Pub

evandro1

Evandro Lopes, 31 anos, polícia da Guarda Fiscal e um dos três agentes suspeitos de assalto a residências, foi morto com sete tiros na madrugada deste domingo… com sua própria arma. O suposto agressor, Fender, já está detido.

O caso aconteceu por volta das 3h35 da manhã deste domingo, na zona de Achadinha de Cima, na cidade da Praia. Evandro Lopes, de 31 anos e residente no bairro da Calabaceira, foi encontrado baleado no chão a alguns metros de distância da sua viatura, que até depois das 6h00 da manhã ainda estava com as luzes acesas e a ignição aberta.

carro1carro2Fender

Imagens da viatura do agente no local do crime e de Fender, o suposto atirador

 

Ao que este jornal apurou, o policial teria se envolvido numa discussão com Fender, um ex-presidiário com quem já teria uma altercação em tempos. Desceu da sua viatura e teria golpeado Fender com uma coronhada na testa. Só que, na refrega, o ex-presidiário conseguiria desenvencilhar-se do policial e sacar-lhe a arma, com a qual dispararia a matar sete vezes contra o agente - três na cabeça e s restantes nas diferentes partes do corpo.

Evandro Lopes morreria na hora, enquanto o suposto agressor, Fender, se punha em fuga. Mas já de manhã a Polícia Judiciária o capturou e o levou para interrogatório na sua sede em Achada Grande, onde se encontra detido até ser levado a tribunal, amanhã, segunda-feira, 4, para legalização da prisão.

Note-se que o agente da Guarda Fiscal era tido como um dos três agentes da polícia – os outros dois são da Polícia Nacional – suspeitos de assaltos a residências na cidade da Praia e outras localidades de Santiago. O processo deste caso corre seus trâmites legais junto do Tribunal e os agentes (pelo menos os da PN) foram desarmados e suspensos das respectivas corporações.

evandro 400 727



APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

A crise na imprensa mundial, com vários jornais a fechar as portas, tem um denominador comum: recursos financeiros. Ora, a produção jornalística, através de pesquisas, entrevistas, edição, recolha de imagens etc. Tem os seus custos. Enquanto está a ler e a ser informado, uma equipa trabalha incessantemente para levar a si a melhor informação, fruto de investigação apurada no estrito respeito pela ética e deontologia jornalisticas que caracterizam a imprensa privada, sobretudo.

Neste momento em que a informação factual é uma necessidade, acreditamos que cada um de nós merece acesso a matérias precisas e de interesse nacional. A nossa independência editorial significa que estabelecemos a nossa própria agenda e damos nossas próprias opiniões. O jornalismo do Santiago Magazine está livre de preconceitos comerciais e políticos e não é influenciado por proprietários ou accionistas ricos. Isso significa que podemos dar voz àqueles menos ouvidos, explorar onde os outros se afastam e desafiar rigorosamente aqueles que estão no poder.

Portanto, se quiser ajudar este site a manter-se de pé e fornecer-lhe a informação que precisa, já sabe que toda contribuição do leitor, grande ou pequena, é tão valiosa. Apoie o Santiago Magazine, da maneira que quiser, podendo ser através da conta nº 6193834.10.1 - IBAN CV64 000400000619383410103 – SWIFT: CANBCVCV - Correspondente: TOTAPTPL - Banco Caboverdeano de Negócios - BCN, ou por meio deste dispositivo do PayPal.


APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

Comentários  

0 # Lela Mindel 03-12-2017 17:00
Não que tenho algo a criticar sobre este macabro assassinato, muito menos - longe de mim - criticar o Santiago Magazine. É que, precisamente nos fins de semana, altura que tenho tempo para me dedicar à leitura dos acontecimentos nacionais, e não só, não consigo acessar o conteúdo da notícia, o importante para mim, mas, sim, remetido para os comentários dos leitores. Parece-me tratar-se de um problema técnico que, facilmente, o "Magazine" pode facilmente resolver.
Grande abraço e continuação de bom trabalho, a bem da todos e da Nação.
Meu muito Obrigado!
Responder