• Praia
  • 29℃ Praia, Cabo Verde
Cúpula do MpD elege Amadeu como alvo a ser abatido e instiga ao ódio e violência entre ilhas (video)
Política
play

Cúpula do MpD elege Amadeu como alvo a ser abatido e instiga ao ódio e violência entre ilhas (video)

Num comício realizado ontem, 15, em São Vicente, na zona de Monte Sossego, bairro mais populoso da cidade do Mindelo, a cúpula do MpD, liderada pelo cabeça-de-lista ventoinha para aquela ilha, o Ministro Paulo Rocha, acompanhado do Presidente da Câmara Municipal, Augusto Neves, e pela Deputada Nacional Mircea Delgado, não escondeu que o adversário principal do MpD na região Norte é Amadeu Oliveira - candidato da UCID para a ilha do Monte Cara nas eleições de domingo, 18 - a quem apelidaram de ser "um gongon, um fugitivo da justiça, um desavergonhado e um confusento que só sabe arranjar confusões na ilha do Sal, na cidade da Praia e na ilha de Santo Antão, para depois ir se esconder por detrás da UCID, em São Vicente.

Nesse comício cujo resumo é aqui publicado em video neste link (https://www.youtube.com/watch?v=cJZO2MJngu4) ou basta clicar na imagem, o trio ventoinha desferiu fortes ataques pessoais contra Amadeu Oliveira, instigando o ódio e a violência, quando, claramente apelaram ao povo de Monte Sossego para escorraçar Amadeu e não o deixar "esconder-se e refugiar-se em São Vicente".

Alguns analistas interpretaram esse "ataque cerrado contra Oliveira" como uma reacção do partido dos Rebentolas face às sondagens que indicam que a UCID está a crescer na ilha do Sal, Praia, Santo Antão e São Vicente muito por causa das acções e intervenções do famoso advogado. O jornalista Fernando Carrilho, por exemplo, destacou uma incoerência no discurso de Paulo Rocha, quando se referiu a Oliveira como "fugitivo da justiça", podendo ele, na sua qualidade de ministro da Administração Interna, mandar prender Amadeu e o apresentar às autoridades judiciais, caso se tratasse de um verdadeiro fugitivo da justiça.

Para além disso, advogam alguns comentadores, o MpD está estimular as pessoas de São Vicente a posicionarem contra as pessoas de Santo Antão, quando instiga as massas populares contra Oliveira com o argumeno de que ele não é de SV e que só tem estado de passagem pela ilha do Monte Cara, mesmo sabendo que o mediático advogado, que é o rosto da luta pela transparência na Justiça em Cabo Verde, passou toda a sua juventude, até aos 18 anos de idade, no Mindelo, tem filhos e casa própria, para além de uma intensa actividade profissional em São Vicente.

O presidente da CM, Augusto Neves, chegou a ponto de mandar Oliveira ir esconder-se na ilha onde esteve ultimamente, ou seja em Santiago, frase que foi vista como um "bairrismo doentio".

No mesmo dia, a liderança de Sokols (grupo cívico em SV), liderado por Salvador Mascarenhas) fez uma marcha, alertando os munícipes para concentrarem no essencial, como a não-justiça, empregabilidade jovem, crise dos transportes aéreos e marítimos e estagnação económica de São Vicente, e não nos insultos e provocações lançados por quem pensa ser dono e senhor de São Vicente".

A Sokols ainda reafirmou que "todos os nacionais e até estrangeiros que escolherem São Vicente para viverem, trabalharem, ou dar um contributo político ou social, serão bem-vindos, desde que tenham vindo para o bem comum".

Na verdade, a hostilidade e agressividade contra Amadeu Oliveira, instigadas pela cúpula do MpD como se pode constatar no video, começa já a contaminar os militantes de base, que não se têm coibido de insultar e provocar o candidato da UCID em plena rua de Lisboa (principal avenida do Mindelo), como aconteceu no início da semana, em que um conhecido activista do MpD, Alberto Leite, agrediu verbalmente de forma insistente Amadeu Oliveira no meio de grande assistência.

Por causa disso, Fernando Carrilho, no seu comentário, advertiu e aconselhou Oliveira a evitar qualquer reacção imponderada ou precipitada a essas provocações e insultos, porque o adversário poderá querer criar incidentes como forma de desviar as atenções do povo em relação aos vários escândalos recentemente vindo a público, que afectam directamente a credibilidade do MpD e das suas lideranças, como a nomeação de Óscar Santos para Governador do BCV, a privatização da TACV, o negócio dos barcos, o escândalo dos manuais escolares, ou, mais recente ainda, a provável corrupção na nomeação do português Cesar do Paço, financiador de um partido de extrema direita em Portugal, para consul honorário de Cabo Verde na Florida, EUA.

A UCID, da sua parte, recusou reagir contra esse ataque, e Oliveira, através de uma mensagem enviada aos seus contactos no wattsapp, também acalmou os seus apoiantes afirmando que não pretende responder a esses insultos. "Da nossa parte não vão receber nenhum contra-ataque nem agora nem depois. Somente para ficar o registo para a posteridade".

Partilhe esta notícia

SOBRE O AUTOR

Redação