Pub
Por: Vieira Lopes

vieira lopes

Maniatado pela grande criminalidade, o simulacro de Estado (de Cabo Verde) não podia ter soberania nem Justiça, até que no dia 04.Set.2019, deu sinal de vida, depois de mais de 44 anos de não-Justiça, para a impunidade dos grandes malfeitores e altos mafiosos.
A Justiça, que agora deu sinal de começar a nascer, não pode parar nem quedar pelo bom começo : estejamos atentos e vigilantes, para que não seja bloqueada !

1. Na minha publicação de Outubro de 2010 sobre “O Caso PALMAREJO – A Maior Burla na História de Cabo Verde”, já tinha dito, já tinha escrito:

“A Democracia e a Justiça não conseguem existir e prevalecer sem o respeito à Legalidade e sem a responsabilização e punição dos criminosos graúdos: a Justiça não deve ser apenas para castigar o peixe miúdo, ou para, injusta, inconstitucional, corrupta e servilmente perseguir os Advogados que lutam pela Legalidade, enquanto os tubarões da Mafia de Cabo Verde desnaturam a Justiça, a Ordem dos Advogados e a política e, campeiam impunes sob a capa de políticos e de advogados sem vergonha, sem pudor e, sem o mínimo respeito à dignidade e à inteligência da maioria dos Caboverdeanos, que trabalham duramente para ganhar com honestidade o pão de cada dia.”

2. Excessivos, insuportáveis, os crónicos mais de 44 anos de INJUSTIÇA em Cabo Verde não podiam continuar vergonhosa e eternamente, porque o Povo, no País e na Diáspora, Cidadãos, Agentes da Judiciária e da Polícia, Advogados, Procuradores da República, Procurador-Geral da República e Juízes com honestidade, rectidão de consciência, sentido do Direito e amor a Cabo Verde haviam de dar tudo por tudo para resgatar a Moral e ressuscitar a Justiça.

3. Aqueles que galardoam a altos malfeitores pretextando benefícios dos mafiosos ao desenvolvimento devem ter em atenção e respeitar duas verdades fundamentais :

A primeira, que o crime, por mais desenfreado, desavergonhado e bilionário que seja, jamais é, jamais foi, jamais será factor de desenvolvimento, ao menos para os espíritos lúcidos e consciências não corrompidas, que o devem julgar, e o julgam, com severidade, porque destrói o próprio Estado (durante tanto tempo subvertido e sequestrado);

A segunda, que, na alma dos verdadeiros Juristas, vibram fortes aspirações de Verdade e sérios anseios de Justiça, motivo por que os autênticos Advogados, Procuradores da República, Procurador-Geral da República e Juízes têm a capacidade intelectual e moral de raciocínios puros e de juízos acertados, não raramente escassa, deserta ou ausente em “políticos”, sobretudo nos que vendem a alma por dinheiro.

4. Tomem nota, registem, Quarta-Feira, dia 04 de Setembro de 2019, a Justiça, de há longos anos moribunda e negada, começou a despertar, começou a nascer, n“O Caso PALMAREJO – A Maior Burla na História de Cabo Verde”;

5. Este começo de Justiça no “Caso PALMAREJO”, em que o MINISTÉRIO PÚBLICO agora terá reunido mais indícios e mais provas, não pode parar nem ser mandado parar, nem de forma directa, nem de forma perversa camuflada por transferências, substituições ou outro expediente de afastar os Magistrados que estejam a fazer bom trabalho:
Tem de avançar, tem de continuar, neste Caso em que as provas autênticas abundam, estão à vista de todos, e os crimes se entrelaçam com o narcotráfico, o branqueamento de capitais e o terrorismo internacional, componentes (do vasto e sortido leque da pluralidade criminosa real) que, por demasiadamente notórias e notadas, em legítima defesa dos meus Clientes, Ofendidos TAVARES HOMEM, da Sociedade, da Legalidade e da Justiça, desde sempre pude denunciar sem afectar o segredo de Justiça.

6. N“O Caso PALMAREJO – A Maior Burla na História de Cabo Verde”, dado público, não secreto, mas patente e do conhecimento geral, é o envolvimento de altos Malfeitores, que tornou necessárias as repetidas, fundamentadas e provadas denúncias públicas que fiz, na imprensa, para alertar os potenciais compradores a não caírem na rede de falsificações, burlas, branqueamentos de capitais e financiamento do terrorismo internacional e também para que os próprios Malfeitores e políticos seus “Padrinhos” pusessem mãos na consciência e parassem com aquilo que os enriquece pela via ilícita de crimes bilionários que deixam como Ofendidos não só os TAVARES HOMEM e outros Herdeiros, mas também Cabo Verde e os Países Democráticos avançados (EUA, UE), dadores de Ajuda a Cabo Verde, todos minados pelo narcotráfico e ameaçados pelo Terrorismo que estes crimes do “Caso PALMAREJO” descarada e ostensivamente nutrem e fomentam.

7. Uma outra dimensão juridicamente legitimadora da denúncia pública dos crimes d“O Caso PALMAREJO – A Maior Burla na História de Cabo Verde” está na magnitude que o DIREITO À JUSTIÇA alcançou no quadro dos DIREITOS HUMANOS FUNDAMENTAIS vigorosamente renascidos na Declaração de 12.Agosto.1941 e, que, daí em diante, inspiraram Declarações e Cartas de Direitos, Tratados e Convénios, Pactos e Convenções, Nacionais e Internacionais, e se derramaram até em textos de nítida cópia como a “Constituição da República de Cabo Verde”, CRCV, de modo que o DIREITO FUNDAMENTAL À JUSTIÇA se não esgota no estreito perímetro dos Órgãos forenses (Ministério Público e Tribunais) que o demorem ou neguem, porquanto estes Órgãos se inscrevem no âmbito de uma outra Instância maior e superior que os legitima (se e pela Justiça que fazem), que é o POVO (art. 210º, nº 1, da Constituição), que, por sua vez, é partícipe da Comunidade Internacional regida pelo DIREITO, que impõe o respeito ao DIREITO FUNDAMENTAL À JUSTIÇA, que o Estado não pode negar sem se tornar num Estado pariá (“rogue state”).

8. Aos Cidadãos honestos, aos comentadores isentos, ao POVO e à COMUNIDADE INTERNACIONAL, em nome dos meus Clientes TAVARES HOMEM e em meu nome pessoal, agradeço cordial e sinceramente o justo e caloroso apoio que me têm dado : “beatis eritis quod quoniam est honoris, gloriae et virtutis DEI super vos requiescit. (Bíblia Sagrada, I Epístola de S. Pedro, IV, 14)

9. Temos de continuar vigilantes agora que os Malfeitores começaram a ser apanhados, porque – na falta de argumentos para se defenderem – vão lançar mãos a calúnias mesquinhas e a manobras perversas para afastarem os Magistrados do Ministério Público e dos Tribunais que, cumprindo os deveres da função (arts. 209º e 225º da Constituição), os investiga criminalmente, não pelos cargos políticos que tenham ocupado, mas pelos crimes que (sem respeito a esses cargos) tenham cometido e pelos quais (crimes) a própria Constituição manda que sejam perseguidos criminalmente (art. 16º, nº 2, da Constituição).

10. Pelo facto de ocupar ou ter ocupado um cargo político, ninguém fica acima da LEI: o político responde no Parlamento e na Urna pelas falhas políticas; responde no Tribunal pelos crimes que tenha cometido: não é perseguição política o Ministério Público trazer à Justiça um Cidadão, político ou não, pelos crimes penalmente tipificados que tenha cometido.

11. Da parte dos Ofendidos TAVARES HOMEM, continuamos na disposição de produzir todas as provas suplementares que a JUSTIÇA entender pertinentes ou úteis e esperamos que TODOS continuem vigilantes, a acompanhar com atenção e serenidade este Caso por demais volumoso, em que os Órgãos do MINISTÉRIO PÚBLICO devem ser respeitados na serenidade que a vastidão e os meandros deste Caso exigem daqueles que o investigam.

12. Agora que a Justiça começou a nascer, continue a nossa luta pela Verdade e pela Justiça, n “O Caso PALMAREJO – A Maior Burla na História de Cabo Verde”, e, bem presentes as PALAVRAS DIVINAS :
“Ninguém te poderá resistir enquanto viveres; EU estarei contigo, como estive com Moisés; EU não te deixarei, EU não te abandonarei. Sê firme e tem coragem.”
(Bíblia Sagrada, Josué, I, 5 e 6)


Planalto da Esperança, Praia, Setembro 09, 2019

Vieira Lopes
Advogado, Jurisconsulto



APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

A crise na imprensa mundial, com vários jornais a fechar as portas, tem um denominador comum: recursos financeiros. Ora, a produção jornalística, através de pesquisas, entrevistas, edição, recolha de imagens etc. Tem os seus custos. Enquanto está a ler e a ser informado, uma equipa trabalha incessantemente para levar a si a melhor informação, fruto de investigação apurada no estrito respeito pela ética e deontologia jornalisticas que caracterizam a imprensa privada, sobretudo.

Neste momento em que a informação factual é uma necessidade, acreditamos que cada um de nós merece acesso a matérias precisas e de interesse nacional. A nossa independência editorial significa que estabelecemos a nossa própria agenda e damos nossas próprias opiniões. O jornalismo do Santiago Magazine está livre de preconceitos comerciais e políticos e não é influenciado por proprietários ou accionistas ricos. Isso significa que podemos dar voz àqueles menos ouvidos, explorar onde os outros se afastam e desafiar rigorosamente aqueles que estão no poder.

Portanto, se quiser ajudar este site a manter-se de pé e fornecer-lhe a informação que precisa, já sabe que toda contribuição do leitor, grande ou pequena, é tão valiosa. Apoie o Santiago Magazine, da maneira que quiser, podendo ser através da conta nº 6193834.10.1 - IBAN CV64 000400000619383410103 – SWIFT: CANBCVCV - Correspondente: TOTAPTPL - Banco Caboverdeano de Negócios - BCN, ou por meio deste dispositivo do PayPal.


APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

Comentários  

+3 # Jacky 16-09-2019 12:27
O único homem digno que está a devolver a liberdade retirada ao povo destas ilhas nos anos 1990. Veio a independência e estes dos anos 1990, não ficaram satisfeitos pois queriam que continuássemos debaixo do jugo colonial. Nos anos 1990, vieram acabar com a independencia, a justiça, a diginidade do povo caboverdiano, instalando, bem instalado, a quadrilha, a afronta, a maldade, a roubalheira, sob o nome, capa e carimbo da democracia que não passa duma farsa, porque onde não há justiça jamais poderá haver democracia. O povo "coitadinho" acredita que existe a democracia porque em qualquer beco, aparece um colarinho branco a dizer que há democracia. Nunca se viu tanta pouca vergonha desde 1460 em Cabo Verde. Ladrões e seus defensores todos para a cadeia. sem vergonhas! Dr. Vieira Lopes tem toda a razão. Tem que devolver as propriedades aos reais donos e deixem de conversas. É claro que vão fazer fica pé, como qualquer ladrão, de que os terrenos alheios vos pertencem por isto e mais aquelas razões. O certo é que estão tramados! Não se esqueçam disso. A quadrilha não triunfará!
Responder
+5 # Bento Fortes 15-09-2019 07:33
O sistema foi montado nos anos 90 por carlos veiga, jorge carlos fonseca e eurico monteiro. É um sistema que a justiça é controlada. A justiça é onde tudo vai desembocar. Por isso temos quer ter em maos (disse cv).
Agora pergunto: quem elegeu os juizes? Se os juizes decidirem por conviniencia qual é a puniçao?
Porque o povo nao faz parte do juri de julgamento?
Porque o orçamento da justiça (tres poderes) é decedidi pelo ministro das finanças?
Enfim. O ESQUEMA ESTÁ MONTADO
Responder
+10 # Amândio Barbosa Vic 12-09-2019 17:09
Se há quem mereça uma condecoração em Cabo Verde, é o Dr. Vieira Lopes, mas ele está do lado dos que sao contra a corrupção, se estive do lado dos corruptos seria condecorado pelo Presidente Jorge Fonseca; é verdade que devemos unir e tornarmos um bloco para nao inverterem o rumo dos acontecimentos; no entanto, nao esquecer que enquanto os que tem beneficiado com o actual sistema da nao justiça lutam bravamente para a defesa do status quo - conhecem os ganhos e lucros - os que estao do lado oposto lutam com a força minima, fazem o minimo, não conhecem os ganhos e lucros que um sistema da justiça efectiva pode promover - é preciso estar ciente disso e lutar com força contra os corruptos desta terra; Vieira Lopes merece uma condecoração, um dia um verdadeiro representante do povo dará esta condecoração ao Dr. Vieira Lopes, esperemos que ainda estejamos a tempo de ter o Dr. Vieira Lopes entre o mundo dos vivos!
Responder
+11 # Robin 12-09-2019 08:52
Está é uma batalha entre o Bem e o Mal. Entre aqueles que defendem a Justiça, o Povo, a Honestidade e o Carácter e aqueles que defendem o enriquecimento fácil, a desonestidade do desprezo pelo povo e pelo país. O Mal ao invocar a política já convocou as suas tropas (políticos desonestos, mafiosos, interesseiros, demagogos, etc. Cabe ao Bem, agora, convocar tb as suas tropas.
Responder
+8 # SÓCRATES DE SANTIAGO 11-09-2019 23:04
Faço bem minhas as sensatas palavras do meu confrade comentador, Daniel A.
Responder
+9 # roxana aguilera 11-09-2019 22:06
Eu também fico atenta ao começo da Justiça
Responder
+11 # Daniel A. 11-09-2019 21:59
Um texto que vale a pena ler. Temos, efectivamente, todos de nos mantermos vigilantes e solidários com a Verdade e com a Justiça . Ao lançar mão da “perseguição política “, compreendemos todos que se trata de uma estratégia de chamamento da poderosa Rede e seus conhecidos Padrinhos, uns cá dentro e outros circunstancialmente, fora, para se constituírem numa força de bloqueio e condicionamento da Justiça que, finalmente descolou. Nos, o povo e os homens íntegros, ceremos fileiras para suportar os magistrados e os agentes judiciários que corajosamente fizeram descolar a Justiça cabo-verdiana ! Com coragem, sentido de Missão, continuemos, pois, com os sinais dados, esta batalha pela Verdade e pela Justiça, precisará de todas as pessoas de bem, já que, do outro lado, terá um cartel de mafiosos endinheirados a querer obstaculiza-los. O povo unido, jamais será vencido ! ...
Responder
+13 # Justiça de Deus 11-09-2019 19:14
Vieira Lopes desde há muito vem reclamando por uma justiça justa. Os juizes não fazem nada, porém tal negligência relaciona_se à igorancia da justiça divina. Ai dos juizes coruptos quem vos ensinou a livrar da fúria de um Deus irado. A justiça só funciona para as pessoas mais fracas. A maioria dos juristas está preocupado com dinheiro ilicito e mais nada. A justiça divina tarda, mas virá. Ninguém pode escapa da ira vindoura. Ninguém solidarizou com os herdeiros "Tavares Homem". Steve Job foi rico mas antes de morrer deixou uma mensagem que admoesta aos amantes do dinheiro.Ninguém leva nada deste mundo.
Responder