Pub

Manifestação Brava Basta

Centenas de Bravenses sairam esta sexta-feira, 15 de março, às ruas para manifestar em frente ao Palácio do Governo, reivindicando melhores condições para sua ilha.

Várias foram as promessas feitas pelo MPD no âmbito da campanha, promessas essas que levaram os bravenses a apostarem neste Governo, fazendo fé na realização das mesmas de forma que a ilha pudesse subir o mesmo patamar de desenvolvimento das outras ilhas.

Contudo, o Governo liderado por Ulisses Correia e Silva, como já é habito, não cumpriu com as suas palavras. Hoje as condições da população da ilha Brava tornou-se cada vez mais dificil, o que tem motivado sussessivas manifestações.

Para dar voz a ilha, centenas de Bravenses voltaram ás ruas revindicando melhores condições para a ilha das flores. Para os manifestantes o Executivo “não tem assumido” as responsabilidades para com os cidadãos locais.

Os casos de casos de morte na ilha por falta de transporte, negligência médica, sem que tenha havido qualquer atribuição de responsabilidades, são motivos de grande revolta no seio da população bravense

Patrícia Martins, porta-voz do grupo, adiantou que a manifestação tem por objectivo dar continuidade à manifestação realizada na semana passada na Brava, juntando vozes para “reivindicar as promessas feitas, e não cumpridas”.

“Chega de promessas, as preocupações de todos os bravenses é que o Governo comece a olhar para esta ilha, como faz nas outras”, explicou, sublinhando que o povo bravense tem sofrido bastante e que uma mudança de atitude está a surtir efeito com as manifestações realizadas.

“O Governo esqueceu-se que o País tem mais uma ilha, não temos saúde, não tem educação, não temos transporte, nem meios de evacuação de doentes e nem plano de emergência para catástrofe eminente na ilha Brava, por causa dos sismos”, afirmou.

Com Inforpress



APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

A crise na imprensa mundial, com vários jornais a fechar as portas, tem um denominador comum: recursos financeiros. Ora, a produção jornalística, através de pesquisas, entrevistas, edição, recolha de imagens etc. Tem os seus custos. Enquanto está a ler e a ser informado, uma equipa trabalha incessantemente para levar a si a melhor informação, fruto de investigação apurada no estrito respeito pela ética e deontologia jornalisticas que caracterizam a imprensa privada, sobretudo.

Neste momento em que a informação factual é uma necessidade, acreditamos que cada um de nós merece acesso a matérias precisas e de interesse nacional. A nossa independência editorial significa que estabelecemos a nossa própria agenda e damos nossas próprias opiniões. O jornalismo do Santiago Magazine está livre de preconceitos comerciais e políticos e não é influenciado por proprietários ou accionistas ricos. Isso significa que podemos dar voz àqueles menos ouvidos, explorar onde os outros se afastam e desafiar rigorosamente aqueles que estão no poder.

Portanto, se quiser ajudar este site a manter-se de pé e fornecer-lhe a informação que precisa, já sabe que toda contribuição do leitor, grande ou pequena, é tão valiosa. Apoie o Santiago Magazine, da maneira que quiser, podendo ser através da conta nº 6193834.10.1 - IBAN CV64 000400000619383410103 – SWIFT: CANBCVCV - Correspondente: TOTAPTPL - Banco Caboverdeano de Negócios - BCN, ou por meio deste dispositivo do PayPal.


APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

Comentários  

0 # Di Longi 16-03-2019 06:30
O proximo governo vai trabalhar só na reposicao dos danos causados a Cabo Verde durante estes 4 ..5 anos pelo motor do ventoinha.
Responder
0 # Democracia 16-03-2019 01:38
Muito cuidado é pouco. Este Governo está a armadilhar o país para que qualquer outro Governo diferente dele venha a servir a um grupinho de empresários nacionais e internacioionais amigos, grupos esses que eglobam os proncipais servidores do partido que o sustenta. Mesmo que percam as eleições quem venha a governar terá grandes dificuldade de gerir o país sem colaborar com esse grupinho, cujos interesses não tem nada a ver com os almejos do povo necessitado. Estão a preparar o país para vierem a enriquecer. Vekam o apoio incondocional que Gualberto Rosário está a dar a este Governo porque lhe interessa individualmente o processo de transformação do país que vai de encontro com o desrvolvimento das suas empresas e da TECNICIL.
Responder
+1 # Governo salafrário 15-03-2019 20:16
Estar a viver num paīs aparentemente democrático com um governo corrupto, com um poder judicial ineficiente e sem oposição é a pioŕ forma de ditadura.
Responder