Pub

Política UCID e Terrenos

O deputado António Monteiro, eleito nas listas da União Cabo-verdiana Independente e Democrática (UCID) por São Vicente, acusou esta segunda-feira, 6 de maio, a câmara local de “usurpar os poderes” da Assembleia Municipal na cedência de bens imóveis.

Em conferência de imprensa, na manhã de hoje, no Mindelo, convocada para abordar a gestão da câmara na vertente das competências da autarquia na alienação de bens imóveis, Monteiro pediu a Augusto Neves, edil local, para repensar a sua estratégia na cedência desses bens imóveis, tendo-se referido a dois espaços para construção de hotéis, em concreto, na Laginha e na Avenida Marginal.

Isto porque, assinalou, nos dois casos a autarquia “agiu contra o Estatuto dos Municípios”, cujo artigo 81º, sobre a competência das assembleias municipais, postula que cabe às assembleias municipais autorizar a alienação desses bens imóveis.

A UCID denunciou que, quer para a cedência de espaços na Laginha (ex-Congel) quer o espaço da ex-oficina de mestre Kung, na Avenida Marginal, a câmara “não submeteu à Assembleia Municipal” os respectivos pedidos de autorização para que esses bens imóveis fossem cedidos ou alienados, postura que qualificou de “autêntico atentado à democracia”.

Aliás, o deputado lembrou que “em situação idêntica”, aquando da cedência do espaço do ex-Consulado Inglês, a câmara submeteu o competente pedido à Assembleia Municipal de São Vicente que, por sua vez, autorizou a cedência.

“A UCID quer saber que razões ou motivos estarão por detrás do facto de, desta feita, não se submeter o pedido à Assembleia Municipal”, lançou António Monteiro, precisando que tal terá sucedido ou “por engano” ou por “défice de democracia” e solicitou à câmara para “arrepiar caminho” porquanto “há ainda tempo para se entrar pela via legal”.

“Queremos que construam hotéis e mais infra-estruturas produtivas para o desenvolvimento da economia da ilha, mas que tudo seja feito com base nas leis vigentes e na Constituição da República”, concretizou a mesma fonte, que disse “não pactuar com aqueles que acham que por razões económicas ou outras devem saltar a lei”.

“Caso não for submetido à Assembleia Municipal, há leis no país e o próprio cidadão comum pode pedir o embargo das obras”, sintetizou o deputado da UCID.

Com Inforpress



APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

A crise na imprensa mundial, com vários jornais a fechar as portas, tem um denominador comum: recursos financeiros. Ora, a produção jornalística, através de pesquisas, entrevistas, edição, recolha de imagens etc. Tem os seus custos. Enquanto está a ler e a ser informado, uma equipa trabalha incessantemente para levar a si a melhor informação, fruto de investigação apurada no estrito respeito pela ética e deontologia jornalisticas que caracterizam a imprensa privada, sobretudo.

Neste momento em que a informação factual é uma necessidade, acreditamos que cada um de nós merece acesso a matérias precisas e de interesse nacional. A nossa independência editorial significa que estabelecemos a nossa própria agenda e damos nossas próprias opiniões. O jornalismo do Santiago Magazine está livre de preconceitos comerciais e políticos e não é influenciado por proprietários ou accionistas ricos. Isso significa que podemos dar voz àqueles menos ouvidos, explorar onde os outros se afastam e desafiar rigorosamente aqueles que estão no poder.

Portanto, se quiser ajudar este site a manter-se de pé e fornecer-lhe a informação que precisa, já sabe que toda contribuição do leitor, grande ou pequena, é tão valiosa. Apoie o Santiago Magazine, da maneira que quiser, podendo ser através da conta nº 6193834.10.1 - IBAN CV64 000400000619383410103 – SWIFT: CANBCVCV - Correspondente: TOTAPTPL - Banco Caboverdeano de Negócios - BCN, ou por meio deste dispositivo do PayPal.


APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

Comentários  

0 # M M 07-05-2019 12:53
Nao se pode acreditar naquilo que diz a UCID. .............. a Ucid anda com pedras escondidas.... .tem que fazer politica bem clara.... vai continuar a ter votos só em SV, pois la.........
Responder