Pub

Estaline Moreno entrevista

O director nacional da Polícia Nacional, Emanuel Estaline Moreno, disse hoje que, em princípio, o assassinato do agente Hamilton Morais em Outubro pelo colega foi um acidente.

“O que aconteceu é um acidente, portanto, em princípio é um acidente, segundo consta, e vamos aguardar pelo resultado das investigações e no fim poderemos melhor pronunciar sobre esta questão”, declarou à imprensa no final de um Curso de Comando e Direcção Policial (CCDP), destinado a oficias da Polícia Nacional.

Emanuel Estaline Moreno reconheceu que se trata de um caso “triste”, mas que, no entanto, não mancha a cooperação policial.

Entretanto, informou que vão aguardar, com “serenidade”, que se conclua o processo, que já está sob a alçada do poder judicial.

“Isto de qualquer maneira é uma situação grave, mas não colocará em causa o nosso desempenho, porque a polícia nacional terá de estar sempre disponível e de prontidão para fazer face a qualquer situação a nível nacional”, assegurou.

O Tribunal da Comarca da Praia decretou no passado dia 23 de Novembro prisão preventiva como medida de coação ao agente da Polícia Nacional Eliseu Sousa suspeito de ter assassinado o colega Hamilton Morais, em Outubro último, no bairro de Tira Chapéu, na cidade da Praia.

Segundo informações policiais, o agente em causa, de 37 anos, que foi detido em cumprimento de um mandado de detenção do Ministério Público no dia 22, foi ouvido durante no mesmo dia, pelo juiz que lhe decretou prisão preventiva.

Recorde-se que por volta das 00:15 do dia 29 de Outubro, uma terça-feira, o Serviço de Piquete foi chamado, através do Centro de Comando, para intervir junto de dois indivíduos que se encontravam armados e em situação muito suspeita na zona de Tira Chapéu, na Praia.

“No local, ao se aperceberem da presença policial, os suspeitos puseram-se em fuga e, imediatamente, foram perseguidos, resultando dali disparo de armas de fogo, que terá atingido o agente de primeira classe Hamilton Morais, que foi socorrido imediatamente pelos colegas e transportado para o Hospital Agostinho Neto, onde viria a falecer, momentos depois, referiu na altura a PN em comunicado.

Chegou a ser capturado um indivíduo suspeito, mas este veio a ser liberado pela Polícia Judiciária, por não haver provas que este seria o autor do crime.

Sobre um outro caso que levou ao afastamento seguido de reforma compulsiva do comandante da esquadra de Assomada (Santa Catarina), o subintendente Afonso Tavares, depois da denúncia de alegada violação de uma mulher por um agente desta esquadra, Emanuel Estaline Moreno disse que é preciso aguardar pelos resultados do processo.

“O processo está a decorrer e está sob alçada de um procurador e, neste momento, as alegações estão a ser feitas e vamos ter de aguardar pelos resultados. A questão da suspensão do comandante ocorre por inerência das funções e da situação. Era a medida que tínhamos de tomar na altura até a conclusão do processo”, sublinhou.

Face a estes acontecimentos, o director nacional da Polícia Nacional pediu à população para continuar a confiar na Polícia Nacional, que, por sua vez, garantiu, vai continuar a fazer o seu trabalho de garantir a segurança dos cidadãos.

Fez saber que conjuntamente com outros parceiros vão implementar as 14 medidas anunciadas pelo Governo no sentido de devolver a tranquilidade aos cidadãos.

Com Inforpress



APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

A crise na imprensa mundial, com vários jornais a fechar as portas, tem um denominador comum: recursos financeiros. Ora, a produção jornalística, através de pesquisas, entrevistas, edição, recolha de imagens etc. Tem os seus custos. Enquanto está a ler e a ser informado, uma equipa trabalha incessantemente para levar a si a melhor informação, fruto de investigação apurada no estrito respeito pela ética e deontologia jornalisticas que caracterizam a imprensa privada, sobretudo.

Neste momento em que a informação factual é uma necessidade, acreditamos que cada um de nós merece acesso a matérias precisas e de interesse nacional. A nossa independência editorial significa que estabelecemos a nossa própria agenda e damos nossas próprias opiniões. O jornalismo do Santiago Magazine está livre de preconceitos comerciais e políticos e não é influenciado por proprietários ou accionistas ricos. Isso significa que podemos dar voz àqueles menos ouvidos, explorar onde os outros se afastam e desafiar rigorosamente aqueles que estão no poder.

Portanto, se quiser ajudar este site a manter-se de pé e fornecer-lhe a informação que precisa, já sabe que toda contribuição do leitor, grande ou pequena, é tão valiosa. Apoie o Santiago Magazine, da maneira que quiser, podendo ser através da conta nº 6193834.10.1 - IBAN CV64 000400000619383410103 – SWIFT: CANBCVCV - Correspondente: TOTAPTPL - Banco Caboverdeano de Negócios - BCN, ou por meio deste dispositivo do PayPal.


APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

Comentários  

+1 # Barbosa Mendes 27-11-2019 16:52
È lamentavel ouvir o que esse grande senhor disse e bem clara.Ali ele vem de demonstrar a sua capacidade de maneira como seus homens estão preparados muralmente e mentalmente.Se,o seu homem dentro daquela embuscada procedeu dessa forma sem pensando que ele estava dentro de uma povoação não em pleno mato onde sò vive os animais selvagens que ele podia ter feito mais desgraça é porque é a preparação que ele teve.Pelo tudo que se tem passado com os procedimentos desses homens do Estado dentro das Ilhas de Cabo Verde com seu poderes selvagem sem ninguem para os fazerem verem como se procedem dentro de qualquer mandado.Ali temos as provas da grande preparações que tiverem dentros das suas formações!Sr.Comandante essa sua mùsica sò passa em Cabo Verde porque muitos dos povos estão ainda a dormindo!
Responder
+1 # FIDEL CASTRO 27-11-2019 09:00
Ilustre comentadores, este despautério proferido pelo Director Nacional só pode ser deduzido da seguinte forma: Os senhores governantes que lhe deram tal posição que ocupa, lhe exigem agora, para efeito da limpeza da imagem da polícia nacional e do seu responsável máximo (Ministro da Administração Interna/Governo da República), comentar tal insensatez, da forma como ele comentou, ou seja, neste jogo o Director Nacional é só mais um fantoche/peão.
Responder
+3 # Adalberto Varela 27-11-2019 03:57
Um dos requisitos para a juiza ter aplicado a prisão preventiva é o dolo: ou seja a intençao de matar.
E mesmo se fosse acidente ('fogo amigo')porquê que o gajo não assumiu logo?
Essa declaração partindo de um Diretor Nacional é uma falta de consideração para com os familiares.
Portanto ele deve DEMITIR-SE ou Ser Demitido imediatamente, porque a paciência tem limite.
Responder
+2 # Cabral Semedo 26-11-2019 18:25
ACIDENTE ???!!!...
Responder
+10 # Elton Abreu Morais 26-11-2019 18:22
Eu sou suspeito ao falae deste caso porque o Hamylton Morais, e não "Hamilton Morais" é meu irmão.
Mas esse "Sr." Emanuel Moreno devia sim era pôr o seu cargo à disposição, senão vejamos:
Como é que o Diretor Nacional da PN, sem que se concluam as investigações vem dizer que "em princípio é acidente"???
Ou é muito ingénuo ou no mínimo não está ao nível do cargo que desempenha ou pior ainda, como familiar, se estão querendo protejer algum "peixe graúdo" dentro da instituição, senão porque é que o assasíno de meu irmão não declarou na hora, ou no dia, ser ele o autor do disparo. Deixando ser preso um "inocente" e depois no mesmo dia ser solto e 23 dias depois ser emitido um mandato de detenção ao agente assassino em causa para depois ser-lhe aplicado a medida de coação individual mais gravosa: prisão preventiva.
No mínimo dá que pensar... Não somos tolos e iremos até às últimas consequências para que as circunstancias da morte do meu saudoso irmão sejam averiguadas doa a quem doer.
Responder
+1 # Danny Gomes 27-11-2019 03:45
"Efetivamente nha irmon és terra li és sta ta brinka ku Vida de populaçon, pmd kusas de keli ka divia staba ta akonteçeba e pior ta tratado des forma li.
M' akedita ma diskuçu de Diretor Nacional ka tive a altura de kargo ké sta desempenha pamode ora ki nu sta perante situaçon grave cima keli, nu tem ki toma txeu kuidado ku kusa ki nu ta tra de boka.
M' sta konvitu ma justiça ta fazi sé trabadju ku imparcialidade e ki verdade ta ser apuradu, pa ki kulpadu seja responsabilizadu pa és atu BARBARRU.
FORÇA NHA IRMON!!!!!!!!!
Responder
+3 # Ernesto Rodrigues 26-11-2019 18:11
Acidente?
Ka nu tapa sol ku pinera ...
Responder
+3 # Gilson 26-11-2019 16:23
Sta dificil de cunfia na es instituição la ...Credibilidade de es instituição la pa mi sta négativo
Responder
+2 # Zepa Mandinga 26-11-2019 16:08
Meu Deus do Céu, como gostaria de acreditar nisso! Porquê só agora a explicação?
Responder