Pub

 Giovani dos santos

O embaixador de Cabo Verde em Portugal, Eurico Monteiro, pediu este sábado, 4 de janeiro, a clarificação “cabal” das circunstâncias da morte do estudante Luís Giovani dos Santos Rodrigues (foto), após ferimentos graves sofridos numa agressão em Bragança, em 21 de dezembro.

Em comunicado, a Embaixada de Cabo de Verde em Portugal refere que Eurico Monteiro está a “acompanhar de perto as investigações e os seus desenvolvimentos”, com vista a “clarificar-se de forma cabal as circunstâncias da morte e determinar-se as eventuais responsabilidades”.

No dia 21 de dezembro passado, o estudante cabo-verdiano do Instituto Politécnico de Bragança (IPB) Luís Giovani dos Santos Rodrigues terá sido agredido em Bragança.

Transportado para o Hospital de Santo António, no Porto, o jovem estudante, de 21 anos, acabou por morrer no dia 31 de dezembro, segundo o comunicado da Embaixada de Cabo Verde em Lisboa.

O comunicado refere que a Embaixada entrou em contacto com o Comando de Bragança da Polícia de Segurança Pública (PSP) “para recolher informações, que lhe foram prontamente prestadas, com as limitações compreensíveis na circunstância”.

“O processo foi encaminhado à Polícia Judiciária para o competente tratamento. Foi ordenada também a realização da autópsia para se conhecer com precisão a causa da morte”, esclarece ainda a Embaixada, que sublinha estar a apoiar a família da vítima.

“O embaixador falou com o senhor secretário de Estado do Ensino Superior de Portugal, Prof. Sobrinho Teixeira, a este propósito, tendo recebido deste votos de pesar pela ocorrência”, lê-se.

Luís Giovani era natural da ilha do Fogo, tendo o município de Mosteiros publicado uma nota sobre a sua morte, recordando que tinha viajado em outubro para Bragança, “para seguir o curso de Design de Jogos Digitais” no IPB.

“Giovani era um dos mais promissores artistas de Mosteiros, tendo-se destacado na banda Beatz Boys, um grupo integrado por jovens formados pela paróquia de Nossa Senhora da Ajuda e artistas oriundos do agrupamento De Martins”, lê-se na mesma mensagem da Câmara Municipal dos Mosteiros.

Com Lusa



APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

A crise na imprensa mundial, com vários jornais a fechar as portas, tem um denominador comum: recursos financeiros. Ora, a produção jornalística, através de pesquisas, entrevistas, edição, recolha de imagens etc. Tem os seus custos. Enquanto está a ler e a ser informado, uma equipa trabalha incessantemente para levar a si a melhor informação, fruto de investigação apurada no estrito respeito pela ética e deontologia jornalisticas que caracterizam a imprensa privada, sobretudo.

Neste momento em que a informação factual é uma necessidade, acreditamos que cada um de nós merece acesso a matérias precisas e de interesse nacional. A nossa independência editorial significa que estabelecemos a nossa própria agenda e damos nossas próprias opiniões. O jornalismo do Santiago Magazine está livre de preconceitos comerciais e políticos e não é influenciado por proprietários ou accionistas ricos. Isso significa que podemos dar voz àqueles menos ouvidos, explorar onde os outros se afastam e desafiar rigorosamente aqueles que estão no poder.

Portanto, se quiser ajudar este site a manter-se de pé e fornecer-lhe a informação que precisa, já sabe que toda contribuição do leitor, grande ou pequena, é tão valiosa. Apoie o Santiago Magazine, da maneira que quiser, podendo ser através da conta nº 6193834.10.1 - IBAN CV64 000400000619383410103 – SWIFT: CANBCVCV - Correspondente: TOTAPTPL - Banco Caboverdeano de Negócios - BCN, ou por meio deste dispositivo do PayPal.


APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

Comentários  

0 # Kulundjulu575 05-01-2020 23:34
E os Portugueses sabem e muito bem que ele defende os N ....... TES e ganha mil mil mil mil hoes.........
O ZONA sorriu para o lado torto......
Responder
+2 # Manuel 05-01-2020 14:18
Se este rapaz fosse angolano de certeza angola teria encostado as autoridades portuguesa a parede, os governantes cabo verdianos tem muito complexo perante os Portugueses alias o facto de irem todo o fim de mês a portugal para o beber vinho e comer bacalhau lhes tiram o moral de encomodar as autoridades portuguesas temos um presidente que se calhar tem raiva de ser cabo verdiano ele gosta que lhe chame de tuga, temos um embaixador que ocupa da politica em vez de ocupar das relações diplomáticas e temos um primeiro ministro mentiroso que não sabe falar a verdade
Responder