Pub

Que bom que as comemorações em família ainda aconteçam! Uma delas foi instituída no texto de hoje, quando os israelitas se prepararam para deixar a escravidão no Egito. Eles foram libertados pela intervenção de Deus. Este é um fato histórico! Deus demonstrou seu poder na ocasião e também no decorrer dos séculos. Em outra Páscoa, Jesus Cristo morreu uma cruz e depois ressuscitou, vencendo a morte. Ele deu novo sentido àquela celebração e também institui a Ceio do Senhor: em todos os tempos, cristãos comemoram aquele incomparável sacrifício até que Jesus volte (1Co 11.26). O mesmo Jesus Cristo que morreu por nós naquela ocasião hoje ainda concede vida eterna aos que creem nele.

Podemos ver também que aquela primeira Páscoa foi celebrada pelas famílias, incluindo até o compartilhamento do alimento entre elas (v4). O Novo Testamento refere-se à igreja como família de Deus (Ef 2.19). Porém, muitas pessoas se isolam, como se estivessem separadas por paredes invisíveis, e não se percebe a existência de um relacionamento saudável sequer na adoração, muito menos que formem uma só família em Cristo. É assim em sua vida? Espero que não! Mas que porventura este for o seu caso, ore ao Senhor pedindo que ele mostre o que fazer para desenvolver um bom convívio com os outros, de maneira que ele se torne cada vez mais íntimo e caloroso por meio do amor mútuo (Fp 1.9).

Além de ser em família, a celebração incluía a necessidade de se testar alerta, pronto para viajar a qualquer momento. O sentido de urgência estava bem claro para aqueles israelitas. De igual modo, milhares de anos depois, hoje a volta de Jesus Cristo está cada vez mais próxima. O cristão deve estar pronto, esperando seu Senhor (Mt 24.42-44). Que ele nos encontre em paz com Deus e com aqueles que nos cercam!-EOL.

Comemoramos o que Cristo já fez na expectativa do que ele ainda fará.



APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

A crise na imprensa mundial, com vários jornais a fechar as portas, tem um denominador comum: recursos financeiros. Ora, a produção jornalística, através de pesquisas, entrevistas, edição, recolha de imagens etc. Tem os seus custos. Enquanto está a ler e a ser informado, uma equipa trabalha incessantemente para levar a si a melhor informação, fruto de investigação apurada no estrito respeito pela ética e deontologia jornalisticas que caracterizam a imprensa privada, sobretudo.

Neste momento em que a informação factual é uma necessidade, acreditamos que cada um de nós merece acesso a matérias precisas e de interesse nacional. A nossa independência editorial significa que estabelecemos a nossa própria agenda e damos nossas próprias opiniões. O jornalismo do Santiago Magazine está livre de preconceitos comerciais e políticos e não é influenciado por proprietários ou accionistas ricos. Isso significa que podemos dar voz àqueles menos ouvidos, explorar onde os outros se afastam e desafiar rigorosamente aqueles que estão no poder.

Portanto, se quiser ajudar este site a manter-se de pé e fornecer-lhe a informação que precisa, já sabe que toda contribuição do leitor, grande ou pequena, é tão valiosa. Apoie o Santiago Magazine, da maneira que quiser, podendo ser através da conta nº 6193834.10.1 - IBAN CV64 000400000619383410103 – SWIFT: CANBCVCV - Correspondente: TOTAPTPL - Banco Caboverdeano de Negócios - BCN, ou por meio deste dispositivo do PayPal.


APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

Comentários  

0 # Torres 06-03-2018 12:21
Essa é uma inovação! Está a ajudar-me e muito .
Continue Boas novas !!!
Responder