Pub

 lino magno

Cada vez mais se percebe que viver de uma forma saudável e produtiva, não é um exercício fácil. As ambições mórbidas, gravitam no cerne e no âmago da sociedade moderna, gerando transtornos sérios na saúde. As permanentes competições negativas, a acelerada busca pela imagem, vem perfazendo a sua agenda, como se fossem as únicas respostas autônomas diante da nossa própria incapacidade de ser. Comportamentos obsessivos aumentam o seu figurino obsoleto. Diante de um universo social e intra-social, a psicologia individual e a lucidez têm sido insólitas e pálidas. Se afiguram de um modo inconsistentes para suportar e dar asas ao espírito da arte do contentamento.

Para a nossa própria sobrevivência e saúde, é imperativo e urgente, que aprendamos a desenvolver o contentamento como estilo de vida. Um caminho para uma existência de alta performance. Saber desenvolver a arte do contentamento, mesmo quando tudo vai mal ou quando deparamos com os insucessos da vida é importante. Serve como um antídoto para nos manter num nível intocável. Se almejarmos viver com boa saúde no sentido holístico, será necessário alterarmos a rotina pessoal. De outro modo, perdemos toda a nossa essência diante das angústias que permeiam a alma. Se não decidirmos abraçar um novo estilo de vida, dando um sentido revolucionário á nossa existência, corremos o risco de ficarmos pelo caminho, sem uma história digna.

Um capítulo decisivo neste processo de mudança e inversão de um percurso longo da auto-crítica negativa, incapacidade em aceitar a realidade e alienações absurdas, é justamente a necessidade real e crucial de um olhar completamente novo perante a vida. Não havendo um amanhecer deste novo olhar para a vida, nos tornamos completamente reféns e escravos dos nossos próprios caprichos e ilusões. É urgente que mudemos de postura, que alteremos o quadro presente, que saiamos do nosso próprio mundo no qual vivemos.



APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

A crise na imprensa mundial, com vários jornais a fechar as portas, tem um denominador comum: recursos financeiros. Ora, a produção jornalística, através de pesquisas, entrevistas, edição, recolha de imagens etc. Tem os seus custos. Enquanto está a ler e a ser informado, uma equipa trabalha incessantemente para levar a si a melhor informação, fruto de investigação apurada no estrito respeito pela ética e deontologia jornalisticas que caracterizam a imprensa privada, sobretudo.

Neste momento em que a informação factual é uma necessidade, acreditamos que cada um de nós merece acesso a matérias precisas e de interesse nacional. A nossa independência editorial significa que estabelecemos a nossa própria agenda e damos nossas próprias opiniões. O jornalismo do Santiago Magazine está livre de preconceitos comerciais e políticos e não é influenciado por proprietários ou accionistas ricos. Isso significa que podemos dar voz àqueles menos ouvidos, explorar onde os outros se afastam e desafiar rigorosamente aqueles que estão no poder.

Portanto, se quiser ajudar este site a manter-se de pé e fornecer-lhe a informação que precisa, já sabe que toda contribuição do leitor, grande ou pequena, é tão valiosa. Apoie o Santiago Magazine, da maneira que quiser, podendo ser através da conta nº 6193834.10.1 - IBAN CV64 000400000619383410103 – SWIFT: CANBCVCV - Correspondente: TOTAPTPL - Banco Caboverdeano de Negócios - BCN, ou por meio deste dispositivo do PayPal.


APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

Comentários  

0 # SÓCRATES DE SANTIAGO 13-11-2019 09:01
Aconselho as pessoas a lerem os seus artigos. São, pois, uma forma suave de terapia. Eu mesmo, quando estou numa situação de angústia, procuro os seus artigos neste jornal, leios- os e sinto- me mais aliviado. Remeto- lhe um fraterno e caloroso abraço, meu caro Reverendo Magno.
Responder
0 # Magno 13-11-2019 11:39
Ola amigo Sócrates.
Agradeço pelo apreço e alcance positivo que os artigos tem tido. O mundo precisa de um novo vocabulário, minha militância pessoal tem sido por esta via. Um abraço fraterno e até o próximo artigo.
Responder