Pub

Miguel Monteiro MPD

Emanuel Barbosa isolado. O Movimento para a Democracia (MpD) demarcou-se esta quarta-feira, 1 de maio, das declarações do seu deputado Emanuel Barbosa sobre Amílcar Cabral, dizendo que as mesmas “só vinculam” aquele eleito nas listas do MpD.

De acordo com a nota a que a Inforpress teve acesso, o  secretário geral do MpD, Miguel Monteiro, diz que o seu partido respeita a “liberdade de expressão do deputado cuja declaração só vincula a ele”.

“O MpD respeita a figura de Amílcar Cabral e o seu papel de destaque na luta da libertação nacional”, lê-se na nota, segundo a qual,  Cabral  “faz parte da história do país”.

Recentemente, numa publicação efectuada na rede social Facebook, Emanuel Barbosa disse que considerar que  Amílcar Cabral uma figura do Estado é “um exagero”, além de ser “uma leitura falsificada da História”.

“Na sala VIP do aeroporto internacional da Boa Vista, de nome Aristides Pereira, filho da ilha e que foi Presidente da República, encontramos quadro com a figura do omnipresente Amílcar Cabral, ao lado do qual se achavam, entre outras, a fotografia oficial do Presidente da República e quadro com a nossa Cize, Rainha da nossa morna”, iniciou a publicação Emanuel Barbosa.

Mais adiante, o parlamentar escreveu que isto tem sido recorrente, “como se existe uma estratégia subjacente de instalar nas pessoas a ideia de que Amílcar Cabral foi uma figura do Estado e da República”.

“Sabemos todos que não. Pois, morreu antes da independência, isto é, depois da criação do Estado de Cabo Verde, primeiro autoritário, depois, o de agora, democrático”, acrescentou.

Emanuel Barbosa justificou que sua “reflexão” serve para, “na linha da maior parte dos cabo-verdianos, chamar a atenção, em respeito pela verdade e pela Constituição da República, que Amílcar Cabral não é – nunca o foi – uma figura do Estado, pelo que não se mostra aceitável que as suas fotos estejam afixadas em estabelecimentos do Estado”.

“Quanto muito, é um Herói Nacional, uma figura nacional, como Leitão da Graça, Mascarenhas Monteiro, entre tantos outros, que se assumiram sempre como cabo-verdianos por cujos interesses se bateram”, pontuou.

Prosseguindo, Emanuel Barbosa defendeu que considerar Amílcar Cabral uma figura do Estado é “um exagero”, além de ser “uma leitura falsificada da História”.

“Para quem insista em ver as coisas sem o rigor que reclamam, é sempre bom lembrar que as figuras do Estado estão todas plasmadas na nossa Constituição. Cabo Verde hoje dispensa tutelas mitológicas e políticas, próprias de regimes de partido único”, finalizou.

Com Inforpress



APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

A crise na imprensa mundial, com vários jornais a fechar as portas, tem um denominador comum: recursos financeiros. Ora, a produção jornalística, através de pesquisas, entrevistas, edição, recolha de imagens etc. Tem os seus custos. Enquanto está a ler e a ser informado, uma equipa trabalha incessantemente para levar a si a melhor informação, fruto de investigação apurada no estrito respeito pela ética e deontologia jornalisticas que caracterizam a imprensa privada, sobretudo.

Neste momento em que a informação factual é uma necessidade, acreditamos que cada um de nós merece acesso a matérias precisas e de interesse nacional. A nossa independência editorial significa que estabelecemos a nossa própria agenda e damos nossas próprias opiniões. O jornalismo do Santiago Magazine está livre de preconceitos comerciais e políticos e não é influenciado por proprietários ou accionistas ricos. Isso significa que podemos dar voz àqueles menos ouvidos, explorar onde os outros se afastam e desafiar rigorosamente aqueles que estão no poder.

Portanto, se quiser ajudar este site a manter-se de pé e fornecer-lhe a informação que precisa, já sabe que toda contribuição do leitor, grande ou pequena, é tão valiosa. Apoie o Santiago Magazine, da maneira que quiser, podendo ser através da conta nº 6193834.10.1 - IBAN CV64 000400000619383410103 – SWIFT: CANBCVCV - Correspondente: TOTAPTPL - Banco Caboverdeano de Negócios - BCN, ou por meio deste dispositivo do PayPal.


APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

Comentar