Pub

Autocarro Solatlatico

A Agência Reguladora Multissectorial da Economia actualizou as tarifas para os transportes colectivos urbanos de passageiros (TCUP) sendo 41$00, na Praia, e 40$00 em Mindelo, a vigorar a partir das 00:00 de 21 de Janeiro.

Em comunicado, a ARME lembra que o decreto de actulização das tarifas acontece ao abrigo do disposto no artigo 11 do Decreto–Lei nº 02/2011 de 09 de Fevereiro, que estabelece a metodologia de cálculo, revisão e ajuste tarifário para os TCUP.

A tarifa de TCUP, segundo a agência reguladora, é revista anualmente, através do cálculo do custo médio, que considera os preços dos insumos, os parâmetros de depreciação e remuneração dos veículos e informações sobre a demanda (passageiros transportados no período da última actualização tarifária) e oferta (quilometragem percorrida no período da última actualização).

“A tarifa de equilíbrio é determinada pela relação entre o custo por quilómetro (CVE/km) e o índice de passageiros por quilómetro equivalente (IPKE). Assim, o ligeiro aumento do custo por quilómetro, conjugada com o ligeiro aumento do IPKE, determinou que a tarifa dos TCUP se deva manter em 40 escudos, em Mindelo”, explica a nota.

No caso da cidade da Praia, esclarece ARME, a redução do custo por quilómetro (CVE/km), deve-se ao incentivo à importação de veículos de transporte colectivo de passageiros, concedido pelo Governo no âmbito do Orçamento do Estado.

A eficiência na compra de novas viaturas e na utilização das mesmas (aumento do número de viagens por autocarro) determinaram, ainda de acordo com ARME, a redução da tarifa dos TCUP, de 42 escudos para 41 escudos, apesar do IPKE ter sofrido uma ligeira redução.

O único reajuste na tarifa de transportes colectivos urbanos de passageiros acontece na cidade da Praia com a descida de um escudo, passando de 42 escudos para 41 escudos.

Com Inforpress



APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

A crise na imprensa mundial, com vários jornais a fechar as portas, tem um denominador comum: recursos financeiros. Ora, a produção jornalística, através de pesquisas, entrevistas, edição, recolha de imagens etc. Tem os seus custos. Enquanto está a ler e a ser informado, uma equipa trabalha incessantemente para levar a si a melhor informação, fruto de investigação apurada no estrito respeito pela ética e deontologia jornalisticas que caracterizam a imprensa privada, sobretudo.

Neste momento em que a informação factual é uma necessidade, acreditamos que cada um de nós merece acesso a matérias precisas e de interesse nacional. A nossa independência editorial significa que estabelecemos a nossa própria agenda e damos nossas próprias opiniões. O jornalismo do Santiago Magazine está livre de preconceitos comerciais e políticos e não é influenciado por proprietários ou accionistas ricos. Isso significa que podemos dar voz àqueles menos ouvidos, explorar onde os outros se afastam e desafiar rigorosamente aqueles que estão no poder.

Portanto, se quiser ajudar este site a manter-se de pé e fornecer-lhe a informação que precisa, já sabe que toda contribuição do leitor, grande ou pequena, é tão valiosa. Apoie o Santiago Magazine, da maneira que quiser, podendo ser através da conta nº 6193834.10.1 - IBAN CV64 000400000619383410103 – SWIFT: CANBCVCV - Correspondente: TOTAPTPL - Banco Caboverdeano de Negócios - BCN, ou por meio deste dispositivo do PayPal.


APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

Comentar