Pub

rui aguas

 

O treinador português, Rui Águas, vai regressar ao comando técnico da selecção nacional de futebol, cargo que deixou há mais de dois anos por causa de salários em atraso, informou a Federação Cabo-verdiana de Futebol (FCF).

O treinador português Rui Águas está de regresso ao comando da seleção cabo-verdiana de futebol, cargo que deixou há mais de dois anos por causa de salários em atraso, informou esta sexta-feira a federação local.

“No quadro do processo de reestruturação das seleções nacionais em curso, e tendo o contrato entre a FCF e a anterior equipa técnica terminado desde o mês de novembro de 2017, a FCF informa ter chegado a acordo com o treinador Rui Águas para assumir as funções de selecionador nacional”, informou a Federação Cabo-verdiana de Futebol (FCF) em comunicado.

Rui Águas, que substitui Lúcio Antunes, vai trabalhar com Lito Aguiar (atual treinador da Académica da Praia) e Bera, formando uma equipa técnica que, segundo a FCF, presidida por Mário Semedo, será apresentada “proximamente”.

O antigo avançado internacional português, que representou Benfica e FC Porto, foi apresentado pela primeira vez como selecionador de futebol de Cabo Verde em agosto de 2014, quando Mário Semedo ainda era presidente da FCF. Na altura, substituiu também Lúcio Antunes, tendo levado a seleção à Taça das Nações Africanas (CAN) de 2015, mas ficou pela primeira fase da maior competição de seleções em África, com três empates em outros tantos jogos.

O último jogo de Rui Águas à frente da seleção cabo-verdiana aconteceu em novembro de 2015, tendo vencido o Quénia por 2-0 e garantido o apuramento para a fase de grupos da zona africana de apuramento para o Mundial2018. O português deixou a seleção cabo-verdiana em janeiro de 2016 por estar com oito meses de salário em atraso, numa altura em que o presidente da FCF era Vítor Osório.

Em março de 2016, o então presidente da FCF, Vítor Osório, informou que Rui Águas já tinha recebido 80% dos 78 mil euros de salários em atraso que ditaram a sua saída do cargo de selecionador.

Mário Semedo, que já ocupou o cargo durante 16 anos, até 2015, regressou à presidência da FCF em outubro do ano passado, após vencer Mário Avelino nas eleições extraordinárias, convocadas após a destituição da direção liderada por Vítor Osório, devido à uma polémica com o campeonato nacional.

Com Lusa



APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

A crise na imprensa mundial, com vários jornais a fechar as portas, tem um denominador comum: recursos financeiros. Ora, a produção jornalística, através de pesquisas, entrevistas, edição, recolha de imagens etc. Tem os seus custos. Enquanto está a ler e a ser informado, uma equipa trabalha incessantemente para levar a si a melhor informação, fruto de investigação apurada no estrito respeito pela ética e deontologia jornalisticas que caracterizam a imprensa privada, sobretudo.

Neste momento em que a informação factual é uma necessidade, acreditamos que cada um de nós merece acesso a matérias precisas e de interesse nacional. A nossa independência editorial significa que estabelecemos a nossa própria agenda e damos nossas próprias opiniões. O jornalismo do Santiago Magazine está livre de preconceitos comerciais e políticos e não é influenciado por proprietários ou accionistas ricos. Isso significa que podemos dar voz àqueles menos ouvidos, explorar onde os outros se afastam e desafiar rigorosamente aqueles que estão no poder.

Portanto, se quiser ajudar este site a manter-se de pé e fornecer-lhe a informação que precisa, já sabe que toda contribuição do leitor, grande ou pequena, é tão valiosa. Apoie o Santiago Magazine, da maneira que quiser, podendo ser através da conta nº 6193834.10.1 - IBAN CV64 000400000619383410103 – SWIFT: CANBCVCV - Correspondente: TOTAPTPL - Banco Caboverdeano de Negócios - BCN, ou por meio deste dispositivo do PayPal.


APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

Comentar