Pub

José Luís Tavares 01

“Arder a vida inteira” é o título do novo livro de José Luiz Tavares. “Um livrinho” de fados e canções”, uma tentativa de abordar, de uma “forma quiçá mais ligeira”, certos temas ligados à tradição fadista, ou mais “latamente às canções”.

Com a chancela da editora Abysmo, a obra terá a apresentação de Luís Carlos Patraquim, com leituras de Valério Romão e participação musical da cantora cabo-verdiana Maria Alice.

José Luiz Tavares, 52 anos, vai dar a conhecer ainda este ano, em Outubro, um livro denso, “Instruções para Uso Posterior ao Naufrágio”, meditações éticas e estéticas em verso, que arrecadou o Prémio Vasco Graça Moura, da Imprensa nacional Casa da Moeda, em finais de 2018.

Para 2019, o poeta pretende dar à estampa, pela editora Pedro Cardoso, um grosso volume intitulado “Uma Pedra Contra o Firmamento [Arremessos de um rezinga com o dedo do meio apontado às fuças do mundo].

Esta obra reúne, segundo o poeta, textos de intervenções avulsas, escritos nos últimos anos, as polémicas em que se envolveu com certas figuras “manhentas” da cultura cabo-verdiana, e também as muitas entrevistas dadas aos órgãos de comunicação escritos, e críticas e estudos sobre a obra produzida até agora.

“Há ainda a previsão de edição de um livro de poemas juvenis, “Tás a Atrofiar-me – Poemas para Anjos Travessos”, com ilustrações do belga Alain Corbel, uma co-edição entre a Abysmo e a Pedro Cardoso”, informou.

José Luís Tavares nasceu a 10 de Junho de 1967, no Tarrafal, ilha de Santiago, Cabo Verde. Estudou literatura e filosofia em Portugal, onde vive há quase três décadas.

Já publicou os livros “Paraíso Apagado por um Trovão” (2003), “Agreste Matéria Mundo” (2004), “Lisbon Blues seguido de Desarmonia” (2008), “Cabotagem&Ressaca” (2008), “Cidade do Mais antigo Nome” (2009), “Coração de lava” (2014), “Contrabando de Cinzas” (2016), “Polaróides de Distintos Naufrágios” (2017) e “Rua Antes do Céu» (2017).

Com Inforpress



APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

A crise na imprensa mundial, com vários jornais a fechar as portas, tem um denominador comum: recursos financeiros. Ora, a produção jornalística, através de pesquisas, entrevistas, edição, recolha de imagens etc. Tem os seus custos. Enquanto está a ler e a ser informado, uma equipa trabalha incessantemente para levar a si a melhor informação, fruto de investigação apurada no estrito respeito pela ética e deontologia jornalisticas que caracterizam a imprensa privada, sobretudo.

Neste momento em que a informação factual é uma necessidade, acreditamos que cada um de nós merece acesso a matérias precisas e de interesse nacional. A nossa independência editorial significa que estabelecemos a nossa própria agenda e damos nossas próprias opiniões. O jornalismo do Santiago Magazine está livre de preconceitos comerciais e políticos e não é influenciado por proprietários ou accionistas ricos. Isso significa que podemos dar voz àqueles menos ouvidos, explorar onde os outros se afastam e desafiar rigorosamente aqueles que estão no poder.

Portanto, se quiser ajudar este site a manter-se de pé e fornecer-lhe a informação que precisa, já sabe que toda contribuição do leitor, grande ou pequena, é tão valiosa. Apoie o Santiago Magazine, da maneira que quiser, podendo ser através da conta nº 6193834.10.1 - IBAN CV64 000400000619383410103 – SWIFT: CANBCVCV - Correspondente: TOTAPTPL - Banco Caboverdeano de Negócios - BCN, ou por meio deste dispositivo do PayPal.


APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

Comentar