Pub

Embaixada de portugal em cabo verde

A secção consular da Embaixada de Portugal em Cabo Verde está a registar um acréscimo dos pedidos de informação sobre nacionalidade, quando circulam boatos nas redes sociais sobre o direito dos cabo-verdianos à nacionalidade portuguesa.

O encarregado desta secção consular, Tiago de Brito Penedo, em declarações à agência Lusa, disse que “tem havido um acréscimo dos pedidos de informação sobre nacionalidade, tanto presencialmente como por telefone ou e-mail”.

“Os cidadãos têm vindo a ser orientados quanto à melhor forma de esclarecerem o seu caso particular”, o que passa pela consulta do site e do Guia da Nacionalidade do Ministério da Justiça.

A multiplicação de informações erradas nas redes sociais, dando conta de uma alteração à Lei da Nacionalidade, que não aconteceu, levou mesmo a secção consular da Embaixada de Portugal em Cabo Verde a emitir um esclarecimento através da sua página no Facebook.

Tiago de Brito Penedo sublinhou que a origem do boato é desconhecida e esclareceu que “a última alteração à Lei da Nacionalidade ocorreu há mais de um ano”, em 05 de Julho de 2018.

“Não existe nenhuma alteração recente que pudesse ter dado origem a mal-entendidos”, referiu.

A secção consular da Embaixada de Portugal em Cabo Verde garante que vai acompanhar a situação e que “poderá eventualmente emitir esclarecimentos que julgue que possam ajudar a elucidar os cidadãos cabo-verdianos em relação ao assunto”.

A Lusa presenciou, na secção consular da Embaixada de Portugal em Cabo Verde, na Praia, vários pedidos de informação de cidadãos cabo-verdianos sobre a alegada “nova” Lei da Nacionalidade, convencidos que poderiam obter a nacionalidade portuguesa.

Com Lusa



APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

A crise na imprensa mundial, com vários jornais a fechar as portas, tem um denominador comum: recursos financeiros. Ora, a produção jornalística, através de pesquisas, entrevistas, edição, recolha de imagens etc. Tem os seus custos. Enquanto está a ler e a ser informado, uma equipa trabalha incessantemente para levar a si a melhor informação, fruto de investigação apurada no estrito respeito pela ética e deontologia jornalisticas que caracterizam a imprensa privada, sobretudo.

Neste momento em que a informação factual é uma necessidade, acreditamos que cada um de nós merece acesso a matérias precisas e de interesse nacional. A nossa independência editorial significa que estabelecemos a nossa própria agenda e damos nossas próprias opiniões. O jornalismo do Santiago Magazine está livre de preconceitos comerciais e políticos e não é influenciado por proprietários ou accionistas ricos. Isso significa que podemos dar voz àqueles menos ouvidos, explorar onde os outros se afastam e desafiar rigorosamente aqueles que estão no poder.

Portanto, se quiser ajudar este site a manter-se de pé e fornecer-lhe a informação que precisa, já sabe que toda contribuição do leitor, grande ou pequena, é tão valiosa. Apoie o Santiago Magazine, da maneira que quiser, podendo ser através da conta nº 6193834.10.1 - IBAN CV64 000400000619383410103 – SWIFT: CANBCVCV - Correspondente: TOTAPTPL - Banco Caboverdeano de Negócios - BCN, ou por meio deste dispositivo do PayPal.


APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

Comentários  

+1 # Arena crítica 12-07-2019 16:46
Eu próprio fui ludibriado com essa informação, dando crédito a uma pessoa supostamente informada. Mais uma vez, ficou provado que a maior parte da informação veiculada nas redes sociais, Facebook, sobretudo, não passa de fake News. Num país onde a mentira e a verdade se equivalem, é preciso ter muito cuidado. Faço um apelo às autoridades públicas no sentido de desmentirem com maior rapidez uma notícia falsa.
Responder