Pub
Por: Redacção

policia

O Ministro da Administração Interna mandou aposentar compulsivamente o superintendente da Polícia Nacional, Emanuel Spencer Lopes, por estar implicado, enquanto director do Centro de Formação policial, em casos de favorecimento nos concursos de promoção de sub-chefes, processo esse que foi anulado e encaminhado ao Ministério Público por haver “factos com relevância jurídica criminal”. O despacho do ministro acaba de ser publicado no Boletim Oficial nº 165 II série desta sexta-feira, 22.

De acordo com o referido B.O., o Extrato de despacho nº166/GMAI/2019 do Ministro da Administração Interna tem data de 21 de Outubro e foi encaminhado para publicação pela Divisão de Administração e Recursos Humanos do MAI esta quarta-feira, 20.

"Emanuel Herberto Teixeira Spencer Lopes, superintendente da Polícia Nacional, foi aplicado pena disciplinar de Aposentação Compulsiva, ao abrigo da alínea e) do nº 1 do artigo 31º e nos nºs 1 e 2 , alíneas a), j) e m) do artigo 37º, todos do Regulamento do Pessoal Policial da Polícia Nacional, aprovado pelo decreto-legislativo nº9/2010, de 28 de Setembro, conjugado com a alínea e) do nº 1 do artigo 14º, nº 6 do artigo 16º, nº6 do artigo 17º, todos do EDAAP, aprovado pela lei nº 31/III/87, de 31 de Dezembro, com a nova redação dada pelo decreto-legislativo nº8/97, de 8 de Maio", lê-se no Extrato do ministro da Administração Interna, publicado no B.O. nº165 desta sexta-feira, 22 de Novembro.

Este castigo surge na sequência de um processo disciplinar mandado instaurar por Paulo Rocha por suspeitas de corrupção nos concursos para transição e promoção de sub-chefes da PN, em que houve favorecimentos a familiares e amigos. Emanuel Spencer Lopes acabou sendo demitido do cargo de director do Centro de Formação da PN pelo ministro da tutela, que também mandou anular esse concurso e enviar o dossier para o Ministério Público por "haver factos com relevância jurídica criminal”.

Na verdade, os concursos, anunciados em Fevereiro de 2018, já estavam suspensos desde Outubro do ano passado, na sequência de reclamações e das denúncias de irregularidades e favorecimento, tendo sido instaurado um inquérito para apuramento dos factos.

Um comunicado assinado pelo director nacional da PN, Emanuel Estaline Moreno, e datado de 01 de Agosto de 2019, informava então que o ministro de Administração Interna, Paulo Rocha, decidira anular os concursos na fase elaboração de provas de aptidão profissional e cultural.

O documento adiantava ainda que o ministro Paulo Rocha determinou a nomeação de novos elementos de júri para prosseguir com as provas, com preferência para magistrados, e a instauração de processos disciplinares contra os efectivos directamente implicados nas referidas denúncias e cuja “conduta está indiciariamente censurada no processo de inquérito”.

Dizia ainda esse mesmo comunicado que por causa de todas estas irregularidades, o Governo mandou dar por finda a comissão de serviço do director do Centro Nacional de Formação da PN, o superintendente Emanuel Spencer Lopes, que agora é aposentado compulsivamente por despacho do ministro da tutela.

O caso tinha sido despoletado a partir de uma denúncia do Partido Popular (PP) que adiantou que tinha recebido informações de que algumas mulheres estavam a ser beneficiadas com base no nepotismo. Na sequência, a Direcção Nacional da PN confirmou que recebeu as queixas e que mandou suspender os concursos.



APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

A crise na imprensa mundial, com vários jornais a fechar as portas, tem um denominador comum: recursos financeiros. Ora, a produção jornalística, através de pesquisas, entrevistas, edição, recolha de imagens etc. Tem os seus custos. Enquanto está a ler e a ser informado, uma equipa trabalha incessantemente para levar a si a melhor informação, fruto de investigação apurada no estrito respeito pela ética e deontologia jornalisticas que caracterizam a imprensa privada, sobretudo.

Neste momento em que a informação factual é uma necessidade, acreditamos que cada um de nós merece acesso a matérias precisas e de interesse nacional. A nossa independência editorial significa que estabelecemos a nossa própria agenda e damos nossas próprias opiniões. O jornalismo do Santiago Magazine está livre de preconceitos comerciais e políticos e não é influenciado por proprietários ou accionistas ricos. Isso significa que podemos dar voz àqueles menos ouvidos, explorar onde os outros se afastam e desafiar rigorosamente aqueles que estão no poder.

Portanto, se quiser ajudar este site a manter-se de pé e fornecer-lhe a informação que precisa, já sabe que toda contribuição do leitor, grande ou pequena, é tão valiosa. Apoie o Santiago Magazine, da maneira que quiser, podendo ser através da conta nº 6193834.10.1 - IBAN CV64 000400000619383410103 – SWIFT: CANBCVCV - Correspondente: TOTAPTPL - Banco Caboverdeano de Negócios - BCN, ou por meio deste dispositivo do PayPal.


APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

Comentários  

+2 # ceciia 28-11-2019 11:23
Arquipélago de Cabo Verde!

O Zé Dola já tinha vos Avisado quem era o Emanuel Spencer.
Responder
0 # ceciia 27-11-2019 14:09
A nossa Sociedade não lembra do CASO DE DROGA A QUE UM COLEGA DELE mcp por ZÉ DOLA TINHA DENUNCIADO? foi através da rádio ESTAVAM NA ilha do SAL. vão á Achada S.António no Brasil e vão saber da historia.
Responder
+1 # lem ferera 24-11-2019 15:50
Na PN acontecem muitos casos que acabam por manchar a imagem da Instituição. Um Superintendente punido com uma pena dessas significa que tinha uma conduta em que fez muitas erradas na Instituição, a receber salario do dinheiro do povo.
Responder
+2 # Chiku 22-11-2019 22:23
Pensei que fosse por causa de trafico de droga desde anos 90 ti gossi ki é lixa Zé dola.
Responder
+2 # toto 22-11-2019 21:40
triste mais necessário .A corrupção lastra todo por onde he deixem via expedita , Cv tem que entrar nesta luta
Responder