Pub
Por: João Cardoso

 João Cardoso1

Vejo distraidamente uma esquelética acácia florida, um vento desabrido e triste arrasta, arrasta …devagar folhas secas embrulhadas num redemoinho de um finíssimo pó, acastanhado, que voa para o infinito… tão azuis do mar e do céu, aberto, num dia primaveril de Março, Mu-lher e fértil da terra seca d’ilha. Parei de tanto olhar, tanto olhar … tão leve da luz desses azuis do mar e do céu d’ilha madrasta e Mu-lher do pão difícil, sol-a-sol, da terra seca. Observei dois casais de pardais no meio de um reflexo que irrompia do parapeito da janela da minha vizinha a galantear de contente enquanto uma pardaleja excitada, dava bicadas carregadas de ciúmes na flor amarelada da esquelética acácia. Pensei na fragilidade da vida dos pássaros e na hipótese de plantar árvore, árvore e… de um dia ser árvore com raízes inteligentes e profundas porque o nosso ciclo d’água não é igual a outros ciclos d’água. Lembrei-me do dia 27 de Março, Dia da Mulher Cabo-verdiana, e recordei de uma flor: malmequer e de poder desfolhá-la soletradamente, sí-la-ba-a-sí-la-ba, as pétalas do malmequer e que elas sejam rimadas sempre com o bem-me-quer para todas as mulheres cabo-verdianas. Também gostaria de oferecer canetas e multiplicá-las com o saber fazer em dias de festas. Globalmente cabo-verdiano.



APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

A crise na imprensa mundial, com vários jornais a fechar as portas, tem um denominador comum: recursos financeiros. Ora, a produção jornalística, através de pesquisas, entrevistas, edição, recolha de imagens etc. Tem os seus custos. Enquanto está a ler e a ser informado, uma equipa trabalha incessantemente para levar a si a melhor informação, fruto de investigação apurada no estrito respeito pela ética e deontologia jornalisticas que caracterizam a imprensa privada, sobretudo.

Neste momento em que a informação factual é uma necessidade, acreditamos que cada um de nós merece acesso a matérias precisas e de interesse nacional. A nossa independência editorial significa que estabelecemos a nossa própria agenda e damos nossas próprias opiniões. O jornalismo do Santiago Magazine está livre de preconceitos comerciais e políticos e não é influenciado por proprietários ou accionistas ricos. Isso significa que podemos dar voz àqueles menos ouvidos, explorar onde os outros se afastam e desafiar rigorosamente aqueles que estão no poder.

Portanto, se quiser ajudar este site a manter-se de pé e fornecer-lhe a informação que precisa, já sabe que toda contribuição do leitor, grande ou pequena, é tão valiosa. Apoie o Santiago Magazine, da maneira que quiser, podendo ser através da conta nº 6193834.10.1 - IBAN CV64 000400000619383410103 – SWIFT: CANBCVCV - Correspondente: TOTAPTPL - Banco Caboverdeano de Negócios - BCN, ou por meio deste dispositivo do PayPal.


APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

Comentar