Pub

Polícia Nacional de Cabo Verde

O Governo decidiu anular os concursos de transição e promoção ao posto de 2º de subchefe na Polícia Nacional por considerar que houve favorecimentos durante o processo. Um comunicado da PN indica ainda que o director do Centro de Formação já foi demitido e que o caso queixa na Procuradoria Geral da república por haver “factos com relevância jurídica criminal”.

Os concursos, anunciados em Fevereiro de 2018, foram suspensos em Outubro do ano passado, na sequência de reclamações e das denúncias de irregularidades e favorecimento, tendo sido instaurado um inquérito para apuramento dos factos.

Um comunicado assinado pelo director nacional da PN, Emanuel Estaline Moreno, e datado de 01 de Agosto de 2019, informa que o ministro de Administração Interna, Paulo Rocha, decidiu anular os concursos, na fase elaboração de provas de aptidão profissional e cultural.

O documento adianta ainda que o ministro Paulo Rocha determinou a nomeação de novos elementos de júri para prosseguir com as provas, com preferência para magistrados, e a instauração de processos disciplinares contra os efectivos directamente implicados nas referidas denúncias e cuja “conduta está indiciariamente censurada no processo de inquérito”.

E mais à frente, lê-se nesse mesmo comunicado, que por causa de todas estas irregularidades, o Governo mandou dar por finda a comissão de serviço do director do Centro Nacional de Formação da PN, o superintendente Emanuel Spencer Lopes. E determinou ainda que o conteúdo do processo de inquérito seja comunicado ao Procurador-geral da República, porquanto se indiciam “factos com relevância jurídica criminal”.

O caso tinha sido despoletado a partir de uma denúncia do Partido Popular (PP) que adiantou que tinha recebido informações de que algumas mulheres estavam a ser beneficiadas com base no nepotismo.

Na sequência, a Direcção Nacional da PN confirmou que recebeu queixas e mandou suspender os concursos.

Santiago Magazine/Inforpress



APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

A crise na imprensa mundial, com vários jornais a fechar as portas, tem um denominador comum: recursos financeiros. Ora, a produção jornalística, através de pesquisas, entrevistas, edição, recolha de imagens etc. Tem os seus custos. Enquanto está a ler e a ser informado, uma equipa trabalha incessantemente para levar a si a melhor informação, fruto de investigação apurada no estrito respeito pela ética e deontologia jornalisticas que caracterizam a imprensa privada, sobretudo.

Neste momento em que a informação factual é uma necessidade, acreditamos que cada um de nós merece acesso a matérias precisas e de interesse nacional. A nossa independência editorial significa que estabelecemos a nossa própria agenda e damos nossas próprias opiniões. O jornalismo do Santiago Magazine está livre de preconceitos comerciais e políticos e não é influenciado por proprietários ou accionistas ricos. Isso significa que podemos dar voz àqueles menos ouvidos, explorar onde os outros se afastam e desafiar rigorosamente aqueles que estão no poder.

Portanto, se quiser ajudar este site a manter-se de pé e fornecer-lhe a informação que precisa, já sabe que toda contribuição do leitor, grande ou pequena, é tão valiosa. Apoie o Santiago Magazine, da maneira que quiser, podendo ser através da conta nº 6193834.10.1 - IBAN CV64 000400000619383410103 – SWIFT: CANBCVCV - Correspondente: TOTAPTPL - Banco Caboverdeano de Negócios - BCN, ou por meio deste dispositivo do PayPal.


APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

Comentários  

0 # cirilo cidário 08-08-2019 08:11
A policia foi sempre assim, corruptos, que escondem um no outro. Muita gente tem sofrido na pele por esses bandidos que ostentem patente de oficial. Roubem, violem, e nunca são sequer levantado processo de inquérito para apuramento e responsabilidade. Se alguém abrir a boca é aniquilado. Não há nada que te proteja porque até os recursos são escondidos no indeferimento tácito. Bandos de incompetentes que dizem que nos inquéritos fazem perguntas de conveniência de forma a prejudicar outra parte. Bem haja o Ministro que tem coragem de demonstrar que ninguém está em cima da lei. Cuidado Senhores oficiais o tempo do quero posso e mando está a acabar.
Responder
0 # Uvid Impe 06-08-2019 18:36
Desde de 2008 exe tt bem nesse brincadeira.
...li na SV tudo gente oia um senhora de nome E.A. t reprova na testes fisicos no entanto hj elaé SUBCHEFE PRINCIPAL...a quem diga kel faze teste la na chez lutcha...
Responder
0 # Maria Fátima Martins 06-08-2019 10:23
Até que enfim esse dia chegou. Pois chegou mas para mim tarde demais. Essas comissões e os júris faziam o que lhes davam na telhas, bom os participantes dos concursos de polícia nacional de guarda prisional de oficiais de justiça não foram ouvidos que estava a ser feito grande, foi preciso os demais agentes e outros para serem ouvidos e visto a realidade. Sr Paulo Veiga um muito obrigada, pelo menos ainda vai a tempo desses que foram selecionados agora, conhecerem a verdade e que sejam selecionados os que verdadeiramente se esforçaram para tal.
Que seja feito tudo na maior legalidade e transparência possível.
Responder
+8 # Arteaga Fortes 03-08-2019 17:53
Acho que alguém acordou...E tantos outros concursos? Quantos jovens com experiência comprovada? Quantos jovens com os requisitos necessários são descartados? Se se passar um pente fino noutros concursos neste país encontra-se muitas "cabeças" com as botas e as "n***gas" limpas e a brilhar! Há sempre casos do tipo... O mérito, a papelada não fazem tais diferenças neste país! ...a não ser se o indivíduo fizer formação de lambedor... Amiguismo, Lembismo, Nepotismo, partidarismo, Pi*adismo... Este é o país que temos
Responder
-1 # Joana Fortes 04-08-2019 16:22
Para que concurso se todos os funcionarios da Admadministração pública são corruptos? Não vale a pena concurso !!!!
Responder
0 # Joel moura 06-08-2019 20:29
Bo perde grande chance de fka calod, sbo ta fka ke bo boca ftxop ninguem ta descubri ma bo te defeca pa boca
Responder
+3 # Arteaga Fortes 04-08-2019 21:43
A corrupção existe... Mas afirmar que todos são corruptos também, é injusto! Há pessoas sim que fazem o que podem para ajudar. Concurso sim, para escolher o melhor com base nas evidências apredentadas e entrevistas feitas.
Responder