Pub

Olavo correia ARME

O vice-primeiro ministro e ministro das Finanças Olavo Correia, explicou hoje a polémica em torno da sua frase de que "Cabo verde tem dinheiro que não acaba". Segundo ele existe dinheiro nos bancos cabo-verdianos, mundiais e nas instituições internacionais, mas não para dar a ninguém e sim para ser canalizado às empresas que criem valores.

“Quando eu afirmei há dias que este país não tem restrições financeiras do ponto de vista de recursos, as pessoas ficaram chocadas, porque não são atentas. O recurso financeiro existe em todo o mundo e vai existir sempre e hoje é cada vez mais barato. As taxas de Europa e mundo estão negativas há mais de três anos”, afirmou Olavo Correia.

Conforme disse o ministro, o dinheiro existe nos bancos cabo-verdianos, nos bancos mundiais e nas instituições internacionais. Entretanto, ressaltou que aquilo que o país precisa é de “gente com ideias”, que querem empreender e têm capacidade de gestão.

O país necessita ainda, de acordo com Olavo Correia de gente que quer inovar para poder aceder a estes recursos, porque, completou, o acesso a recursos não é um acesso facilitado. “Como é evidente, é preciso de gente com capacidade para lá chegar”, frisou.

“O dinheiro não existe para dar a ninguém”, pontuou o ministro, explicando que a banca é das instituições que gerem o dinheiro dos outros e que “esse dinheiro tem que ser gerido com responsabilidade”.

Como explicou Olavo Correia, uma pessoa quando coloca o seu depósito no banco, põe 10, por exemplo, e é com esse 10 que a banca dá crédito a outra pessoa. Entretanto, prosseguiu, cada vez que a primeira pessoa for lá buscar o seu dinheiro o banco tem de ter lá o seu 10 disponível.

O dinheiro, segundo o ministro, existe para ser canalizado para as empresas que criem valores.

“Se eu lhe der 10 você tem que dar 20 à comunidade para criar valor. Não é para destruir valor. Há muita gente que pensa que o dinheiro existe para ser destruído, mas não”, prosseguiu Olavo Correia, acrescentando ainda que o dinheiro existe para se criar cada vez mais valor à economia e que, por isso, “é que os projectos têm que ser bem seleccionados”.

A gestão, no ponto de vista do ministro das Finanças, tem de dar as garantias de uma boa estrutura de governança cooperativa, prestar contas, publicar contas e que sejam auditáveis.

“Portanto, é preciso que as empresas reúnam as condições para ter acesso ao dinheiro. Não é só chegar e dizer, preciso de 10 mil contos”, finalizou.

Com Inforpress



APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

A crise na imprensa mundial, com vários jornais a fechar as portas, tem um denominador comum: recursos financeiros. Ora, a produção jornalística, através de pesquisas, entrevistas, edição, recolha de imagens etc. Tem os seus custos. Enquanto está a ler e a ser informado, uma equipa trabalha incessantemente para levar a si a melhor informação, fruto de investigação apurada no estrito respeito pela ética e deontologia jornalisticas que caracterizam a imprensa privada, sobretudo.

Neste momento em que a informação factual é uma necessidade, acreditamos que cada um de nós merece acesso a matérias precisas e de interesse nacional. A nossa independência editorial significa que estabelecemos a nossa própria agenda e damos nossas próprias opiniões. O jornalismo do Santiago Magazine está livre de preconceitos comerciais e políticos e não é influenciado por proprietários ou accionistas ricos. Isso significa que podemos dar voz àqueles menos ouvidos, explorar onde os outros se afastam e desafiar rigorosamente aqueles que estão no poder.

Portanto, se quiser ajudar este site a manter-se de pé e fornecer-lhe a informação que precisa, já sabe que toda contribuição do leitor, grande ou pequena, é tão valiosa. Apoie o Santiago Magazine, da maneira que quiser, podendo ser através da conta nº 6193834.10.1 - IBAN CV64 000400000619383410103 – SWIFT: CANBCVCV - Correspondente: TOTAPTPL - Banco Caboverdeano de Negócios - BCN, ou por meio deste dispositivo do PayPal.


APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

Comentários  

+1 # Paulo Costa 30-07-2019 13:00
ficamos a saber, q ministro e vice presidente-----isso existe----quer dizer q quem manda é o ministro que é vice e também o ministro que manda. Porque não? mais um e fica o conhecido triunvirato---soluções criativas é o que se precisa----quem gosta desse gajo lá na Praia?
Responder
+4 # Frank 25-07-2019 19:00
Meu caro,mas, se dinheiro tem na cabo verde pa ca kacaba entao governo debe da kes coitados de Ctchan ces dinheiro que foi robadu que nem bbarracas nhos ca das
Nhos tem um poco de vergonha nah cara kes coitado sta padice ces vida.
Responder
-1 # Di Fogu 28-07-2019 10:33
Ignorancia tem limites. nem diposs di splicadu nhos eh ca capaz di ntendi?
Responder
+6 # SÓCRATES DE SANTIAGO 25-07-2019 10:19
O nosso Olavinho, como sempre, igualzinho a si próprio- Muito rápido em criar expectativas, porém, jogando em defesa, sempre com duas pedras na mão. Mas, verdade seja dita, é o GOVERNANTE MAIS CHARMOSO E FALADOR DESTE GOVERNO, AUTÉNTICO BENDIDOR DI LORU FEDI.
Responder
+4 # Marta 25-07-2019 01:05
Não vou comentar, fui... Mas primeiro me devolvam o meu dinheiro do IUR de 2014 muito obrigada
Responder