• Praia
  • 29℃ Praia, Cabo Verde
Âncora
Boas Novas

Âncora

Temos esta esperança como âncora da alma, firme e segura (Hebreus 6:9a)

O que “segura a barra” quando tudo mais desaba? Alguém já disse que a gente sempre vai para onde o coração já foi. Se as esperanças e valores são depositados em determinado bem, seja ele material ou não, quando este se vai, eu sigo atrás. Assim foi no caso bem conhecido de pessoas que saltaram pela janela quando a Bolsa de Valores de Nova Iorque quebrou em 1929, dando origem a uma depressão económica mundial em que fortunas construídas ao longo de vidas inteiras de desvaneceram no ar do dia para a noite.

Fico a pensar: o que causaria efeito tão devastador em mim? O que a minha vida é realmente imperdível? E o que, em caso de tal perda, impediria que eu me despedaçasse em meio à consequente tempestade? Grandes perdas são como tempestades no mar: abalam as bases de sustentação, como no caso de um barco tranquilamente apoiado no mar até que as ondas começam a jogá-lo de um lado para o outro. Elas sacodem a pessoa com violência além da capacidade de resistir –apenas uma âncora confiável pode evitar o naufrágio; ela impede que o navio seja arrastado pelos ventos e pelo movimento frenético das águas, e destruído. Seria possível ancorar o barco em si mesmo? Pura e perigosíssima tolice. A âncora precisa firmar-se em algo (ou alguém) imutável.

Muita gente pensa que ser cristão é ser religioso, obedecer um punhado de “não podes” para agradar à Divindade e conseguir um lugarzinho melhor após a morte. Mas seguir a Jesus é justamente uma questão de aprender dele e com ele a viver neste mundo, usufruindo as circunstâncias sem delas depender – porque o coração está ancorado mais além. Você conhece as promessas de Jesus? Gostaria de lhe sugerir que invista tempo e esforço em conhecer e cultivar a confiança nas promessas daquele que estabeleceu um lugar seguro para nossa âncora: além do mundo visível, na eternidade. É possível e muito melhor viver assim.

Na hora da tempestade, só uma esperança além do visível oferece refúgio seguro. 

Partilhe esta notícia

SOBRE O AUTOR

Redação

    Comentar

    Inicie sessão ou registe-se para comentar.

    Comentários

    • Este artigo ainda não tem comentário. Seja o primeiro a comentar!