Pub

 Mircéa Delgado 15

Afirmando-se confiante, a deputada eleita nas listas do MpD por São Vicente publica um post no facebook, onde assume ter sido “agredida de forma vil, com um “conjunto de obscenidades” proferidas pelo seu colega de bancada, Emanuel Barbosa, no coração do Parlamento, a sala de sessões.

Tudo aconteceu na sequência da discussão do diploma de Estatuto Especial da Praia, ocorrida na sessão do passado 10, quando Mircéa Delgado votou não, contrariando a vontade da sua bancada. Em jeito de represálias, o seu colega de bancada, Emanuel Barbosa, partiu para agressão verbal, mas a secretária da mesa da Assembleia Nacional procurou conter-se para evitar danos colaterais.

“Desde o primeiro instante, marcado por insultos inadmissíveis vindos da parte de Emanuel Barbosa contra a minha pessoa – no coração do Parlamento (Sala das Sessões) – procurei conter-me, apenas com o propósito de evitar danos colaterais, com possíveis repercussões no meu Partido”, declara, movida pela convicção de que “mais do que necessário, é sempre importante “colocar cada coisa no seu devido lugar”, principalmente quando se enfrenta situações em que campeia a irracionalidade, como esta que estou a viver neste momento, contra a minha vontade e os meus princípios”.

A deputada do Mindelo desmente Emanuel Barbosa no que diz respeito à sua posição na reunião do grupo parlamentar, dizendo que desde o primeiro momento não poupou nas palavras, tendo manifestado a sua intenção de voto de forma clara.

Tudo falso

“A discussão durou dois dias. No primeiro dia assumi essa minha posição na presença do Sr. Ministro de Estado, Dr. Fernando Elísio Freire. No dia seguinte voltou-se ao tema, já com a presença do Ministro-adjunto Rui Figueiredo, que acompanhava o Sr. Ministro de Estado, e reafirmei tudo aquilo que havia dito no dia anterior” sendo por isso “absolutamente falso que o Grupo Parlamentar, qualquer Deputado ou mesmo o Governo tivessem sido apanhados de surpresa. Da minha parte foi tudo claro, tudo transparente”.

Esta jovem deputada, que por inerência de funções faz parte do conselho de administração do Parlamento, revela ainda que “o Estatuto Especial da Capital não foi sujeito à votação em reunião do Grupo Parlamentar e por isso qualquer insinuação no sentido de que o meu voto no Grupo Parlamentar tenha sido diferente daquele que manifestei na Plenária é absolutamente falso, e eivado de má-fé”. E conclui dizendo que não pertence "a nenhuma associação criminosa, nem clandestina, mas que, tirando essas, todo o cabo-verdiano é livre de pertencer a qualquer organização, não precisando de autorização de quem quer que seja."

Confira aqui o texto na íntegra. “Mais do que necessário, é sempre importante “colocar cada coisa no seu devido lugar”, principalmente quando se enfrenta situações em que campeia a irracionalidade, como esta que estou a viver neste momento, contra a minha vontade e os meus princípios.

Desde o primeiro instante, marcado por insultos inadmissíveis vindos da parte de Emanuel Barbosa contra a minha pessoa – no coração do Parlamento (Sala das Sessões) – procurei conter-me, apenas com o propósito de evitar danos colaterais, com possíveis repercussões no meu Partido.

Pouco tempo depois de ser verbalmente agredida fui abordada por um jornalista que acompanhou a situação, e no dia seguinte fui contactada pela maior parte dos jornais da praça para esclarecer o que se tinha passado e entendi que não deveria seguir por essa via.

Fui contactada igualmente pelo ICIEG (Instituto Cabo-verdiano para a Igualdade e Equidade do Género) e preferi impor-me um compasso de espera que me daria tempo suficiente para ir resolvendo, passo a passo, com a tranquilidade possível, esse problema grave criado por um sujeito que provou não ter um mínimo de respeito pela Casa Parlamentar e muito menos por uma mulher.

Quando, inesperadamente, fui agredida daquela forma vil, a minha primeira reação foi de espanto, seguida de uma enorme indignação diante do conjunto de obscenidades proferidas por esse indivíduo que ocupa, infelizmente, um lugar nas Bancadas da Assembleia Nacional.

Neste momento estou convencida de que foi em vão todo esse meu esforço, todo esse sacrifício. E foi em vão porque, vindo donde menos esperava, chegou a reação de uma parte do MpD que ainda não entendeu que na base do nosso Partido está o respeito pelo princípio da tolerância e a proteção da liberdade de expressão.

Rito Correia, representante do MpD na Suíça, não teve um mínimo de bom senso para, pelo menos, ouvir todas as partes envolvidas, contactar outros Deputados, ouvir os membros do Governo presentes na sala que, também, estupefactos presenciaram a malcriação desse sujeito.

Rito Correia preferiu ouvir apenas a versão de uma parte, passando a ser cúmplice desse sujeito ao trazer para o debate público, da forma como o fez, um assunto que deveria ser tratado com seriedade no interior do Partido.

Por que o assunto foi “arrastado” para o debate público, contra a minha vontade, duma forma covarde e mesquinha, com mentiras e ameaças da responsabilidade do representante do MpD na Suíça, não posso deixar de esclarecer, publicamente, o seguinte:

Participei na mais recente reunião do Grupo Parlamentar do MpD durante a qual foi colocado em debate, entre outras matérias, o Estatuto Especial da Praia que estava agendado para a Sessão Plenária de 8 a 10 de Julho, o que acabou por acontecer.

Nessa reunião não poupei nas palavras e apresentei claramente a minha opinião a respeito do já referido Estatuto.

No que importa para o presente esclarecimento, eu disse que no meu entender não era oportuno o agendamento do Diploma e que se, eventualmente, isso se viesse a confirmar, a Proposta de Estatuto Especial da Capital teria que ir acompanhada da proposta de regionalização do país. Na impossibilidade de se apresentar, num pacote único as duas propostas, pedi ao Grupo Parlamentar que o diploma fosse retirado da agenda dessa sessão para ser apresentada numa melhor altura.

A discussão durou dois dias. No primeiro dia assumi essa minha posição na presença do Sr. Ministro de Estado, Dr. Fernando Elísio Freire. No dia seguinte voltou-se ao tema, já com a presença do Ministro-adjunto Rui Figueiredo, que acompanhava o Sr. Ministro de Estado, e reafirmei tudo aquilo que havia dito no dia anterior.

Por isso, é absolutamente falso que o Grupo Parlamentar, qualquer Deputado ou mesmo o Governo tivessem sido apanhados de surpresa. Da minha parte foi tudo claro, tudo transparente.

Mais:

O Estatuto Especial da Capital não foi sujeito à votação em reunião do Grupo Parlamentar e por isso qualquer insinuação no sentido de que o meu voto no Grupo Parlamentar tenha sido diferente daquele que manifestei na Plenária é absolutamente falso, e eivado de má-fé.

Termino dizendo que não pertenço a nenhuma associação criminosa, nem clandestina, mas que, tirando essas, todo o cabo-verdiano é livre de pertencer a qualquer organização, não precisando de autorização de quem quer que seja.

Para terminar mesmo, devo dizer que nunca me inscrevi nos SOKOLS e nem dei a ninguém procuração para o fazer.”

Comentários  

0 # pergunta 19-07-2020 13:32
Sr Daniel Carvalho, por que é que os De[censurado]dos têm que residir todos na Cidade da Praia?
Responder
-1 # leigo 19-07-2020 11:56
Ó Daniel Carvalho, os de[censurado]dos legislam EM NOME DO POVO, embora suportando um governo.

Pelo que, sendo eleitos pelo seu Círculo Eleitoral e pelo povo, as suas posições enquanto de[censurado]dos da nação devem ser respeitadas, mesmo que não convergentes com o Governo.
Sabe o Sr. Daniel Carvalho que o Parlamento tem o papel de fiscalizar a atividade governativa?
Responder
+3 # Carlos Silva 19-07-2020 11:31
O Miller tem tda a razao
Sabias k os badios mais xatos k ha na praia saos sampas d sambicente?
Responder
0 # Daniel Carvalho 17-07-2020 16:56
Respondendo ao "A. Sto. António"
Confesso que dei por por falta de quatro votos de de[censurado]dos do MPD, Mas não sabia explicar o porquê e nem quem eram. Se na verdade abandonaram a sala de sessão, demonstraram serem indignos da responsabilidade que juraram assumir como De[censurado]dos da Nação, e deviam agir de forma coerente e consequente já que não revêem no MPD. Para todos os efeitos, esses indivíduos renunciaram lealdade à bancada e ao MPD, pelo que se tivessem vergonha na cara, não voltariam a tentar juntar ao Grupo que também tem o dever moral de os rejeitar.
Se um desses De[censurado]dos for João Gomes, não me estranha porquanto ele já tinha afirmado através das antenas da rádio nacional que os assuntos da Praia não lhe dizem respeito.Neste sentido, a De[censurado]da Mirceia teve uma postura absolutamente reprovável,mas mais digna e compreensível de que qualquer um desses gajos ou gajas que não merecem respeito de ninguém, enquanto eleitos da Nação que é una e indivisível. Saberá o MPD o que fazer com esses seus pobres judas.
Responder
-2 # A.Stº Antonio 17-07-2020 14:26
Daniel Carvalho, o Sr. acha que tudo e todos deve ser concentrado na Praia, ficando a economia toda concentrada ali, e isso mesmo quando a cidade tem uma rede de esgotos manifestamente insuficiente, ao qual apenas 43% das pessoas têm acesso e o saneamento básico é por demais deficiente?
Não concorda que o novo Campus Universitário podia perfeitamente localizar-se em São Vicente, proporcionando alguma atividade económica à ilha de São Vicente que também tem uma população elevada (80 000 pessoas) e facilitando as outras ilhas do Norte, os estudantes da ilha de Santiago podiam residir durante o tempo da formação em São Vicente?
Responder
+6 # José Anónimo 17-07-2020 13:12
Muitos comentários, eu penso que a maior parte se esqueceu de algo mais importante.
Eu não vou aqui comentar sobre questões de Estatuto Especial, Regionalização, blá-blá-blá e etc. & tal; eu não vou comentar se um deputаdo deve ou não votar conforme o sentido de voto de seu partido ou não; eu não vou comentar sobre quem está a dizer a verdade, se é deputаdo X, ou deputаda Y. Aquilo que é LAMENTÁVEL é que haja cenas tristes dessas no Parlamento. Ora, bolas! Vocês são deputаdos, vocês representam-nos, a nós todos, cabo-verdianos, vocês ganham um balúrdio com o dinheiro dos contribuintes, portanto trabalhem, em vez de meterem-se em cenas de insultos e agressões mútuas! Eu só consigo chegar a 3 conclusões:
1 - Estes atos de baixaria, eu só me lembro de vê-los no MpD, de momento, não tenho memória de vê-los no PAICV ou na UCID. Não, eu não quero dizer que TODOS os membros do MpD são assim mas, o facto de haver muitos que o são, não abona a favor do MpD.
2 - A dirigente da bancada parlamentar do MpD não esteve bem, ela devia ter dado um «puxão de orelhas» aos dois deputаdos por se terem permitido a agressões e insultos.
3 - Já não é a primeira vez que o deputаdo Emanuel Barbosa se encontra envolvido em cenas de agressões físicas e/ou verbais. Já da outra vez, o presidente da assembleia não esteve bem, ele devia ter exonerado os dois deputаdos, sem querer saber «quem começou e quem continuou a briga», para garantir que situações dessas não se repetissem.
Responder
-2 # A.Stº Antonio 17-07-2020 12:04
Srs Daniel Carvalho e "Socrates de Santiago", o que vocês têm a comentar sobre o abandono da Sala de Sessões por parte dos 4 de[censurado]dos do MPD, no momento em que ia decorrer a votação do projeto de diploma Estatuto Administrativo Especial da Praia?
Responder
-2 # Daniel Carvalho 17-07-2020 11:12
Ao "munícipe de sv"
O Munícipe deixou uma questão interessante ao Sócrates de Santiago, sobre "...desvio do Campus Universitário de São Vicente para Praia", que alega o mesmo não ter respondido.
Não tanto para responder, mas como este é um espaço aberto, julgo não lavar a mal se eu deixar algumas considerações sobre o assunto.
Primeiro para dizer que não me parece ser do conhecimento público que alguma vez o Novo Campus Universitário de Cabo Verde esteve previsto para ser edificado em Mindelo, e desviado para Praia, o que não me parece provável.
Mas analise uma coisa:concorda comigo que a Universidade Pública não é uma empresa comercial qualquer; que a Universidade deve estar localizada lá onde facilita a vida ao maior numero possível dos seus utentes, entre formandos e formadores; que a grande maiorias da população estudantil universitária sai das Escolas Secundárias do país? Parece-me que sim, mas ainda que não, preste atenção ao seguinte:
Mindelo teve o privilégio de ter o primeiro Liceu de Cabo Verde, depois do Seminário Liceu de São Nicolau,recebeu estudante que podiam para lá deslocar de todo o país. Os que não podiam, ficavam para trás. Triste lembrar, mas foi assim. Muito depois um liceu na Praia, já na altura com forte oposição de Mindelo.
Acontece que com a Independência Nacional e início do processo de democratização do ensino, cada ilha foi desenvolvendo as suas potencialidades e hoje temos liceus em todas as Ilhas e Conselhos, não se precisando deslocar a São Vicente, sequer da mais vizinha Ilha de Santo Antão.
Acontece que a acompanhar essa dinámica natural da evolução do Ensino Secundário em Cabo Verde,nesse período em referência, nasceram só na Praia mais onze Escolas Secundárias Públicas e cerca de meia dúzia de escolas privadas, a se juntarem a mais dez Escolas Secundárias Públicas do interior de Santiago, mais as privadas, contra menos de meia dezena em São Vicente.Está a perceber que a dinámica natural da Praia e da Ilha de Santiago, neste quisto, não aceita paralelismo com nenhuma outra Cidade ou Ilha do país?
No Mundo moderno, sabe-se que a principal fonte do poder é o conhecimento, que no passado privilegiou Mindelo, mas que naturalmente foi perdendo a vocação que nunca teve,pois ao que se sabe, a maioria dos ilustres quadros Caboverdianos que tiveram o privilegio de frequentar o então único Liceu do país não são naturais de São Vicente. Amílcar Cabral e Baltazar Lopes da Silva são exemplos daquilo que estou a afirmar. Aqui em Santiago costumamos dizer um para o outro, sem qualquer tipo de ofensa: Kada um kumi ku si paduku.
Responder
-2 # Gustavo Medina 17-07-2020 23:33
Besta essa explicação e quiça a pessoa em si. Vê-se que não passaste por uma universidade, seu tololo
Responder
-1 # José 17-07-2020 16:31
Excelente caro Daniel!Muito bem explicado. Foi o que realmente aconteceu no passado e que deixou muitas marcas na evolução intelectual dos badios (de que faço parte e com muito orgulho). Esses saudosistas do Mindelo pensam que a história vai repetir-se. Mas isto nunca mais. Na realidade, nunca se criou no passado condições para que os nossos estudassem, a não ser as raras excepções que tinham poderio económico. Houve mesmo um intelectual de renome dessa zona do Norte que era visceralmente contra o surgimento de um Liceu na Praia - não se devia construir Liceu para macacos - dissera ele na altura, segundo informações que tive.
Responder
-2 # KeLVIN DOS SANTOS 17-07-2020 08:40
Seria bom que afastasse dessas fileiras com indivíduos delinquentes e irresponsáveis, só querem vingar e desorganizar o nosso povo, usar termos enganosos como sementes das pragas, força e coragem, lutar para cabo verde e não para os grupos cínicos.
Responder
0 # Daniel Carvalho 16-07-2020 22:19
O SÓCRATES DE SANTIAGO, colocou questões embaraçosas demais para a de[censurado]da, que salvo devido respeito parece ter agido de forma condicionada.
ATREVO DEIXAR UM RECADO À MIRCEIA: Para o teu bem, jovem, evita alimentar na comunicação social o desentendimento com o de[censurado]do Emanuel, e foca, se quiseres, no debate politico.
Aproveito este mesmo espaço para dizer ao comentarista Felisberto Nunes que concordo com ele a cem porcento. Pessoalmente de há muito que venho discutindo sobre a questão da NATUREZA UNITÁRIA DO ESTADO. Há outros modelo que efectivamente podem ser discutidos, inclusive cada ilha um Estado, MAS NUNCA INDEPENDENTE, vai se avisando.
Responder
0 # municipe de sv 16-07-2020 21:27
Para Socrates de Santiago:
São Vicente não tem inveja nenhuma do que existe na Praia. Porque Praia é Cabo Verde.
Mas como Mindelo também é Cabo Verde vocês não deveriam ser egoistas a ponto de terem lá tudo e mais alguma coisa e entretanto negar a Regionalização às outras ilhas.
Sobre o desvio do Campus Universitário de São Vicente para Praia você não respondeu.
Responder
-1 # simami 17-07-2020 09:32
Mirceá, faça como eu. Em 90, aderi ao MpD, como muitos jovens fizeram. Mas 7 depois, cheguei a conclusão que não era um partido com dignidade para lá estar e, então, o abandonei para sempre e faço tudo para o combater. Os seus princípios, as suas formas de estar e agir, em termos de prática, são extremamente nocivos para a sociedade cabo-verdiana.
Faça como eu.
Responder
-2 # Somada 17-07-2020 09:24
Ao Munícipe de sv. Esteja tranquilo, ou tranquila. Aquilo de estatuto especial para a Praia é um EMBUSTE que criaram na Constituição em 1998. Pode estar certo de que nunca vai ser aprovado, a não ser que um dia o Parlamento vier a ser formado apenas por de[censurado]dos da Praia, o que não é possível. Toda a Região norte de Santiago, que tem quase um 1/4 da população nacional é contra aquele estatuto, pois a Praia já tem a mais. Nós sim e as ilhas todas, precisamos, de facto, de estatutos especiais que é para ficarmos especiais como a Praia já é.
Responder
+2 # Johnny Sena 17-07-2020 09:36
Oh Somada, você pode ser tudo o que quiseres! Mas você não é de Somada! Você não engana ninguém, porque todo o mundo conhece o vosso "argumento".
Responder
+1 # simami 17-07-2020 10:41
Nascido em Librão dos Engenhos e ...
Responder
-4 # FIDEL CASTRO 17-07-2020 09:34
Duvido muito que sejas de "Somada". Seguramente outro Mouro na costa.
Responder
-3 # somada sim 17-07-2020 10:49
Mircéa,
Você é linda de mais para estar no MpD. Venha para o PAICV, Partido de Cabral, junto com a Janira, Vai experimentar o sabor da Política. Faça como eu. Em 97 abandonei o MpD quando percebi que não é um partido com dignidade para eu estar lá. Ali, você é usada e mais nada.
Responder
-2 # somada sim 17-07-2020 10:43
nascido em Librão dos engenhos
Responder
-3 # Colundjul51net@hotm 16-07-2020 19:16
A Mircea pertence sim a u. Grupo de criminosos. Chama-se MPD
Responder
-2 # Caboverdiano 16-07-2020 22:52
Oh Mircea! Estava esperando o quê do MPD?
Quem a mandou misturar com eles?
Quem mistura com porco, come fare-lo.
Para servir Cabo Verde é preciso pendurar nos malfeitores?
Haja saco.
Responder
-1 # SÓCRATES DE SANTIAGO 16-07-2020 18:37
Senhor munícipe de SV, é por isso mesmo que a PRAIA é Capital de Cabo Verde. O senhor acha que essas instituições deveriam sediar- se no Mindelo? Essas são instituições da República e existem em todas as capitais do mundo- PRAIA, LISBOA, PARIS, LUANDA, BISSAU, MOSCOVO, HAVANA, LONDRES, WASHINGTON, etc.,etc..Algumas dessas capitais têm o seu estatuto administrativo especial. Por que razão não o poderá ter a CIDADE DA PRAIA? Porquê tanto ódio e inveja vossos em relação à Cidade da Praia, só porque ESTA É A CIDADE CAPITAL DE CABO VERDE? Com ou sem estatuto especial, a PRAIA MARIA, para o vosso desespero, vai continuar a desenvolver - se, a cumprir o seu destino de CAPITAL DE CABO VERDE, CABEÇA E CORAÇÃO DO PAÍS. Nhos bai tchupa limon tudu sanpas di S.Vicenti ki é kontra Praia. Ka nhós skese ma oras ki fomi toma na nhós pa lá, ma é li ki nhós ta ben tra bariga di mizéria. MALKONCHEUDUS Y MALOBADUS, sima Zé di Praia ta fla.
Responder
0 # José 17-07-2020 10:27
Muito bem Sócrates! Disseste tudo o que é realmente o sentimento dos são vicentinos em relação à Praia. Mas não são só eles têm também ao seu lado todos os outros sampas do Norte. Mas convém realçar os mindelenses são "terríveis" em relação ao nosso Santiago. Continua assim - firme a defender a nossa grande Ilha e Praia Maria. Estamos juntos!
Responder
+2 # A. Andrade 16-07-2020 16:19
Ao trair o sentido de voto do seu partido terá a Srª De[censurado]da pensado no que chama, agora "danos colaterais, com possíveis repercussões no meu partido"?
Responder
-1 # municipe de SV 16-07-2020 14:30
Por que razão a construção do Campus Universitário de Cabo Verde foi desviado da Cidadee do Mindelo para a Cidade da Praia? Para evitar que isso trouxesse alguns recursos para a atividade económica da ilha de São Vicente?
Reparem que, na Praia, enquanto capital da República, estão sedeados quase todos os serviços, os que tem de ser lá e muitos que podia ser instalados noutras ilhas. Vejamos:
- Presidência da República
- Governo (todos os ministérios excepto o MEMarítima)
- Assembleia Nacional (e praticamente todos os de[censurado]dos tem residência na Cidade da Praia);
- PGR, STJ, DPN
- Provedoria de Justiça
- todas as Agências de regulação
- todos os Institutos Públicos
- todos o staff de assessoria dos membros do governo
- e por aí fora.

Não acham que pelo menos a descentralização (regionalização administrativa ) devia ser aprovada/concedida?
Responder
+5 # Aliu 16-07-2020 18:29
Bairrismo assumido
Guerra declarada
Lutarei até o último gemido
Para defender minha cidade amada.

Nada vai ser aprovada
Nada vai ser concedida
Tudo tem sua medida
Brevemente terão a respostada.
Responder
-1 # John Miller 16-07-2020 21:31
A seguir a vossa ação virá a nossa reação! Santiago é a maior ilha de Cabo Verde mas as demais 9 ilhas perfazem 3/4 do território nacional. Sem vocês somos mais fortes!
Responder
0 # FIDEL CASTRO 17-07-2020 09:59
Jejejjeje. Ohh John Miller, já me fizeste rir. Vocês perfazem 3/4 do território nacional, mas não produzem nem 3/4 da riqueza nacional e nem constituem 3/4 da população nacional, ou seja, Santiago em regra trabalha para compensar a vossa ineficácia e pobreza de carácter, para não dizer outra palavra. Menudo paradoxo.

Poupe-nos dessas vossas tiradas, que já começa a cansar e como já dizia o outro, "não cotuquem a onça com vara curta", porque a reação poderá ser deveras pesada e desproporcional para vosso desespero.

Santiago é Alfa e Omega em Cabo Verde e merece ser tratado como tal.

Tenho dito.
Responder
-1 # John Miller 17-07-2020 22:41
Vê-se mesmo que estás num estado de delírio. Só pode! A ilha de Santiago produz o quê e com quê? Vocês estão iludidos! Santiago só produz alguma coisa quando chove. Quando não, é um desalento total! Agora com a pandemia viu-se a quantidade de pobres que há nessa ilha! Se não acreditas, vai ver as estatísticas de cestas básicas distribuídas nessa ilha até agora. Meu caro o facto de mais de metade da população residir em Santiago não significa que toda ela seja badia. Os sampadjudos que aí estão e os seus filhos jamais serão badios. Acorda pá!
Responder
-2 # FIDEL CASTRO 22-07-2020 11:23
Caro Miller, vejo que tu és limitado em termos de conhecimento da realidade das ilhas. Quando faltam argumentos, apelas para a confusão e contradição. Dizes que Santiago só produz alguma coisa quando chove (vejo que não conheces a Grande Ilha ou sabes tão pouco de economia).Quando chove, ela costuma contribuir muito mais ainda para o PIB (55 a 57%). Se trata da Ilha com maior números de empresas instaladas (5.000 aproximadamente), representando quase 50% do total nacional, possui o Porto melhor equipado do país (e maior movimento em termo e carga e volume de negócios), é o terceiro em procura turística, e é ainda inclusive em tempos de seca, "casa" dos celeiros de Cabo Verde (Santa Cruz e Santa Catarina), etc, etc. Investigue, leia e conheça um pouco melhor sobre Santiago e sua história antes de proferir tamanho despautério, como aquele que disse. É também uma ilha com muitos problemas por resolver (maior bolsa de pobreza do país), maiores problemas sociais (delinquência juvenil, criminalidade e outros), etc, etc. Mas apesar de tudo é uma ilha símbolo da resistência nacional, orgulhosa do seu percurso e seguramente o futuro de Cabo Verde.

E quanto aos sampadjudos e seus filhos, não se preocupe porque nós "badius" não temos por hábito assumir o filho dos outros.Jejejej

Obs: Só um conselho, leia um pouco mais antes de estar a escrever, porque associar a palavra produção (bens e serviços), como produção agrícola (razão porque diz que Santiago só produz quando há chuva) é gravíssimo.

Tenho dito.
Responder
-1 # Mindelense 17-07-2020 16:25
Há um grande equivoco aqui propalado e propagandeado pela Pró-praia, e os seu membros e outros lacaios de que a praia produz a maior riqueza em C.Verde. e os estúpidos, ficam cantando como se de uma verdade fosse. Pib per Capita em C.Verde 1º Ilha do sal 2º Boavista, 3º São Vicente.
mais de 90% do produto exportado em C.V, sai de São Vicente. Praia anda a comer das outras ilhas por isso nunca podem falar em AUTONOMIA das ilhas. Lógico que hj em dia tem Varias famílias Ricas de politico$ na Praia e que há um certo luxo, mas o resto da população da praia vivem em mas condições. para os que amam a Praia, Vejam a família de Jorge dos Santos que vai tomar a emprofac. Vejam essas pequenas coisinhas
Responder
-1 # FIDEL CASTRO 22-07-2020 11:34
Senhor Mindelense deixe-se de proferir despautérios, porque o que está a fazer é pronunciar dados estatísticos relativos que servem para efeito de comparação, puramente. Sabes que 90% de exportação não significam 90% do PIB (na verdade uma dessas variáveis faz parte da outra). Investigue um pouco e saberás que esse 90% de exportação não contribuem nem 5% para o PIB.

Senhores ponhamos de lado o bairrismo e a negação e aceitemos que Santiago é o motor da economia nacional.
Responder
-4 # Camilo 16-07-2020 14:28
Ainda bem que a Mircea saiu a mãe, porque se teria saido o pai, ali a coisa pegava feia.
Pois o Pai deu uma surra ao seu proprio pai.
Responder
-2 # Aurelio Barbosa 16-07-2020 22:18
Mircea devia pedir apoio ao Moisas em como se defender desse "babosa"que teima em não tomar juizo.
"ken ki ka toma juiz, juiz ta tomal"
Tudo filme bom ta repitido...!
kel filme ki Moisa era 1º ator, acho ki debi ser repitido ao vivo!
Responder
0 # Terra terra 16-07-2020 13:31
TXOMA MOISES!...
Responder
+4 # SÓCRATES DE SANTIAGO 16-07-2020 11:40
Mais uma pergunta a MIERCEA DELGDADO- Por que razão a proposta de lei que regula O ESTATUTO ADMINISTRA TIVO ESPECIAL PARA A CIDADE DA PRAIA, CAPITAL DO PAÍS, não foi agendada antes da discussão da Lei que cria a Zona Econômica Especial e a Zona Económica Especial de Economia Marítima em S.Vicente? Que eu saiba, a primeira proposta deu entrada no Parlamento antes da segunda e da terceira. Como Secretária da Mesa da Assembleia, a Senhora MIRCEA DELGADO não tem nada a ver com isso? Não será isso, logo a priori, um acto de sabotagem, bem urdida, pensada executada pela senhora MIRCEA DELGADO aao serviço sujo dos seus mandantes sokolianos de S.Vicente?
Responder
0 # SÓCRATES DE SANTIAGO 16-07-2020 11:05
Independentemente das razões das briguinhas partidárias entre Mircea Delgado e Emanuel Barbosa, esta parlamentar, MIRCEA DELGADO FEZ MUITO MAL AO DESOBEDECER O SEU GRUPO PARLAMENTAR E O SEU PARTIDO E VOTAR CONTRA O ESTATUTO ADMINISTRATIVO ESPECIAL PARA A CIDADE DA PRAIA, CAPITAL DO PAÍS. A atitude desta senhora parlamentar do MPD, ainda por cima como Secretária da Mesa da Assembleia Nacional, é UM ACTO DE VIL BAIRRISMO E REGIONALISMO, o que não poderá fazer escola entre nós, os cabo- verdianos, pois isto não dignifica a NAÇÃO e cheira a traição e ódio. Eis a pergunta que fica no ar- MIRCEA DELGADO É PARLAMENTAR OU É SOKOLS, um grupo de anarquistas e bairristas de S.Vicente, contra PRAIA e SANTIAGO? Haja saco e que cada qual assuma as consequências dos seus actos! Disse.
Responder
0 # domingas 16-07-2020 14:18
Bairrismo foi ter metido o estatuto especial na Constituicao na altura em que foi e quase sem ninguem saber.A Praia ja tem varias vantagens por ser a capital.E a regiao que de longe mais se desenvolveu depois da independencia.
Responder
-2 # Gum 16-07-2020 09:23
Um rosário de fingimentos. Para completar a fotografia do falta uma lágrima no canto do olho e se necessário for por toda a cara. Vocês de São Vicente que dizem MpD não podem servir a dois senhores consoante as circunstâncias . São MpD por opção e ao mesmo tempo movimento para levantamento de são Vicente por convicção. Não dá. E já duram nesse jogo sujo e duplo. Por isso não venha com choradeira. Ninguém vos conhece oi vos vê quando MpD está na oposição porque nessa altura estão a bandear para o lado do movimento levantar SVicente e serão contra Praia sempre
Responder
-2 # Gum 16-07-2020 09:23
Um rosário de fingimentos. Para completar a fotografia do falta uma lágrima no canto do olho e se necessário for por toda a cara. Vocês de São Vicente que dizem MpD não podem servir a dois senhores consoante as circunstâncias . São MpD por opção e ao mesmo tempo movimento para levantamento de são Vicente por convicção. Não dá. E já duram nesse jogo sujo e duplo. Por isso não venha com choradeira. Ninguém vos conhece oi vos vê quando MpD está na oposição porque nessa altura estão a bandear para o lado do movimento levantar SVicente e serão contra Praia sempre
Responder
+7 # Aliu 16-07-2020 01:39
Xê!...
Agora aguenta.
Responder
+10 # Olavo 16-07-2020 01:24
É uma pena que não vá ter nenhuma consequência. O Barbosa tem tido um comportamento péssimo no Parlamento e as suas intervenções são apenas de guerrilha querendo convencer os distraídos e os fanáticos da sua bondade. Pena que o líder do partido continua a soprar para o lado pensando que os caboverdianos continuam a ser os mesmos de 2016. A fasquia que era elevada baixou baixíssimo no seu dos caboverdianos. Põem-se a pau porque a reeleição não será garantida em 2021.
Responder
+6 # Gustavo Medina 16-07-2020 00:22
Toma lá Emanuel Barbosa. E olha que a "tua" Isa Costa apanhou pela tabela, pese embora, nessa de associação criminosa, somente numa parte, pois os teus crimes são mais cometidos em Portugal e um pouco pela europa. Bangunceiro e desonesto
Responder
0 # Felisberto Nunes Pin 16-07-2020 21:23
De ha uns tempos a esta parte venho lendo artigos, ouvindo vozes e registando opinioes de alguns caboverdianos, alguns com posicao de destaque na nossa sociedade, reclamando por uma maior autonomia, outros ate pugnando por uma camuflada independencia das nossas ilhas.
Tenho por mim que tudo quanto consta da nossa lei magna, foi por obra e graca de uma(s)assembleia(s)constituinte(s). »Mao que poe, mao que tira»
Mostra - se oportuna ou nao uma discussao seria, amena, responsavel e sem tabu sobre a natureza unitaria do nosso Estado? Se sim, porque nao tomar as medidas que se mostrarem cabiveis?
Se nao, porque quem de direito nao tome a iniciativa de explicar ao povo caboverdiano as suas desvantagens ou vantagens?
O momento parece convidar a uma reflexao e pronunciamento tempestivos sobre a questao em tela.
Acho que nao se deve esperar que o saco se rompa pelas costuras.
Abraco
Responder