Pub

 cidlene1

Exame confirmou também que Cidlene Patrícia estava grávida de 14 semanas. O médico-legista recolheu ADN para saber se Dicha Évora, seu suposto assassino, era o pai da criança, já que a jovem teria tido um outro relacionamento.

O exame de autopsia realizado ontem, quarta-feira, ao corpo da jovem Cidlene Patrícia, encontrada morta no passado domingo, 18, nos terrenos do campo de golfe em Ribeira de Vinha, confirmou a tese de homicídio por estrangulamento.

Segundo o médico legista, Ledo Pontes, que chegou da ilha do Fogo para esse propósito, havia outros sinais de agressões no corpo da mulher, mas o que levou à sua morte foi o facto de ter sido estrangulada. Isto supostamente pelo ex-companheiro Adilson  Almeida Duarte Évora, também encontrado morto por enforcamento junto da sua viatura dentro do qual estava Cidlene.

O médico legista, que esteve durante toda a manhã de quarta-feira com as autoridades judiciais a realizar o exame de autopsia, também confirma que Cidlene Patrícia estava grávida de 14 semanas. A equipa de investigação recolheu material genético para confirmar a paternidade da criança, a ser anexado ao processo.

A comprovação da paternidade da criança decorre do facto de a jovem ter  tido, segundo informações recolhidas juntos de familiares, um outro relacionamento depois de ter rompido com Adilson 'Dicha' Évora, razão também que poderá estar associado às causas do homicídio, seguido de suicídio.

dicha

Adilson Duarte Évora, mais conhecido por Dicha, terá deixado uma carta à família na qual confessa a autoria do crime e explica as suas motivações.

O casal deixou dois filhos menores, um  de dois e outro  de  quatro anos de idade. O funeral de Cidlene Patrícia aconteceu às 15 horas da tarde de ontem, quarta-feria.



APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

A crise na imprensa mundial, com vários jornais a fechar as portas, tem um denominador comum: recursos financeiros. Ora, a produção jornalística, através de pesquisas, entrevistas, edição, recolha de imagens etc. Tem os seus custos. Enquanto está a ler e a ser informado, uma equipa trabalha incessantemente para levar a si a melhor informação, fruto de investigação apurada no estrito respeito pela ética e deontologia jornalisticas que caracterizam a imprensa privada, sobretudo.

Neste momento em que a informação factual é uma necessidade, acreditamos que cada um de nós merece acesso a matérias precisas e de interesse nacional. A nossa independência editorial significa que estabelecemos a nossa própria agenda e damos nossas próprias opiniões. O jornalismo do Santiago Magazine está livre de preconceitos comerciais e políticos e não é influenciado por proprietários ou accionistas ricos. Isso significa que podemos dar voz àqueles menos ouvidos, explorar onde os outros se afastam e desafiar rigorosamente aqueles que estão no poder.

Portanto, se quiser ajudar este site a manter-se de pé e fornecer-lhe a informação que precisa, já sabe que toda contribuição do leitor, grande ou pequena, é tão valiosa. Apoie o Santiago Magazine, da maneira que quiser, podendo ser através da conta nº 6193834.10.1 - IBAN CV64 000400000619383410103 – SWIFT: CANBCVCV - Correspondente: TOTAPTPL - Banco Caboverdeano de Negócios - BCN, ou por meio deste dispositivo do PayPal.


APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

Comentar