Pub
Por: Manuel Alves**

manuel alves

Em matéria de segurança pública o MAI é um caso de estudo... « cadê » os resultados de inquéritos?... « cadê as tão propaladas medidas legislativas »?...

Resultados: multiplicação de assaltos e mais assaltos à mão armada...

As respostas do « homem das evidências » são as mesmas: « alteramos o currículo do curso de agentes... aumentamos o vencimento para termos gente mais motivada... adquirimos mais equipamentos... instalamos o programa cidade segura... a criminalidade baixou... consultem as estatísticas?... o que estamos a viver agora é um pico! », etc.

Tanto dinheiro gasto, sem solução!...

Na minha ilha do Fogo há um bichinho chamado « tutubarela » que em Santiago é chamado « cutumbembem » cuja peculiaridade é andar para trás, o que se pode comparar com as medidas do « homem das evidências »...

Um pico da insegurança que entra no catálogo como pico do Fogo, pico d’ Antonia!...

Tanto dinheiro, mas tudo a andar para trás!...

Perseguir cidadãos que questionam a péssima governança da segurança pública tem os seus custos, porque mais críticos se tornam, até que haja uma mudança de paradigma... Tem que haver a mudança!...

Os cidadãos não podem continuar a sofrer com a insegurança e os bandidos a sentenciar os assaltos onde, quando e como quiserem, impunemente!...

De uma situação preocupante até recentemente, hoje se pode considerar crítica, porque já há indivíduos a quererem decretar a sentença, a quererem substituir a justiça, por via do linchamento... O caso do Castelão é crítico e merece uma resposta adequada do Estado de Direito!...

Que classe social não experimentou ainda o dessabor da violência, de um « caçubodi »?...

Num « Estado de Direito Democrático » a justiça é a santa protetora dos cidadãos. Para que a justiça cumpra cabalmente o seu papel, a segurança pública tem que estar bem governada... Uma má governança da segurança pública compromete o desenvolvimento de um país...

Dinheiro e tempo que são consumidos na saúde para tratar as vítimas dos assaltos à mão armada, podiam servir para melhorar os cuidados de saúde gerais e especiais...

Quando a segurança se encontra combalida, não se pode gabar da liberdade!...

Artigo publicado pelo autor no facebook

*Título da responsabilidade da redação

**Especialista em Ordem Pública e ex-comandante das Unidades Especiais da PN

 
 
 


APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

A crise na imprensa mundial, com vários jornais a fechar as portas, tem um denominador comum: recursos financeiros. Ora, a produção jornalística, através de pesquisas, entrevistas, edição, recolha de imagens etc. Tem os seus custos. Enquanto está a ler e a ser informado, uma equipa trabalha incessantemente para levar a si a melhor informação, fruto de investigação apurada no estrito respeito pela ética e deontologia jornalisticas que caracterizam a imprensa privada, sobretudo.

Neste momento em que a informação factual é uma necessidade, acreditamos que cada um de nós merece acesso a matérias precisas e de interesse nacional. A nossa independência editorial significa que estabelecemos a nossa própria agenda e damos nossas próprias opiniões. O jornalismo do Santiago Magazine está livre de preconceitos comerciais e políticos e não é influenciado por proprietários ou accionistas ricos. Isso significa que podemos dar voz àqueles menos ouvidos, explorar onde os outros se afastam e desafiar rigorosamente aqueles que estão no poder.

Portanto, se quiser ajudar este site a manter-se de pé e fornecer-lhe a informação que precisa, já sabe que toda contribuição do leitor, grande ou pequena, é tão valiosa. Apoie o Santiago Magazine, da maneira que quiser, podendo ser através da conta nº 6193834.10.1 - IBAN CV64 000400000619383410103 – SWIFT: CANBCVCV - Correspondente: TOTAPTPL - Banco Caboverdeano de Negócios - BCN, ou por meio deste dispositivo do PayPal.


APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

Comentários  

-1 # andre Pina 31-01-2020 15:33
Sr Alves caro colega acho que é pouco tarde falar de segurança você e polícia da minha geração na verdade os tempos foram outras como sabe enquanto continuar com insubordinação total que nao foram preparados para a instituição funciona de acordo com o estatuto da polícia por mim por algum conhecimento alguns que tenho na área de segurança enquanto for posto as duas coisas em banir insubordinação que la existe ter vocação de polícia e estatuto da P.N em prática
Responder
0 # andre Pina 31-01-2020 12:55
caro colega base e parte fundamental começa pela vocação muito de nos que que esteve a dar seu contributo primeira desvalorizada pelos seus conhecimentos segundo onde nao existe hierarquia existe insubordinação generalizada nem com satélites todos os cantos praia Mindelo nao vai funcionar preciso outras coisas nem com licenciados vai melhor sim com união da classe com estatuto a funcionar excelência você se lembra quando éramos de folga éramos na primeira republica como eramos exigido a segurança funcionava eramos poucos poucos meios embora isso resolver em nada por e precisa vocação policial hierarquia prestação de acordo com estatuto espírito policial vai funcionar
Responder