Pub

boas novas

A partir deles toda a terra foi povoada (Génesis 9:19)

O versículo-chave de hoje fala do progresso humano. Embora ele seja o que Deus quis desde o começo (Génesis 1:28), sempre haverá desvios quando o tomamos apenas em nossas próprias mãos. Basta observar o mau uso que se dá rapidamente a quase qualquer invenção que na verdade deveria ser benéfica.

A leitura bíblica de hoje narra como logo depois do dilúvio Noé tratou de cuidar da subsistência. Veio a fartura. Sobrou uva, sobrou vinho, sobrou embriaguez, sobraram problemas.

Pessoalmente pude observar a diferença de progredir com Deus e sem Deus em minha própria família. Viemos da roça, ou seja, sem grandes recursos na origem. A parte que se converteu a Cristo progrediu materialmente mais que a outra. Houve interesse pelos estudos e a igreja ajudou no desenvolvimento intelectual. Já a segunda geração, beneficiada pelos recursos e não tão dependente da ação directa de Deus, não resistiu à tirania dos bens materiais. O progresso material sempre traz em si o risco da indulgência moral. Quanto mais conforto neste mundo, mais nos apeguemos a ele. Quanto mais estendemos nossa tenda, mais preocupação com os dispêndios que o mundo acaba trazendo. Quando o tempo necessário para as questões espirituais é tomado pelos interesses materiais, estes começam a tornar-se nosso deus.

O pecado, ou seja, uma vida sem o comando de Deus, é particularmente grave pelas suas consequências – um problema que geralmente nos escapa. Outros acabam sofrendo os maus efeitos. Já uma vida santificada, fortemente influenciada pelo Espírito de Deus, pode aplainar o caminho de nossos descendentes.

A busca do progresso jamais deve ocupar o lugar que pertence a Deus. Se Deus puder ocupar em nós o lugar que lhe cabe, o progresso virá por si na forma e na medida melhor para todos.

Com sua fidelidade ao Senhor prepare um lindo amanhã para os seus!



APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

A crise na imprensa mundial, com vários jornais a fechar as portas, tem um denominador comum: recursos financeiros. Ora, a produção jornalística, através de pesquisas, entrevistas, edição, recolha de imagens etc. Tem os seus custos. Enquanto está a ler e a ser informado, uma equipa trabalha incessantemente para levar a si a melhor informação, fruto de investigação apurada no estrito respeito pela ética e deontologia jornalisticas que caracterizam a imprensa privada, sobretudo.

Neste momento em que a informação factual é uma necessidade, acreditamos que cada um de nós merece acesso a matérias precisas e de interesse nacional. A nossa independência editorial significa que estabelecemos a nossa própria agenda e damos nossas próprias opiniões. O jornalismo do Santiago Magazine está livre de preconceitos comerciais e políticos e não é influenciado por proprietários ou accionistas ricos. Isso significa que podemos dar voz àqueles menos ouvidos, explorar onde os outros se afastam e desafiar rigorosamente aqueles que estão no poder.

Portanto, se quiser ajudar este site a manter-se de pé e fornecer-lhe a informação que precisa, já sabe que toda contribuição do leitor, grande ou pequena, é tão valiosa. Apoie o Santiago Magazine, da maneira que quiser, podendo ser através da conta nº 6193834.10.1 - IBAN CV64 000400000619383410103 – SWIFT: CANBCVCV - Correspondente: TOTAPTPL - Banco Caboverdeano de Negócios - BCN, ou por meio deste dispositivo do PayPal.


APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

Comentar