Pub
Por: Mário Loff

 Mário Loff

nton era nhos ki es meti korpu na selas

i nhos alma nega pur interu

dentu di selas di zunzun di silenciu

era so pedras na si prufundu stilu:

e mesmu assim nhos alma fika nteru

 

nton era nhos ki tradu di dentul kasa i dexa porta saradu

ku um padas di nhos sombra na rostu di koraju

era nhos ki era kes homis inpolutu

ki un parti di liberdadi foi traficadu pa silenciu!

éra nhos ki binha ku rivolta

sima kes homis ki korenti korda na ses pés ku mo

la cidadi di nome bedju

 

nbora nhos juventudi inda sata txeraba ku txeu odor e raiba,

sima ondia ora ki ta guarda segredu na limus verdi i salgadu

moda kes lagrimas ki sai na dispidida sen kontentamentu

 

oxi kes limus sta presu na kes pedras pretu ta guarda segredu

di un purgunta sem risposta.

pa tras fika un desejo

em nomi di un esperansa ratxadu na meiu di testa.

 

inda na kel dia ki pasaru branku bem

kel pedra fika, na paredi, na selas, na rua, na vida

i inda e fika na rin di kes presus

senpri em silenciu

sem fla ma kel otu dia serenu era 25 de abril

i na mundu ta flaba, nhos bem homis

nhos ben ki oxi é mas livri inda

mas kel pedra inda sta li mudu sima giganti graciosa.

 

Piska dor

é un pena ki desdi pedra npena

nkantada di nomi bentu ta odja piskador ta puxa dor,

na nbera di graciosa algun stikon di txeru forti di indor

na un mo meiu visível i un stikon na boka di tibaron

 

na kantigas di paxenxa.

sen ten materias, i siencia

pa dikubri sekredu di baxul lagual mar.

mesmu ki na terá ses pontaria ka pa pexon

la na funfu di mar es ta fisga kes tubaron mas poderosu

 

si agu trabesa pa ndreta, e ka signu di sagitariu, e nen

astrologia ki ta mori na bokal lua ki ta nasi na sul

e agu tudu panorti i redias trabesadu na paxenxa

di un pexi mas grandi di ki mundu.

 

mesmu ki truvon rabenta na mar,

kel paxenxa ta aguenta paxenxa na palmus di mo,

si kre un sinal na texta ka ta frixifrixi.

kurason di pexera ka ta entra na krisi.

 

mesmu ki el kel sinhora ki banhera e si bandera ,

i mesmu ki homenagi fikaba presu na beton di kasa

sta na valdumar ku klaudiomar,

ki tinda ta prinda salmura na kantu di odju na dispidida di si pai.

mesmu asin, pexera ten kulpa brandu

nbora si maridu ta pol kornu so ora ki

nkantada txomal.- homi di mar.



APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

A crise na imprensa mundial, com vários jornais a fechar as portas, tem um denominador comum: recursos financeiros. Ora, a produção jornalística, através de pesquisas, entrevistas, edição, recolha de imagens etc. Tem os seus custos. Enquanto está a ler e a ser informado, uma equipa trabalha incessantemente para levar a si a melhor informação, fruto de investigação apurada no estrito respeito pela ética e deontologia jornalisticas que caracterizam a imprensa privada, sobretudo.

Neste momento em que a informação factual é uma necessidade, acreditamos que cada um de nós merece acesso a matérias precisas e de interesse nacional. A nossa independência editorial significa que estabelecemos a nossa própria agenda e damos nossas próprias opiniões. O jornalismo do Santiago Magazine está livre de preconceitos comerciais e políticos e não é influenciado por proprietários ou accionistas ricos. Isso significa que podemos dar voz àqueles menos ouvidos, explorar onde os outros se afastam e desafiar rigorosamente aqueles que estão no poder.

Portanto, se quiser ajudar este site a manter-se de pé e fornecer-lhe a informação que precisa, já sabe que toda contribuição do leitor, grande ou pequena, é tão valiosa. Apoie o Santiago Magazine, da maneira que quiser, podendo ser através da conta nº 6193834.10.1 - IBAN CV64 000400000619383410103 – SWIFT: CANBCVCV - Correspondente: TOTAPTPL - Banco Caboverdeano de Negócios - BCN, ou por meio deste dispositivo do PayPal.


APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

Comentar