Pub

Deem-me ouvidos e venham a mim; ouçam-me, para que sua alma viva. Farei uma aliança eterna com vocês (Isaías 55:3a)

Um cristão morava em uma grande cidade e decidiu visitar uma aldeia distante para conhecer o surpreendente crescimento do evangelho entre os indígenas. Ali teve contato com muitos irmãos nativos. Depois de permanecer várias semanas naquele lugar, fez amizade com um índio cristão alegre e comunicativo.

Após algum tempo, decidiu convidar seu novo amigo para passar um final de semana em sua casa. Foi uma alegria imensa para ambos poder estar juntos novamente para compartilhar o que Deus tinha feito em suas vidas e o que tinham aprendido em sua caminhada cristã.

Aproveitando a oportunidade da visita, o índio quis conhecer o centro daquela grande cidade. O impacto foi muito grande para ele, diante de tantos edifícios, carros, buzinas e barulhos. Em determinado momento do passeio entre os automóveis, em uma rua arborizada, de repente o índio fez um gesto para que o amigo parasse e ficasse em silêncio... ele levou a mão atrás das orelhas, num gesto de aumentar a acuidade auditiva, e disse: 

- Acabei de ouvir um canário cantando e quero ver onde ele está...

da mesma maneira, podemos ver que algumas pessoas estão mais atentas para distinguir determinados sons. A maioria ouve o barulho de nosso mundo agitado, mas os que pertencem a Deus ouvem o que ele diz, não importa onde estejam ou qual seja a circunstância. Quem ama ao Senhor pode ouvir sua voz suave. A Bíblia afirma que Deus fala – fez isso no passado e continua falando no presente (veja Hebreus 1:1-2). Apenas precisamos ter ouvidos espirituais sensíveis para ouvi-lo em meio a tantos e atraentes sons. A audição pode ser educada e direcionada. Se for preciso, treinemos para ouvir o que o Senhor está dizendo – e ele tem muito a nos falar...

Leitura Bíblica: Isaías 55:1-3

Você consegue prestar atenção à voz de Deus em meio a tanto barulho?



APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

A crise na imprensa mundial, com vários jornais a fechar as portas, tem um denominador comum: recursos financeiros. Ora, a produção jornalística, através de pesquisas, entrevistas, edição, recolha de imagens etc. Tem os seus custos. Enquanto está a ler e a ser informado, uma equipa trabalha incessantemente para levar a si a melhor informação, fruto de investigação apurada no estrito respeito pela ética e deontologia jornalisticas que caracterizam a imprensa privada, sobretudo.

Neste momento em que a informação factual é uma necessidade, acreditamos que cada um de nós merece acesso a matérias precisas e de interesse nacional. A nossa independência editorial significa que estabelecemos a nossa própria agenda e damos nossas próprias opiniões. O jornalismo do Santiago Magazine está livre de preconceitos comerciais e políticos e não é influenciado por proprietários ou accionistas ricos. Isso significa que podemos dar voz àqueles menos ouvidos, explorar onde os outros se afastam e desafiar rigorosamente aqueles que estão no poder.

Portanto, se quiser ajudar este site a manter-se de pé e fornecer-lhe a informação que precisa, já sabe que toda contribuição do leitor, grande ou pequena, é tão valiosa. Apoie o Santiago Magazine, da maneira que quiser, podendo ser através da conta nº 6193834.10.1 - IBAN CV64 000400000619383410103 – SWIFT: CANBCVCV - Correspondente: TOTAPTPL - Banco Caboverdeano de Negócios - BCN, ou por meio deste dispositivo do PayPal.


APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

Comentar