Pub

 Janira congresso

A presidente do PAICV, Janira Hopffer Almada, disse hoje que o maior partido da oposição cabo-verdiana está "em franca recuperação" e quer "ganhar pontos" no seu XVI congresso ordinário para conquistar as próximas eleições.

"O PAICV hoje está em franca recuperação, pelo trabalho feito, de forma árdua, abnegada, séria, honesta e com convicção e determinação", disse a líder do Partido Africano da Independência de Cabo Verde, no seu discurso na abertura do XVI congresso ordinário do partido, que arrancou esta noite na cidade da Praia.

Janira Hopffer Almada sustentou a sua afirmação, apontando a reorganização das estruturas, renovação dos órgãos das 10 regiões políticas, dos 19 setores a nível nacional e dos 10 setores na diáspora.

A líder partidária apontou ainda a renovação da Juventude (JPAI) e da Federação das Mulheres do partido, o relançamento da associação dos autarcas, investimento numa agente internacional que permitiu ao PAICV retomar e reforçar os laços com fundações estrangeiras.

No seu discurso na abertura do congresso, realizado na Assembleia Nacional de Cabo Verde, Janira Hopffer Almada afirmou que a prioridade do partido, que já governou o país, é "conquistar o futuro", mas para isso voltou a pedir união na defesa dos interesses do país.

"É essa a união que proponho, em torno da causa comum que é Cabo Verde. O PAICV deve trabalhar sempre e continuadamente na construção de uma coesão interna estribada naquilo que podemos fazer para as pessoas e para todos os cabo-verdianos", afirmou.

Na apresentação das propostas que serão socializadas, a presidente disse que espera "ganhar pontos" durante a reunião magna do partido para conquistar as próximas eleições.

Janira Hopffer Almada fez ainda uma "avaliação crítica" da situação atual do país, nos mais diversos setores, entendendo que Cabo Verde, governado pelo Movimento para a Democracia (MpD), precisa de uma visão estratégica e de reformas para dar o salto que precisa.

Com momentos musicais, a abertura do congresso contou com sala cheia na Assembleia Nacional de militantes, simpatizantes, representantes de partidos políticos nacionais, corpo diplomático, sociedade civil e dois antigos presidente do partido, Pedro Pires e José Maria Neves.

O XVI congresso do PAICV, que se prolonga até domingo, contará com 364 delegados, do país e da diáspora cabo-verdiana, e convidados de partidos de Angola, São Tomé e Príncipe e Portugal, Senegal, China e Guiné-Bissau.

Durante a reunião magna, que vai decorrer sob o lema "Cabo Verde: A Nossa Escolha", o partido vai ainda eleger os novos membros dos seus órgãos, nomeadamente o Conselho Nacional e a Comissão Nacional de Jurisdição e Fiscalização.

O congresso vai igualmente apreciar vários outros instrumentos do partido e será ainda debatida a Moção de Estratégia e de Orientação Política Nacional, sufragada nas eleições internas de dezembro, que reconduziram Janira Almada a mais um mandato à frente do partido.

A presidente foi reeleita em 22 de dezembro para um terceiro mandato à frente do PAICV, com 98% dos votos expressos, tornando-se no quinto presidente e a primeira mulher a liderar o partido, depois de Aristides Pereira, Pedro Pires, Aristides Lima e José Maria Neves.

Com Lusa

 



APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

A crise na imprensa mundial, com vários jornais a fechar as portas, tem um denominador comum: recursos financeiros. Ora, a produção jornalística, através de pesquisas, entrevistas, edição, recolha de imagens etc. Tem os seus custos. Enquanto está a ler e a ser informado, uma equipa trabalha incessantemente para levar a si a melhor informação, fruto de investigação apurada no estrito respeito pela ética e deontologia jornalisticas que caracterizam a imprensa privada, sobretudo.

Neste momento em que a informação factual é uma necessidade, acreditamos que cada um de nós merece acesso a matérias precisas e de interesse nacional. A nossa independência editorial significa que estabelecemos a nossa própria agenda e damos nossas próprias opiniões. O jornalismo do Santiago Magazine está livre de preconceitos comerciais e políticos e não é influenciado por proprietários ou accionistas ricos. Isso significa que podemos dar voz àqueles menos ouvidos, explorar onde os outros se afastam e desafiar rigorosamente aqueles que estão no poder.

Portanto, se quiser ajudar este site a manter-se de pé e fornecer-lhe a informação que precisa, já sabe que toda contribuição do leitor, grande ou pequena, é tão valiosa. Apoie o Santiago Magazine, da maneira que quiser, podendo ser através da conta nº 6193834.10.1 - IBAN CV64 000400000619383410103 – SWIFT: CANBCVCV - Correspondente: TOTAPTPL - Banco Caboverdeano de Negócios - BCN, ou por meio deste dispositivo do PayPal.


APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

Comentar