Pub

Babanco1

A barragem de Salineiro, em Ribeira Grande de Santiago, reteve as primeiras águas da chuva,  depois da queda das precipitações ocorridas no último fim- de-semana e na madrugada desta terça-feira.

Numa ronda pelas localidades de Salineiro e Cidade Velha, a Inforpress constatou que a infra-estrutura inaugurada em 2013 reteve alguma quantidade de água, para satisfação dos agricultores e camponeses, que já iniciaram a sementeira.

Situada na Ribeira Grande de Santiago, a cerca de dois quilómetros a montante da localidade de Salineiro, tem uma capacidade de armazenamento de 701 mil metros cúbicos de água e esta prevista para irrigar cerca de 58 hectares de terra nas zonas de Salineiro e a norte de Calabaceira.

Orçada em mais de 500 milhões de escudos, a barragem tem 26 metros de altura e 168 do coroamento, que vai servir de passagem na via pedonal para a Cidade Nova, e ainda uma rede de abdução de mais de 500 metros.

A barragem de Salineiro tem uma galeria interna que permite, sempre que necessário, fazer os arranjos no seu interior, e dispõe também de dispositivos de toma de água, munidos de válvulas de serviço e de emergência e dotados de um sistema de filtros (limpeza) nas bocas de entrada para a retenção de materiais finos.

A largura do coroamento é de oito metros, capaz de permitir o trânsito de viaturas nos dois sentidos da nova via que irá ligar as povoações de Calabaceira e Salineiro.

Com Inforpress



APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

A crise na imprensa mundial, com vários jornais a fechar as portas, tem um denominador comum: recursos financeiros. Ora, a produção jornalística, através de pesquisas, entrevistas, edição, recolha de imagens etc. Tem os seus custos. Enquanto está a ler e a ser informado, uma equipa trabalha incessantemente para levar a si a melhor informação, fruto de investigação apurada no estrito respeito pela ética e deontologia jornalisticas que caracterizam a imprensa privada, sobretudo.

Neste momento em que a informação factual é uma necessidade, acreditamos que cada um de nós merece acesso a matérias precisas e de interesse nacional. A nossa independência editorial significa que estabelecemos a nossa própria agenda e damos nossas próprias opiniões. O jornalismo do Santiago Magazine está livre de preconceitos comerciais e políticos e não é influenciado por proprietários ou accionistas ricos. Isso significa que podemos dar voz àqueles menos ouvidos, explorar onde os outros se afastam e desafiar rigorosamente aqueles que estão no poder.

Portanto, se quiser ajudar este site a manter-se de pé e fornecer-lhe a informação que precisa, já sabe que toda contribuição do leitor, grande ou pequena, é tão valiosa. Apoie o Santiago Magazine, da maneira que quiser, podendo ser através da conta nº 6193834.10.1 - IBAN CV64 000400000619383410103 – SWIFT: CANBCVCV - Correspondente: TOTAPTPL - Banco Caboverdeano de Negócios - BCN, ou por meio deste dispositivo do PayPal.


APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

Comentários  

-1 # Gastão Elias 05-09-2019 14:52
Falta dizer a quantidade de água que foi recolhida. Numa zona de baixa pluviometria ficou a água que caiu na ribeira. Mesmo que enchesse de água não há mecanismos para a rega e nem terrenos para irrigar. Esta barragem que custou mais de 500 mil contos foi feita para se obter luvas do construtor. Espero que a comissão parlamentar de inquérito apure que recebeu as luvas. O Governo do PAICV é o seu último primeiro ministro têm de ir ao Tribunal.
Responder
0 # Arena crítica um 04-09-2019 12:45
Muito bem
Responder
0 # Jom 05-09-2019 18:06
Essa água vai ficar 2 dias. Aquele solo não permite retenção de água. Dinheiro para o lixo.
Responder