Pub

Encontro Cabo Verde e Portugal

O ministro cabo-verdiano dos Negócios Estrangeiros e Comunidades e a secretária de Estado dos Negócios Estrangeiros e da Cooperação de Portugal, estiveram esta segunda-feira, 14, reunidos na Cidade da Praia para analisar novas áreas de cooperação entre os dois países.

O encontro decorreu esta manhã, no âmbito da visita de cinco dias que Teresa Ribeiro efectua a Cabo Verde a partir desta segunda-feira, cuja finalidade é fazer o balanço da execução do Programa Estratégico de Cooperação (PEC 2017-2021) e perspectivar a cooperação entre os dois países.

Segundo avançou a governante, este encontro serviu para analisar a cooperação desenvolvida entre Cabo Verde e Portugal nos últimos dois anos e procurar novas formas de aprimorar essa relação “excelente” e que abrange diversas áreas.

“Na área da educação vamos continuar a nossa colaboração, e a nível cultural pretendemos assinar, em Março deste ano, um programa de cooperação pró-cultura, que envolverá um conjunto dos Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa (PALOP) e estou certo que Cabo Verde terá um papel fundamental no desenvolvimento das indústrias criativas face a sua grande tradição nessa componente”, sublinhou.

Teresa Ribeiro informou que durante o encontro tiveram ainda a oportunidade de falar sobre projectos entre os dois países a nível da educação, saúde, defesa, segurança marítima, justiça, cooperação técnico-profissional, ambiente, energia, água, mas também do compacto lusófono do Banco Africano para o Desenvolvimento (BAD).

“Podemos constatar que Cabo Verde já fez um extraordinário trabalho de criação do ecossistema necessário para que o compacto lusófono tenha um contributo incontornável para o desenvolvimento económico industrial do arquipélago”, observou a governante que se mostrou confiante que esses projectos terão “grandes resultados”.

Por seu turno, Luís Filipe Tavares disse estar muito “optimista” e “satisfeito” com a cooperação desenvolvida com Portugal, que, segundo ele, tem sido um “parceiro estratégico” de Cabo Verde já que o quadro político de relacionamento “tem sido muito bom”.

“Vamos continuar a trabalhar para identificar novas áreas de cooperação e, até ao final do ano, vamos fazer a avaliação dessa cooperação e do plano estratégico em curso”, avançou o chefe da diplomacia cabo-verdiana informando que a próxima cimeira entre os dois países acontece este ano em Portugal.

Em relação ao pacote lusófono do BAD, revelou que Cabo Verde tem “ideias muito concretas” em áreas como melhoria do ambiente de negócios, tendo em conta que a ideia do Governo é melhorar o desempenho do país em termos de indicadores internacionais.

No âmbito da sua visita a Cabo Verde vão ser assinados vários protocolos de cooperação no domínio da saúde, cultura, comunicação social, entre outros sectores.

Durante a sua estada no país, a secretária de Estado dos Negócios Estrangeiros e da Cooperação de Portugal irá visitar a Escola Portuguesa de Cabo Verde, a Igreja Nossa Senhora do Rosário, na Cidade Velha, a Academia Livre de Artes Integradas do Mindelo e inaugura a Biblioteca Escolar da escola de Nhagar, em Santa Catarina, interior de Santiago.

Com Inforpress

 



APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

A crise na imprensa mundial, com vários jornais a fechar as portas, tem um denominador comum: recursos financeiros. Ora, a produção jornalística, através de pesquisas, entrevistas, edição, recolha de imagens etc. Tem os seus custos. Enquanto está a ler e a ser informado, uma equipa trabalha incessantemente para levar a si a melhor informação, fruto de investigação apurada no estrito respeito pela ética e deontologia jornalisticas que caracterizam a imprensa privada, sobretudo.

Neste momento em que a informação factual é uma necessidade, acreditamos que cada um de nós merece acesso a matérias precisas e de interesse nacional. A nossa independência editorial significa que estabelecemos a nossa própria agenda e damos nossas próprias opiniões. O jornalismo do Santiago Magazine está livre de preconceitos comerciais e políticos e não é influenciado por proprietários ou accionistas ricos. Isso significa que podemos dar voz àqueles menos ouvidos, explorar onde os outros se afastam e desafiar rigorosamente aqueles que estão no poder.

Portanto, se quiser ajudar este site a manter-se de pé e fornecer-lhe a informação que precisa, já sabe que toda contribuição do leitor, grande ou pequena, é tão valiosa. Apoie o Santiago Magazine, da maneira que quiser, podendo ser através da conta nº 6193834.10.1 - IBAN CV64 000400000619383410103 – SWIFT: CANBCVCV - Correspondente: TOTAPTPL - Banco Caboverdeano de Negócios - BCN, ou por meio deste dispositivo do PayPal.


APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

Comentar