Pub

Praia Cabo Verde

Eis então, como havíamos prometido, a segunda parte do editorial “A máfia de terrenos e o "dinheiro que nunca mais acaba", de 25 de Julho de 2019, em que, dada a gravidade e seriedade que o tema encerra, decidimos ilustrar, com provas documentais, como se vem fazendo algumas das doações, concessões e negócios dos terrenos da Praia, com enfâse nas zonas premium da Capital: Prainha, Gamboa, Quebra Canela e outras localidades.

Se tiver disponível um terreno de 70 m2 na Quebra Canela, concessionado pela CMP, a pagar uma renda anual de 14 contos (1160$00 por mês) durante 50 anos, e recebendo o estatuto de Utilidade Turística; com Benefícios Fiscais ao Investimento e Isenção de direitos aduaneiros; Ou alguém “ganhar” um concurso sem financiamento garantido e, depois a CMP autorizar que
a concessão seja dada como garantia bancaria etc., o seu Investimento tronar-se-ia “Bancavél”, isto é, conseguiria Investimento do “dinheiro que nunca mais acaba”?

Ao contrário do que as pessoas pensam, a Orla Marítima não está sendo vendida (a Lei não permite). A Câmara Municipal da Praia decidiu fazer dezenas de concessões de longos períodos (25 a 75 anos), em particular de terrenos na Orla Marítima da Prainha, Quebra Canela e Gamboa, para determinadas pessoas e grupos. Além da imoralidade em concessionar activos públicos sem concursos, de forma a garantir que, de facto, qualquer Cidadão Empreendedor possa concorrer, as construções são todas ilegais, uma vez que estão dentro da Orla Marítima. Podemos até questionar: quem são os verdadeiros donos – Políticos, Criminosos (branqueamento e lavagem de capitais), Terroristas etc.?

Coincidência ou não, dois dos afortunados têm o apelido “Dos Santos”. Pai e Filho? Bem, os documentos infra revelam melhor o calibre do esquema existente e que vem lesando o patrimínio público em benefício de poucos bem selecionados.

Imagem 1. Concessão de 70 m2 de terrenos em Quebra Canela

imgem1

Fonte: B. O. N.º 41 de 06 de Julho de 2018

Este afortunado vai pagar 1.166$00 por mês (14.000$00 por ano) em renda por 70 m2 de terreno em plena Orla Marítima de Quebra Canela. Ainda receberá o titulo de Utilidade Turística, que lhe concederá isenções aduaneiras na importação de matérias e equipamentos para a construção e funcionamento do espaço e isenção no pagamento do imposto sobre o lucro.

Imagem 2. Direito de superfície em Quebra Canela

imagem2

imagem2.1

Fonte: B. O. N.º 30 de 11 de Junho de 2015

Imagem 3. Alienação e direito de superfície na areia da Prainha

imagem3

imagem3.1

Fonte: B.O. N.º 51 -23 de Outubro de 2015

Brevemente a Praia da Prainha será transformada numa Praia Privada.

Imagem 4. Concessão e constituição de direito de superfície em Quebra Canela

imagem4

Fonte: B.O. N.º 51 - 23 de Outubro de 2015

Este Senhor, não tendo Garantias bancárias a dar ao Banco, teve a autorização da CMP e da sua Assembleia, para dar a concessão como hipoteca. Como não se tornar empreendedor e o seu projeto “bancavél”?

Imagem 5. Autorização para utilização da Concessão para hipoteca (Kebra Kabana)

 imagem5          

Fonte: B.O. N.º 60- 18 de Novembro de 2014

Imagem 6. Direito de superfície de 5000 m2 de terrenos em Quebra Canela

imagem6

imagem6.1

Fonte: B.0.N.º 31- 04 de Junho de 2014

A mesma Câmara que calculou que 5000 m2 de terrenos dentro da Orla Marítima em Quebra Canela custam 106 mil contos, recebeu uma proposta de 62 mil contos por 400 m2 na Prainha.

Como é possível?

Tem sido este um dos modelos legais encontrados para se transferir activos de valores astronómicos, violando a Lei da orla Marítima, para seletivamente transferir também o “dinheiro que nunca mais acaba” aos seus? E então, dá para ficar calado?

A Direcção



APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

A crise na imprensa mundial, com vários jornais a fechar as portas, tem um denominador comum: recursos financeiros. Ora, a produção jornalística, através de pesquisas, entrevistas, edição, recolha de imagens etc. Tem os seus custos. Enquanto está a ler e a ser informado, uma equipa trabalha incessantemente para levar a si a melhor informação, fruto de investigação apurada no estrito respeito pela ética e deontologia jornalisticas que caracterizam a imprensa privada, sobretudo.

Neste momento em que a informação factual é uma necessidade, acreditamos que cada um de nós merece acesso a matérias precisas e de interesse nacional. A nossa independência editorial significa que estabelecemos a nossa própria agenda e damos nossas próprias opiniões. O jornalismo do Santiago Magazine está livre de preconceitos comerciais e políticos e não é influenciado por proprietários ou accionistas ricos. Isso significa que podemos dar voz àqueles menos ouvidos, explorar onde os outros se afastam e desafiar rigorosamente aqueles que estão no poder.

Portanto, se quiser ajudar este site a manter-se de pé e fornecer-lhe a informação que precisa, já sabe que toda contribuição do leitor, grande ou pequena, é tão valiosa. Apoie o Santiago Magazine, da maneira que quiser, podendo ser através da conta nº 6193834.10.1 - IBAN CV64 000400000619383410103 – SWIFT: CANBCVCV - Correspondente: TOTAPTPL - Banco Caboverdeano de Negócios - BCN, ou por meio deste dispositivo do PayPal.


APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

Comentários  

0 # BadiuPT 13-08-2019 09:02
Kel negócio la é criminoso!
Oscar, disculpam, ami ncasabi kenha ki assina kel cuza la mas 15 contu pa mês pa kel terreno la????
Responder
-3 # Vergonha 11-08-2019 15:53
Forte vergonha Santiago magazine,nhos para , nhos passa limite de perseguicao, nhos cré toma CMP a forca, mais deus 'e grande.nhos deixa Oscar em Paz, ele foi eleito pelo polvo e tel um mandado de 4 anis.em agosto de 2020 nhos praienses que gostam da praia vamos todos votar no nosso grande présidente de CMP Oscar, viva Oscar, viva CMP,viva praia
Responder
+1 # Xuxadera 13-08-2019 21:18
Xuxadera propi.
Ntom oscar k se staff, sta ta furta e ra da Caboverdiano pa dodu, e Santiago magazine ki sta persigui Oscar? Por acaso es conta algum mintira?
Paxenxa k tanta ignorância pmd partido
Responder
-1 # Djosa Neves 09-08-2019 19:10
Querem inventar um elefante a quebra porcelana, mas nem o endereço da loja descobriram. Vou dar a minha contribuição....
Responder
0 # A. Fortes 09-08-2019 18:53
Filhos de uma égua! É muita "porcaria", é muita porca na rua! Que lama é esta? A água "transparente" proferidas nas campanhas é uma farsa! Ou "agu dja xuxa"! És kuza li ka ta finda bunito! " Nha genti forti kusa, prefetu pa nhu fosi povu d tolu si"? Afinal kes bala ki gastadu tinha algun kuza a ver? Pena pamo tudu envolvidu é ser umanu, pamo si nau, es ta folaba bodekus i és ta pobas kes porku li na sogi" Demu nho!?
Responder
+1 # Oquesemeamoscolherem 09-08-2019 10:56
Muito revelador


Excelente
Responder