco nas mãos dele e que ele pode fazer comigo o que quer e como quer. Nem sempre isso nos agrada, mas Jesus deixou bem claro que àqueles que perseveraram em oração e “que clamarem a ele dia e noite”, ele var dar atenção, atender e fazer justiça sem demora.

Mas a última pergunta de Jesus é dura: “Contudo, quando o Filho do homem vier, encontrará fé na terra?”. Você esta crescendo em sua fé em Deus ou está se apagado? Cresça em sua fé em Deus e vença as batalhas de cada dia.

Leitura Bíblica: Lucas 18:1-8

Tenha a convicção de que Deus está ouvindo a sua oração e já está trabalhando em sua questão.



APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

A crise na imprensa mundial, com vários jornais a fechar as portas, tem um denominador comum: recursos financeiros. Ora, a produção jornalística, através de pesquisas, entrevistas, edição, recolha de imagens etc. Tem os seus custos. Enquanto está a ler e a ser informado, uma equipa trabalha incessantemente para levar a si a melhor informação, fruto de investigação apurada no estrito respeito pela ética e deontologia jornalisticas que caracterizam a imprensa privada, sobretudo.

Neste momento em que a informação factual é uma necessidade, acreditamos que cada um de nós merece acesso a matérias precisas e de interesse nacional. A nossa independência editorial significa que estabelecemos a nossa própria agenda e damos nossas próprias opiniões. O jornalismo do Santiago Magazine está livre de preconceitos comerciais e políticos e não é influenciado por proprietários ou accionistas ricos. Isso significa que podemos dar voz àqueles menos ouvidos, explorar onde os outros se afastam e desafiar rigorosamente aqueles que estão no poder.

Portanto, se quiser ajudar este site a manter-se de pé e fornecer-lhe a informação que precisa, já sabe que toda contribuição do leitor, grande ou pequena, é tão valiosa. Apoie o Santiago Magazine, da maneira que quiser, podendo ser através da conta nº 6193834.10.1 - IBAN CV64 000400000619383410103 – SWIFT: CANBCVCV - Correspondente: TOTAPTPL - Banco Caboverdeano de Negócios - BCN, ou por meio deste dispositivo do PayPal.


APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

Comentários  

0 # José de Castro 24-06-2018 20:45
Mandaram prender padres em 1975, confiscaram as terras e outros bens da Igreja, introduziram o comunismo como ideologia do Estado para combater o Cristianismo, agora, com maior cara de pau, fala do Santo Nome de Deus. Deus que os perdoa a eles e a nós também.
Responder
0 # Djongoto 24-06-2018 14:13
Não deixa de ser uma gaiatice, a descoberta tardia dos comunistas e leninistas e seguidores de José Maria Neves a brincar com o Santo Nome de Jesus.
Responder