Pub

 JHAlmada

O Partido Africano para Independência de Cabo Verde (PAICV) defende que o Governo deve renunciar a algumas taxas e impostos que arrecada, com o aumento dos preços de energia da água, em favor das empresas e dos cabo-verdianos.

Em comunicado de imprensa, em reacção ao aumento dos preços de energia da água, o maior partido da oposição considera que esta medida vai ter impacto no investimento das empresas, afectará o emprego e, consequentemente, a taxa de desemprego, “o que reflectirá no crescimento económico”.

“Enquanto os cofres das empresas e os bolsos dos cabo-verdianos se esvaziam, os do Estado aumentam, pois concomitantemente sobem os impostos e taxas que recaem sobre esses bens, sem que haja contrapartidas directas ou indirectas em benefício dos cidadãos”, explica.

Aponta que, para as famílias, o último aumento de energia foi de 8,46 por cento (%), sendo que da água foi de 5,31%, números que, de acordo com o PAICV, vão aumentar o preço de todos os bens de primeira necessidade, numa situação em que “não há qualquer aumento do rendimento das famílias”.

“Estamos a falar de bens básicos que constituem, também, dos principais factores de produção, e que são dos principais elementos a levar em conta na avaliação contabilística dos custos de produção e de realização de uma actividade comercial ou industrial”, esclarece o comunicado.

Com Inforpress



APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

A crise na imprensa mundial, com vários jornais a fechar as portas, tem um denominador comum: recursos financeiros. Ora, a produção jornalística, através de pesquisas, entrevistas, edição, recolha de imagens etc. Tem os seus custos. Enquanto está a ler e a ser informado, uma equipa trabalha incessantemente para levar a si a melhor informação, fruto de investigação apurada no estrito respeito pela ética e deontologia jornalisticas que caracterizam a imprensa privada, sobretudo.

Neste momento em que a informação factual é uma necessidade, acreditamos que cada um de nós merece acesso a matérias precisas e de interesse nacional. A nossa independência editorial significa que estabelecemos a nossa própria agenda e damos nossas próprias opiniões. O jornalismo do Santiago Magazine está livre de preconceitos comerciais e políticos e não é influenciado por proprietários ou accionistas ricos. Isso significa que podemos dar voz àqueles menos ouvidos, explorar onde os outros se afastam e desafiar rigorosamente aqueles que estão no poder.

Portanto, se quiser ajudar este site a manter-se de pé e fornecer-lhe a informação que precisa, já sabe que toda contribuição do leitor, grande ou pequena, é tão valiosa. Apoie o Santiago Magazine, da maneira que quiser, podendo ser através da conta nº 6193834.10.1 - IBAN CV64 000400000619383410103 – SWIFT: CANBCVCV - Correspondente: TOTAPTPL - Banco Caboverdeano de Negócios - BCN, ou por meio deste dispositivo do PayPal.


APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

Comentários  

0 # LTavares 30-03-2019 14:30
Na anterior Governaçao, era corriqueiro ouvir o MPD referir que o PAICV estava a engordar o Estado. Agora, com a mudança de galos, o poleiro ficou mais cagado. TACV que voa para mais de 24 destinos mas, nao voa para Santiague e SonCente (abasofaria que nao serve a maioria dos criole), muitas taxas, mais impostos, menos agua, menos luz. SO INTCHADURA. Agora este Estado está de facto a ficar mais GORDAO e para servir a quem? AOS BOYSes!
Responder
0 # LTavares 29-03-2019 22:19
Quem viu quem vê este Partido agora no governo. Sentimo-nos ESPOLIADOS so sabermos que nossos votos continuam sendo mal geridos e nao somos forçados a esperar ate as proximas eleiçoes. Desilusao total!
Responder