Pub

Projeto Leitura

Cabo Verde e Portugal assinam esta segunda-feira, na cidade da Praia, um acordo conjunto bilateral no domínio da Educação e no cumprimento de um dos pontos dos Objectivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS).

Segundo um comunicado de imprensa, o acto de assinatura insere-se no âmbito do programa de implementação da Rede de Bibliotecas Escolares (RBE) e do Plano Nacional de Leitura (PNL).

O acordo conjunto bilateral, avança a mesma fonte, tem como propósito o desenvolvimento das competências dos domínios da leitura, o alargamento e aprofundamento dos hábitos de leitura e o cumprimento do ponto 4 do Objectivo do Desenvolvimento Sustentável, constante na Agenda 2030 das Nações Unidas.

O documento será assinado pela ministra da Educação, Maritza Rosabal, o ministro da Cultura e das Indústrias Criativas, Abraão Vicente, e o ministro da Educação de Portugal, Tiago Brandão Rodrigues.

O Plano Nacional de Leitura é um conjunto de estratégias e acções, que visa aumentar os níveis de literacia e os hábitos de leitura e escrita no país. Trata-se de uma iniciativa do Ministério da Cultura e das Indústrias Criativas e do Ministério da Educação, que são responsáveis pela sua concepção, desenvolvimento, seguimento e avaliação.

Entre as acções do referido plano estão a promoção da leitura em ambiente escolar, de forma orientada na sala de aula, bem como outros projectos orientados para o contexto da escola, da família, das comunidades locais e população em geral.

O plano que é desenvolvido por uma equipa coordenada pela Biblioteca Nacional, tutelada pelo Ministério da Cultura, e que na implementação das actividades irá envolver as escolas, bibliotecas municipais, universidades, centros de formação, autarquias, ONG, comunicação social e toda a sociedade civil.

Com Inforpress



APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

A crise na imprensa mundial, com vários jornais a fechar as portas, tem um denominador comum: recursos financeiros. Ora, a produção jornalística, através de pesquisas, entrevistas, edição, recolha de imagens etc. Tem os seus custos. Enquanto está a ler e a ser informado, uma equipa trabalha incessantemente para levar a si a melhor informação, fruto de investigação apurada no estrito respeito pela ética e deontologia jornalisticas que caracterizam a imprensa privada, sobretudo.

Neste momento em que a informação factual é uma necessidade, acreditamos que cada um de nós merece acesso a matérias precisas e de interesse nacional. A nossa independência editorial significa que estabelecemos a nossa própria agenda e damos nossas próprias opiniões. O jornalismo do Santiago Magazine está livre de preconceitos comerciais e políticos e não é influenciado por proprietários ou accionistas ricos. Isso significa que podemos dar voz àqueles menos ouvidos, explorar onde os outros se afastam e desafiar rigorosamente aqueles que estão no poder.

Portanto, se quiser ajudar este site a manter-se de pé e fornecer-lhe a informação que precisa, já sabe que toda contribuição do leitor, grande ou pequena, é tão valiosa. Apoie o Santiago Magazine, da maneira que quiser, podendo ser através da conta nº 6193834.10.1 - IBAN CV64 000400000619383410103 – SWIFT: CANBCVCV - Correspondente: TOTAPTPL - Banco Caboverdeano de Negócios - BCN, ou por meio deste dispositivo do PayPal.


APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

Comentar