Pub

Ranitidina

A Entidade Reguladora Independente da Saúde (ERIS) mandou recolher lotes de medicamentos para tratar a azia e úlceras que contêm ranitidina, por terem detectado uma impureza, N-Nitrosodimethylamine (NDMA), na substância activa.

Esta publicação de segurança vem na sequência de um alerta internacional, no qual foram identificadas impurezas da classe das nitrosaminas em alguns medicamentos contendo ranitidina, substância activa utilizada no tratamento da úlcera péptica, esofagite de refluxo e síndrome de Zollinger-Ellison.

Em Cabo Verde, segundo a ERIS, constatou-se a existência de lotes dos medicamentos visados, pelo que, de acordo com o princípio da precaução, visando reduzir ao mínimo o risco e limitar a exposição a esta substância, aquela entidade reguladora determina a suspensão da comercialização e a retirada imediata de todos os lotes dos medicamentos em causa do mercado.

Sendo assim, determinou a ERIS que as entidades que possuam embalagens destes lotes em stock “não as podem vender, dispensar ou administrar, devendo proceder à sua devolução”.

No mesmo plano, “os doentes que disponham de embalagens pertencentes a estes lotes devem contactar o farmacêutico para as poderem substituir por uma embalagem de outro lote ou o médico no caso de ser prescrito um medicamento alternativo”.

“De referir que existem alternativas a estes medicamentos no mercado nacional, pelo que não se coloca o risco de desabastecimento”, afirma a ERIS, completando que continuará a acompanhar e a divulgar toda a informação de segurança sobre este assunto.

Com Inforpress



APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

A crise na imprensa mundial, com vários jornais a fechar as portas, tem um denominador comum: recursos financeiros. Ora, a produção jornalística, através de pesquisas, entrevistas, edição, recolha de imagens etc. Tem os seus custos. Enquanto está a ler e a ser informado, uma equipa trabalha incessantemente para levar a si a melhor informação, fruto de investigação apurada no estrito respeito pela ética e deontologia jornalisticas que caracterizam a imprensa privada, sobretudo.

Neste momento em que a informação factual é uma necessidade, acreditamos que cada um de nós merece acesso a matérias precisas e de interesse nacional. A nossa independência editorial significa que estabelecemos a nossa própria agenda e damos nossas próprias opiniões. O jornalismo do Santiago Magazine está livre de preconceitos comerciais e políticos e não é influenciado por proprietários ou accionistas ricos. Isso significa que podemos dar voz àqueles menos ouvidos, explorar onde os outros se afastam e desafiar rigorosamente aqueles que estão no poder.

Portanto, se quiser ajudar este site a manter-se de pé e fornecer-lhe a informação que precisa, já sabe que toda contribuição do leitor, grande ou pequena, é tão valiosa. Apoie o Santiago Magazine, da maneira que quiser, podendo ser através da conta nº 6193834.10.1 - IBAN CV64 000400000619383410103 – SWIFT: CANBCVCV - Correspondente: TOTAPTPL - Banco Caboverdeano de Negócios - BCN, ou por meio deste dispositivo do PayPal.


APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

Comentários  

0 # toto 25-09-2019 21:30
E' melhor assumir erros na vigilância q ter consequências , retificar e' de sábio
Responder