Pub

lino magno

Quando tudo parece obscuro e complexo, quando as dores nos antecipam como nuvens negras, abeirando os nossos altares sagrados. Momentos sombrios que parecem não desapegar. Uma fobia que desafia o âmago do ser, um ser para viver livre e completo. Uma completude plena, sem nos sucumbir nas entrelinhas caóticas. Vozes que intensificam como peças intocáveis. Uma atitude sem sintonia, uma liberdade que inquieta, uma ânsia que embriaga como uma melodia antagônica. Em busca de uma liberdade livre, rompendo cadeias, num descompasso com nuance de tédio, gélido e pálido. Uma liberdade que encanta uma alma deprimente, um grito de socorro no cerne da consciência consciente, sem se perder nas perdas do passado longínquo e nas feridas cicatrizadas. Atitudes que aprisionam, fechando os ciclos que antes a liberdade livre desabrochou, e agora não mais alegria com canto de melodias, amor que solidifica e a esperança que encanta. Uma liberdade condicionada por fatores ambíguos, numa amplitude controverso, sem nexos ortodoxos, numa vivência puramente paralisante.

Que liberdade que tanto se almeja, numa busca incessante, quanto mais procura menos sentido faz para um ser sem razão fundamental. Uma autêntica manipulação de sentido com ar de velocidade impaciente, sem saber que a incógnita perplexidade ainda se mantém implacável. Uma liberdade de atitude que emana da própria liberdade de ser, sem viver numa cláusura pessoal, íntima, numa rejeição constante, uma prisão emocional.

Nada mais do que um sentimento de impotência quando se quer olhar sem medo dos julgamentos patológicos, de vozes pre-concebidas. Um anseio de superação, mas que se suprime num argumento fechado e circulatório. Quando me encontrei numa paz segura, num ambiente sem nó, nada que fosse secundário e nem fugas, então a liberdade de atitude numa óptica concreta se baixou, fez-se o seu reinado e assumiu o trono do ser.



APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

A crise na imprensa mundial, com vários jornais a fechar as portas, tem um denominador comum: recursos financeiros. Ora, a produção jornalística, através de pesquisas, entrevistas, edição, recolha de imagens etc. Tem os seus custos. Enquanto está a ler e a ser informado, uma equipa trabalha incessantemente para levar a si a melhor informação, fruto de investigação apurada no estrito respeito pela ética e deontologia jornalisticas que caracterizam a imprensa privada, sobretudo.

Neste momento em que a informação factual é uma necessidade, acreditamos que cada um de nós merece acesso a matérias precisas e de interesse nacional. A nossa independência editorial significa que estabelecemos a nossa própria agenda e damos nossas próprias opiniões. O jornalismo do Santiago Magazine está livre de preconceitos comerciais e políticos e não é influenciado por proprietários ou accionistas ricos. Isso significa que podemos dar voz àqueles menos ouvidos, explorar onde os outros se afastam e desafiar rigorosamente aqueles que estão no poder.

Portanto, se quiser ajudar este site a manter-se de pé e fornecer-lhe a informação que precisa, já sabe que toda contribuição do leitor, grande ou pequena, é tão valiosa. Apoie o Santiago Magazine, da maneira que quiser, podendo ser através da conta nº 6193834.10.1 - IBAN CV64 000400000619383410103 – SWIFT: CANBCVCV - Correspondente: TOTAPTPL - Banco Caboverdeano de Negócios - BCN, ou por meio deste dispositivo do PayPal.


APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

Comentários  

0 # Sandra oliviveira 25-01-2019 08:34
Muito forte esse penssamento,as vezes queremos tanto algunha coisa que esqucemos que a ultima palavra e de Deus.
Responder
+1 # Sandra oliviveira 04-02-2019 19:09
Vdd pastor lino...as vezes tantas coisas e esquecemo das vontades de Deus nas nossas vidas..estou um pouco triste ..mais sei que Deus e maior na minha vida...
Responder