Pub

pires scruz

O presidente da  Fundação Amílcar Cabral (FAC), Pedro Pires, afirmou esta segunda-feira, 20, em Pedra Badejo, Santa Cruz, que Cabral foi o factor da aceleração da história e da história da libertação de Cabo Verde.

“Na verdade, quando analisamos o papel e a figura do Amílcar Cabral chegamos a uma conclusão, é uma evidência, Cabral foi o factor da aceleração da nossa história. Primeiro pela criação do PAIGC, mas também pelos triunfos e vitórias do PAIGC, que teve um papel importante na derrota no colonialismo”, lançou Pedro Pires à imprensa no final da sessão solene que assinalou o Dia dos Heróis Nacionais, cujo acto central das comemorações este ano decorreu no município de Santa Cruz, no interior de Santiago.

“Não fosse Cabral, o colonialismo seria derrotado mais tarde, não digo que não fosse, mas seria tarde. Daí o papel importante dele na aceleração da nossa história e da história da nossa libertação”, vincou a antigo presidente da República, acrescentando que é nessa perspectiva que se deve entender Cabral como líder e como fundador da nacionalidade cabo-verdiana.

É que, segundo ele, se não fosse Amílcar Cabral as coisas poderiam acontecer, mas aconteceriam de forma diferente e mais tarde, daí a razão que o leva a afirmar que Amílcar Cabral é o elemento fundamental e determinante na independência e na afirmação de Cabo Verde e das outras colónias.

Por tudo isso, no entender de Pedro Pires, o papel de Amílcar Cabral na luta pela libertação extravasa Cabo Verde e Guiné-Bissau e teve impacto nas outras antigas colónias portuguesas e em África.

Aliás, informou, que Cabral continua a ser uma fonte de inspiração e de criatividade política e cultural em Cabo Verde, na Guiné-Bissau, e em África, e que ele ganhou uma estatura politica, cultural, intelectual e social universal.

Intervieram ainda na sessão solene o presidente da Câmara Municipal de Santa Cruz, Carlos Silva, que enalteceu o facto desse município acolher o acto central do Dia dos Heróis Nacionais, 47 anos depois da morte do “pai da independência de Cabo Verde e Guiné-Bissau” Amílcar Cabral, e o presidente da Associação dos Combatentes da Liberdade da Pátria (ACOLP), Carlos Reis, que dissertou sobre o papel, a figura e o pensamento de Amílcar Cabral.

A iniciativa, uma parceria tripartida entre a Câmara Municipal, FAC e ACOLP, que decorreu no Salão Nobre dos Paços do Concelho de Santa Cruz, ficou marcada pela declamação de poesias alusivas à data, e entrega dos prémios e dos troféus dos concursos e provas desportivas que vinham decorrendo desde o dia 02 de Janeiro, sob signo “Cabral na txon di Santa Cruz”.

Seguiu-se depois uma caminhada ao som da Banda Militar até ao local da inauguração da Rua Amílcar Cabral e lançamento do Programa Toponímia.

Foram ainda realizadas actividades desportivas e culturais, animações nas escolas (Norte, Centro e Sul), concerto “Cantar Cabral”, apresentação “Eu Amílcar', e uma exposição sobre “Vida e Obra de Amílcar Cabral” no hall dos Paços do Concelho.

Estiverem presentes no acto deputados nacionais, Chefe do Estado-Maior das Forças Armadas, e membros do Conselho Superior das Forças Armadas, eleitos municipais e vereadores, dirigentes dos serviços desconcentrados do Estado, corpo diplomático, e vários combatentes da liberdade da pátria.

Em Santiago Norte, o Dia dos Heróis Nacionais ficou ainda marcado pela deposição de coroa de flores no busto de Amílcar Cabral, na Praça Central de Assomada, pelos presidentes da câmara e assembleia municipais de Santa Catarina, José Alves Fernandes e Eurico da Moura, respectivamente, e pela homenagem do PAICV à combatente da liberdade da pátria Lilica Boal.

Com Inforpress



APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

A crise na imprensa mundial, com vários jornais a fechar as portas, tem um denominador comum: recursos financeiros. Ora, a produção jornalística, através de pesquisas, entrevistas, edição, recolha de imagens etc. Tem os seus custos. Enquanto está a ler e a ser informado, uma equipa trabalha incessantemente para levar a si a melhor informação, fruto de investigação apurada no estrito respeito pela ética e deontologia jornalisticas que caracterizam a imprensa privada, sobretudo.

Neste momento em que a informação factual é uma necessidade, acreditamos que cada um de nós merece acesso a matérias precisas e de interesse nacional. A nossa independência editorial significa que estabelecemos a nossa própria agenda e damos nossas próprias opiniões. O jornalismo do Santiago Magazine está livre de preconceitos comerciais e políticos e não é influenciado por proprietários ou accionistas ricos. Isso significa que podemos dar voz àqueles menos ouvidos, explorar onde os outros se afastam e desafiar rigorosamente aqueles que estão no poder.

Portanto, se quiser ajudar este site a manter-se de pé e fornecer-lhe a informação que precisa, já sabe que toda contribuição do leitor, grande ou pequena, é tão valiosa. Apoie o Santiago Magazine, da maneira que quiser, podendo ser através da conta nº 6193834.10.1 - IBAN CV64 000400000619383410103 – SWIFT: CANBCVCV - Correspondente: TOTAPTPL - Banco Caboverdeano de Negócios - BCN, ou por meio deste dispositivo do PayPal.


APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

Comentar