Pub
Por: Redacção

vieira lopes

Há pelo menos três testemunhas a quem Felisberto Vieira Lopes, falecido esta sexta-feira, 3, no Hospital Agostinho Neto, terá contado, após o seu internamento, que “desconhecidos pulverizaram por duas vezes gás tóxico por debaixo da sua porta” e que se não morresse ficaria com sequelas devido a complicações pulmonares. Aliás, a Polícia Judiciária, segundo Santiago Magazine apurou, já está a investigar um suposto homicídio, por ordem do Ministério Público, que deve mandar efectuar uma autópsia para o cabal esclarecimento das circunstâncias que levaram à morte desse destemido e temível jurista, acérrimo defensor da transparência na Justiça cabo-verdiana, e que durante a sua carreira inspirou várias gerações de advogados em Cabo Verde.

O advogado Felisberto Vieira Lopes terá sido vítima de um homicídio? Ao que tudo indica, sim e será essa a linha de raciocínio das investigações em curso da Polícia Judiciária. O jornal asemanaonline chegou mesmo a citar fontes próximas do falecido que não descartam essa possibilidade (homicídio), avançando inclusive que seria crucial a feitura de uma autópsia para ajudar a deslindar a morte de Vieira Lopes, tendo em conta que foi encontrado no chão com hematoma na face e escoriações nos braços.

Pois bem, horas antes de sair a notícia do falecimento desse ilustre advogado, Santiago Magazine esteve em contacto com o seu parceiro de escritório, Emílio Xavier, para confirmar o internamento do advogado após queda em casa eventualmente na sequência de inalação de gás tóxico supostamente introduzido no seu apartamento por desconhecidos e que dava azo a investigação criminal por atentado. A resposta de Xavier foi de que, efectivamente, Vieira Lopes lhe contou a si e a pelo menos mais duas outras pessoas que o foram ver, que “alguém introduziu algum tipo de gás na sua casa por duas vezes, o que o fez cair inanimado”. Vieira Lopes acabaria por dar entrada no HAN com vómitos e olho esquerdo inflamado, além de pequenas escoriações na testa e braço.

Antes, e para se perceber melhor, vale referir que Vieira Lopes, de 83 anos, vivia sozinho num apartamento em frente à praça central do Plateau, que cuja porta de entrada está trancada sempre com várias fechaduras e antecedida por um portão metálico com cadeado. Razão pela qual não houve arrombamento ou tentativa frustrada de forçar a entrada. “Ele disse que o gás foi introduzido eventualmente por debaixo da porta. Nesse dia, curiosamente, fui lá mas não abriu a porta e fiquei com a sensação de ter ouvido alguns gemidos, porém com o barulho de viaturas que circulavam àquela hora acabei por não dar muita atenção. Só no dia seguinte, depois de também não aparecer dois dias seguidos nos lugares habituais onde tomava o pequeno-almoço, é que se decidiu acionar os bombeiros que foram arrebentar a porta e lá o achamos caído no chão. Dois dias! É certo que estava fisicamente mais debilitado por causa da idade, mas estava em óptima forma e perfeitamente lúcido”, conta o também advogado e ex-magistrado judicial, Emílio Xavier, seu parceiro de escritório nos últimos tempos.

Xavier, que antes da morte de Vieira Lopes dissera a este jornal que estava no caminho para ir buscar uma procuração do falecido advogado a fim de apresentar queixa na PJ, não sabe precisar que tipo de gás terá sido utilizado, mas garante que, pelas evidências não houve agressão física – hematoma na face e as escoriações serão da queda provocada pelo desmaio por eventual inalação de gás tóxico – sublinhando a afirmação do seu sócio de que teria sido vítima de um ataque criminoso. E só não tinha apresentado a denúncia na Judiciária porque aguardava o laudo médico que iria esclarecer as causas do internamento de Vieira Lopes. Outra fonte de Santiago Magazine afirma que Lopes teria comentado com os seus próximos de que se não morresse ficaria, na certa, com graves sequelas nos pulmões devido à inalação desse gás tóxico que segundo outras fontes terá sido lacrimogénio, descartado ao que parece o butano do gás de cozinha.

Neste momento, a filha dele, que reside em São Vicente, deverá estar a reunir os dados para apresentar uma queixa formal na PJ, mas Santiago Magazine já sabe que o Ministério Público, após tomar conta do ocorrido, ordenou a abertura de uma investigação por suposto homicídio, a qual está sendo liderada pela Polícia Judiciária. As nossas fontes garantem que a PJ já está, efectivamente, no terreno e que estão na posse de pistas fortes que poderão levar aos presumíveis autores materiais deste suposto atentado contra o jurista que, a par de Amadeu Oliveira, mais defendeu a transparência na justiça cabo-verdiana, sendo inclusive co-promotor e signatário de uma petição pública sobre a Não Transparência na Justiça e que foi parar à Transparency International.

Para chegar aos suspeitos, a investigação contará não só com depoimentos de testemunhas, como com imagens das câmaras de videovigilância instaladas no Plateau. Refira-se ainda que Felisberto Vieira Lopes – que denunciou a célebre máfia de terrenos na Praia, fazendo ruir a imagem e o status quo de várias figuras da política e do mundo empresarial cabo-verdiano – tinha solicitado há algumas semanas protecção policial do Estado, mas até morrer não houve reação das autoridades, segundo nos revelou fonte conhecedora do processo.

A morte de Felisberto Vieira Lopes, decano dos advogados em Cabo Verde, nacionalista puro e de uma cultura jurídica sem igual, abalou toda a sociedade, sobretudo porque, após uma década e meia a denunciar a máfia de terrenos na Praia, e cujos suspeitos já foram constituídos arguidos, conseguiu enfim levar este volumoso e polémico processo às barras do tribunal. Razão pela qual há vozes que defendem a feitura imediata de uma autópsia para o cabal esclarecimento do caso, que pelas notícias e suspeições que envolve começa a inquietar a sociedade.

Referência académica e jurídica para boa parte dos advogados do país, Vieira Lopes deixa um grande legado na sua área de formação e de trabalho e também como poeta – assinava textos como Kauberdianu Dambará. Tal é o respeito que seus colegas nutriam pelo destemido jurista que um grupo de seus advogados e amigos de Santo Antão e São Vicente - Amadeu Oliveira, Joaquim Monteiro (ex-candidato a PR), os advogados Daniel Serra Lopes e Rogério Reis, o empresário Jerónimo Lopes e o historiador Hélder Salomão – requereram ainda ontem ao Governo uma autorização para viajarem à cidade da Praia para prestar a justa homenagem a Vieira Lopes. O pedido, entretanto, “foi rejeitado por mera insensibilidade das autoridades, apesar de reconhecermos o período de estado de emergência, disse ao Santiago Magazine, Amadeu Oliveira, acrescentado que “o Governo mostrou não ser sensível para autorizar este voo extraordinário, alegando que não seria prudente de facto abrir um voo de excepção para as cerimónias fúnebres do dr. Vieira Lopes”.

A ideia de prestar homenagem a Vieira Lopes, diz Amadeu Oliveira, tem a ver “com a dimensão da pessoa. Ele não era apenas um advogado de Santa Catarina ou da Praia. Ele era profundo. Era reconhecido e respeitado desde quando veio a São Vicente defender presos políticos e ficou com uma grande credibilidade. Em Santo Antão, veio ultimamente duas vezes proferir pequenas palestras, granjeando admiradores em toda a ilha”.

“O que ele fez pela justiça e pela defesa de oprimidos e injustiçados tem muito mais valor do que as condecorações presidenciais. O PR condecorou outros juristas com muito menos mérito que o dr. Vieira Lopes. O facto de existirem pessoas, mesmo estando o país a passar por essa situação de coronavírus e com a declaração do estado de emergência, ainda quererem se deslocar da sua ilha para irem assistir às cerimónias fúnebres do dr, Vieira Lopes, é de longe superior a qualquer condecoração presidencial, pelo valor de reconhecimento do povo”, observa Amadeu Oliveira, que também defende uma autópsia urgente e limpa ao cadáver de Vieira Lopes. "As autoridades deste país não podem deixar este caso acabar assim sem se saber o que de facto aconteceu com o dr. Vieira Lopes", exclama.

Nascido em Santa Catarina, em 1937, Felisberto Vieira Lopes destacou-se como um dos maiores advogados de Cabo Verde, sendo dos mais antigos a exercer profissão no país.

Esteve nas últimas duas décadas na boca do mundo, pela sua luta contra a "Máfia dos Terrenos da Praia". Trata-se um longo processo judicial que o próprio Vieira Lopes chama de "Burla dos Terrenos" no município da Praia, cuja acusação foi deduzida em março último. Foram 15 arguidos, com destaque para figuras públicas como Arnaldo Silva, Rafael Fernandes, Alfredo Carvalho e a empresa deste, Tecnicil, todos acusados de burla qualificada, lavagem de capital, associação criminosa, falsificação de documentos e corrupção activa.

O MP, que pediu julgamento perante Tribunal Colectivo, sugerira inclusive a prisão preventiva de Arnaldo Silva, TIR para os demais réus e confiscação dos seus bens, porque provados em como lesaram aos legítimos donos dos terrenos e ao Estado de Cabo Verde mais de 2 milhões de contos.

Foi o seu apogeu, após décadas de confronto, acusações públicas e queixas-crime (com ou sem razão) contra figuras públicas, da elite política e empresarial, que resultaram por exemplo na detenção de Arnaldo Silva, antigo governante e ex-bastonário da Ordem dos Advogados, o mais longe que esse processo já foi.  

Nesse célebre processo, Vieira Lopes era defensor dos herdeiros da família Tavares Homem contra os herdeiros de Fernando Serra e Sousa, que brigam grandes extensões de terreno na grande Praia.

Licenciado em Direito, em Lisboa, Portugal, Felisberto Vieira Lopes teve outras valências além da sua área do formação. Segundo blog barrosbrito.com (que costuma fazer a árvore genealógica de várias famílias em Cabo Verde), Vieira Lopes, como poeta usou o pseudónimo de Kauberdiano Dambará.

Colaborou no Boletim dos alunos do Liceu Gil Eanes e no Novo Jornal de Cabo Verde e, depois da independência de Cabo Verde, escreveu na revista Raízes, e outras tantas. Aparece também em Literatura africana de expressão portuguesa (vol. l, poesia), Argel, Argélia, 1967; Vuur en ritme, Amesterdão, Holanda, 1969; When bullets begin to flower, Nairobi, Quénia, 1972; Who's is who in African Literature, Tubingen, R.F.A., 1972; Antologia temática da poesia africana l - na noite grávida de punhais, Lisboa, 1976; Antologia temática da poesia africana 2 - o canto armado, Lisboa, 1979; Contravento - Antologia bilingue de poesia cabo-verdiana, Taunton, Massachusetts. E.U.A., 1982. Publicou ainda Nóti, edição do PAIGC, Paris, França, 1964.

Tem obra literária publicada em várias antologias, nomeadamente em Literatura africana de expressão portuguesa, (vol. l, poesia) Argel (1967); na Antologia temática da poesia africana l e 2, Lisboa (1976, 1979) e em Contravento - Antologia bilingue de poesia cabo-verdiana, Taunton, Massachusetts (1982).

Comentários  

0 # riberao manel 10-04-2020 20:06
Se o Estado nao deu proteção policial como devia, muito menos autorizacao para a homenagem.
Responder
0 # Djamdjam di Cutelo 06-04-2020 12:07
Desapareceu físicamente o dr. Felisberto Vieira Lopes na defesa intransigente dos direitos dos caboverdianos. Nós, os caboverdianos, não devemos sentir medo dos salazaristas que se esconderam com o 5 de julho entre a nossa população. Sentem-se acossados pela nossa clareza e determinação na defesa patriótica do nosso país e começam a tentar amedrontar os jornalistas, ameaçando o valoroso Santiago Magazine. Estaremos sempre ao lado dos caboverdianos de gema, sempre frente aos salazaristas e neo-colonialistas que tentam levar Cabo Verde à desgraça e miséria, como era a intenção de Salazar.
Viva Cabo Verde! Viva Santiago Magazine e a sua Redação!

Djamdjam di Cutelo
Responder
-1 # António Afonso 06-04-2020 10:32
Delírio. Apesar de ser meu amigo há muitos anos, Vieira Lopes delirava e muito em vários temas que ele abordava. Toda a gente que o conhece sabe disso. Ele delirou no processo dos terrenos do Palmarejo (ele próprio foi advogado de Fernando Serra e Sousa), onde ele acusa quase uma centena de pessoas (não é normal isso), assim como ele delirou na utilização de gás na sua morte. Paz à sua Alma e que descanse em Paz.
Responder
0 # António P. Santos 11-04-2020 10:45
Por que será que o António Afonso, que julgo não conhecer, está tão interessado em desqualificar o Dr. Vieira Lopes, como advogado delirante?! Não está, indirecta, mas conexamente, a insinuar que o Procurador, que está à frente do grande processo da "Burla dos Terrenos", estará a delirar? Perante a morte, em condições mais do que estranhas, de um dos maiores advogados da história de Cabo Verde, sem falar das outras valiências e contribuições de Vieira Lopes, desqualificá-lo como delirante, é a principal preocupação do António Afonso?! Julgo não conhecer o António Afonso - não sei se é pseudónimo ou nome verdadeiro - mas acaba de chamar a minha atenção, e com certeza, já chamou a atenção de outras pessoa atentas e que lamentam a perda de Feliberto Vieira Lopes. Oxalá, isso não passe de um rasteiro e infeliz desbafo.
Responder
0 # John 06-04-2020 22:03
Antonio, deves saber alguma coisa, que outros não sabem...de certeza.
Responder
+3 # Puxin bera 05-04-2020 16:41
Os cães mataram o Dr Vieira Lopes. By the way, alguém saberia me informar o porquê do Cão lobo não ter dito um píu a respeito?...
Responder
+4 # SÓCRATES DE SANTIAGO 05-04-2020 11:02
Tudo muito estranho, como dizia alguém. É preciso que se investigue profundamente este caso. Muito, muito cuidado com a COSA NOSTRA cabo- verdiana. Esses indivíduos são mesmo perigosos.
Responder
+16 # O Justiceiro 05-04-2020 08:30
Ainda jovem, ouvia falar deste homem, de quem destacavam a inteligencia e a simplicidade. Mininu di Santa Catrina. Depois conheci-o, ar sereno e serio, bem vestido, mas sem ostentacao. Sempre comprimentavamo-nos com muito respeito. Chegamos a trocar algumas conversas amigas no Caxito, ex-bar-kafe sita no plateua, perto da praça, na Praia. Um dia, disse-me: olha, circula-me nas veias sangue de gente do Fogo, por isso, nao admito abuso. Perguntei-lhe, mas o Senhor nao é de Santa Catarina? Há muito que tive conhecimento da sua existencia e notoriedade da sua inteligencia. Sorriu e disse: sim, sou natural de Santa Catarina, mas a minha insubordinação bebo-a no Fogo. Depois, sorriu e sorri tambem. Um dia, convidou-me ao seu escritorio, defronte à praça principal da Praia. Subimos, sentamo-nos, um à frente do outro. O escritorio é um local simples, sem ostentaçao, sem mobilias caras, mas muitos livros. Fitou-me e disse-me: O senhor parece-me uma pessoa ponderada e séria, vou, pois, dizer-lhe umas coisas. Esta terra esta entregue a narco-traficancia, grande parte de advogados depende de um patrao, advogado-chefe dos narcotraficantes (disse-me o nome, mas nao vou revela-lo, por razoes obvias) ele os aglotina e subverte, divide-lhes avenças e clientes, por isso os domina, mesmo politicamente, e não saem dos seus pés, pois se assim fizerem perdem toda a clientela que tem dinheiro. Acrescentou: criaram o voo da TACV a Fortaleza, nao para o trasporte de carga e passsageiros como pretendem fazer crer, mas para transito de droga Brasil/Cabo Verde/Europa. O americanos estao atentos a isto. Falou-me longamente da trafolhice dos terrenos roubados e vendidos. Disse que o partido unico foi horrivel, mas a falsa democracia era bem pior e perigosa. O povo de Cabo Verde estava sendo mantido na miseria e a economia do pais entregue a estrangeiros. Depois de dizer muito mais coisa, olhou-me nos olhos, com expressao seria e disse-me: esta terra é nossa, precisamos de saber o que se passa com ela para melhor pudermos defende-la. Nunca mais me esqueco desse olhar serio e expressivo, e um olhar semelhante ao que na foto acima.
Acredito que mataram-no. Disse-me que possuia uma farta documentação que comprovava tudo o que dizia, e na altura em que o processo dos terrenos vai a julgamento, a vasta documentacao que me disse possuir poderia provocar um terramoto. Era imperioso cala-lo. Por isso, alposto na tese de ter sido morto. Seria mais um a se juntar aos doa policias da Praia e da Assomada, para nao acrescentar mais. Cabo Verde perdeu um homem imenso, cujo o devido valor nao lhe foi reconhecido em vida por muitos devido à sua simplicidade e ao combate sem treguas que fez a poderosos e mafiosos desta terra. Nao vai ser homenageado por razoes obvias. Quem o faria? O Presidente da Rwpublica prefere Condecorar Dr. Arnaldo Silva e Dr. Jose Manuel Pinto Monteiro ou mesmo o Dr. Maika Lobo, mas nunca o Dr. Vieira Lopes
Responder
0 # Djosa Neves 06-04-2020 09:15
Qual a designação de CRIATIVIDADE devido a delirios provocadas pela febre dos loucos? Em krioulo parece ser XUXADERA!!! É de rir até chorar, alguns merecedores de uma "corona"
Responder
+1 # Arsénio f. de pina 05-04-2020 22:02
Amigo de longa data na clandestinidade por apreciar a sua integridade intelectual e ética e dádiva ao país, exigente com ele próprio e os amigos e advogado de alto gabarito, um dos homens livres e independentes da nossa terra, dos tais malqueridos pelo poder por serem incómodos, e na mira de desonestos e corruptos, o que não admira que tenha sido vítima da sua integridade.
Responder
+9 # Afro-Americano 04-04-2020 20:21
Lista do Vieira Lopes (56 alvos)

7 Pessoas falecidas:
- Fernando José Serra e Sousa
- Lídia Fernandes de Oliveira e Sousa
- Orlando Loff de Brito
- David Capristano Furtado
- Antonino Tavares Nunes
- Jorge Rodrigues Pires (irmão de Pedro Pires)
- Jean Christian Andrade

38 Pessoas:
- Arnaldo Silva
- Maria Helena Oliveira Sousa
- Armindo Silva
- Rafael Fernandes
- Alfredo Carvalho
- Maria Albertina Tavares Duarte
- Rita Ramos
- Maria do Céu Monteiro Rocha
- Elsa Baião Silva
- Victor Sousa
- Maria Leonor Pinto Balsemão e Sousa
- José Manuel Sousa
- Ivone Santos Brilhante
- Wanderley Duarte Serra e Sousa
- Carlos Albertino Veiga
- José Tomás Veiga
- Carlos Veiga Jr.
- Alberto Melo
- Paulo Soares
- Daniel Silva
- Abílio Rocha
- Cláudia Patrícia Chantre Monteiro de Sena
- Simão Monteiro
- João Pedro Lima Spencer
- Lino Públio Monteiro
- Agostinho Lopes
- Luis Sapinho Rodrigues Pires
- António Sérgio Bartalha
- Flávio Delgado
- Francisco Amado
- Oumar Barri
- Sandra Alves Delgado
- Joaquim Sapinho Rodrigues Pires
- Luigi Zirpoli
- Gilberto Battistini
- Sergey Souvorov
- José Teixeira
- Manuel Natividade Monteiro

9 Empresas:
- Sociedade para Desenvolvimento do Palmarejo
- Tecnicil Construções
- Tecnicil Imobiliária
- Editur
- Carlos Veiga Lda
- Monte Vermelho SA
- Enavi Sarl
- EFE-SA/ISCJS (Instituto Superior de Ciências Jurídicas e Sociais), do Presidente da República Jorge Carlos Fonseca
- Soproinf

- Estado de Cabo Verde
- CMP/Óscar Santos
Responder
+5 # Muito cuidado! 05-04-2020 08:41
Oh Afro-americano, ė preciso tomar cuidado para não baralhar os leitores, pois, caso contrário, estar-se-á a colocar tudo no mesmo saco para, no final, não dar em nada.
Na luta contra a máfia, a cabecilha é que deve pagar. Sempre foi assim.
Na Colombia, o governo daquele país perseguiu e executou o famoso Pablo Scobar que liderava a maior rede de tråfico de drogas e assassinatos na América Latina.
No México, após várias tentativas, o governo conseguiu prender e extraditar para USA o El Tchapo que, nos últimos anos, foi o barrão do comércio de drogas para USA e agora está a cumprir prisão perpétua naquele país.
Em Cabo Verde, a Justiça, nâo obstante a morte do Dr. Vieira Lopes, deve continuar focado no seu trabalho de investigar, julgar e encarcerar os líderes da quadrilha que é o Naná e mais alguns que também fizeram fortuna com o negócio vergonhoso e fraudulento de terrenos na cidade da Praia. Colocar o nome dos compradores e daqueles que foram enganados juntamente com os vendedores e falsificadores de documentos, líderes da máfia, é dificultar esse processo levá-lo a um beco sem saīda. Por isso, MUITO CUIDADO NESSA HORA! VIVA VIEIRA LOPES!
Responder
-9 # Josina Duarte 04-04-2020 21:20
Algo não está a bater bem. Como é possível um só homem acusar toda essa gente?
Responder
+1 # António P. Santos 11-04-2020 10:55
Josina, não era e não foi um homem só. Há um processo em curso.
Responder
+8 # Chiku 04-04-2020 19:35
Colarinhos brancos de Cabo Verde só podem ser presos e julgados, condenados e enforcados por Americanos. E isso vai acontecer porque os Estados Unidos não aceitam a lavagem de dinheiro e financiamento de terrorismo em Cabo Verde à custa da propriedade alheia, por ladrões e malfeitores caboverdianos em conluio com outros larápios de outros países, bem identificados como pertencentes a crimes organizados, assassinos e fianciadores de terrorismo. Disse!
Responder
-9 # De Nunes para nunes 04-04-2020 18:48
Este jornal e' do PAICV sim senhor.Provas disso e' so ver em que pagina de facebook e' que vai repiscar insights para publicar e dar visibilidade. Quanto aos badios serem mais de 60 porcento da populacao berdiana e' mentira. Mostre la as fontes e estatisticas?Maioria da populacao da Praia( nao Santiago) e' do Fogo.Finalmente,quanto ao sr Arnaldo Silva, ninguem ainda sabe ao certo se cometeu falcatrua.Se na verdade cometeu falcatrua que venha a pagar pelos seus erros.Ninguem esta acima da lei na Democracia.
Responder
+4 # toto 04-04-2020 17:36
Qual diagnostico justificou o medico como causa da morte ?? Lhe foi feito TAC e RX de craneo para descartar HSA típico nestas quedas e mal tratadas levam a morte. Tmb sendo o falecido quem acusou uma MEGAQUIEXA contra MEGAHOMENS LARAPIOS DO ALEHIO em curso o MP tem p oficio atuar ,começando pelo diagnostico que levou a "morte" ver os exames médicos e fazer autopsia .
Responder
-12 # Silvino Silva 04-04-2020 17:21
O Santiago Magazine está a vilipendiar a memória deste homem com virtudes e defeitos. E, vida ninguém o apoiou. Sofria de uma doença degenerativa e tinha problemas de subsistência. Quem o ajudava ? Os familiares. Agora todos são amigos e solidários, depois de morto. Ele defendeu causas, por vontade de ser justiceiro. Um processo dos anos cinquenta do século passado. Defeitos ele tinha. A questão dos terrenos está desde o início perdido. O processo na parte da acusação não tem provas.
Responder
+13 # quid juris? 04-04-2020 17:17
Morreu um grande intelectual de trato fino.
É preciso uma investigação séria, imparcial e célere.
Começando pela autópsia, devendo reproduzir fielmente as causas da morte.
Fazendo fé, nos factos relatados pelo jornal, facilmente conseguem identificar, através de inúmeras câmaras de segurança no Plateau, pessoa ou pessoas a entrar no prédio, não obstante, ser um prédio frequentado por muitos, incluindo, o denunciado pelo falecido, Sr Arnaldo Silva. Sim, recentemente, este abriu um escritório de advocacia no mesmo edifício... "Porta ku nariz"
Nada nos surpreende, aqui, em Cabo Verde, Estado Direito Democrático, os críticos, os sábios são silenciados pelo grupinho.
Paxenxa.
Contudo, ainda, acredito nas autoridades judiciárias deste País, ademais, Dr. Vieira Lopes, vinha, insistentemente pedindo protecção policial, ciente, dos caminhos trilhados pelos denunciados, são poderosos, maquiavélicos.
Responder
+3 # Tudu bem muntadu 04-04-2020 16:34
Afinal, es eriudu di kontinjensia e ka pamodi di Covid19. E skema muntadu pa es mata omi ki pa es e un grandi tororista. Teneba es ta treme riba kama, ka ta labanta nen pa bai faze xixi.
Ago e pa kontrola kenha ki ta bai faze otópisia pa ka da-nu kasubodi.
Ten ki ta sta un médiku di kunfiansa djuntu ku kenha ki sta bai ratxa omi. I Amadeu o Pulu devia sistiba.
Sima Kazimiru Texera fla «Mutu kuidadu e poku»
Responder
-20 # Nuno Barbosa 04-04-2020 15:14
Santiago magazine mas um virus, ele morreu de morte Natural dexa d publicar asneira toman vergonha es Homi foi um virus toxic pa Sociedad caboverdiano
Responder
+16 # Rubera 04-04-2020 17:48
E foi vírus pá sociedeade de ladrons
Responder
-8 # Francisco Mendez 04-04-2020 14:48
Fladu Fla. Nuticia di fladu fla. Sem cabimentu
Responder
+13 # Antônio Mendonca 04-04-2020 14:25
Uma tristeza. Caboverde perde um dos melhores intelectuais. Um defensor, lutador incansável pela justiça e contra a máfia. Espero comentário dos defensores dos mafiosos como por exemplo, Maila Lobo, um homem que fugiu de país se instalou nos EUA que não volta nem para férias.
Que Deus o receba.
Responder
-27 # Kelvin da luz 04-04-2020 14:09
Era tao nom jurista como vcs dizem e nunca escreveu um unico livro sobre o Direito, meu Deus. Era tão bom em filmes e romances de ficção policial que até na morte ele tenta arranjar polémicas. Yah, ele foi assassinado sim, por Deus, porque ja estava na hora dele. Morreu de velhice e ja arranjam quem culpar pela morte natural da velhice.
Responder
-20 # Nunes 04-04-2020 13:51
Santiago Magazine comecou bem. Imparcial.Mas agora ta claro para que lado pende.Logo a credibilidade morre. Este e' um jornal do PAICV e dos Badios.
Responder
+10 # Nunes leviano 04-04-2020 16:24
Oh Nunes, os badios são mais de 60 por cento da população caboverdiana. Mas nem por isto pode-se caracterizar SantigoMagazine como sendo um jornal de badios. Se é do PAICV ainda não se pode concluir porque apareceu já com o PAICV na oposição e o jornal tem feito um jornalismo crítico ao status quo, o que é absolutamente normal. Já li matérias sobre todas as ilhas no SM e críticas sobre todos os partidos. O facto de Naná nâo ser da ilha de Santiago e estar a reivindicar para ele cerca de metade dos terrenos do município da Praia, graças a falcatruas cometidas nos livros de Cartório Notarial, ė mera coincidência.
Responder
+16 # Fichon ten tocinho! 04-04-2020 13:42
Que Deus dê um canto na Glória ao saudoso Dr. FELISBERTO VIEIRA LOPES, um dos maiores intelectuais destas ilhas, juntamente com Baltazar Lopes, Amílcar Cabral, Mascarenhas Monteiros, e outros grandes nomes que mais comentaristas poderão acrescentar. Mas é preciso informar aos cabo-verdianos no país e na diás[censurado]s que ele e NANA são vizinhos, porta a porta, no primeiro andar do mesmo prédio no Plateau, em frente a Praça. A morte do homem será que foi trabalho feito pela quadrilha dos terrenos? Aquela dúvida sempre fica...
Um outro indivíduo que ultimamente andou a ameaçar pessoas no facebook é um tal de MACEDO que possui um bar~petisco lá pelas bandas de gamboa e que é conhecido no mundo da máfia. PORQUE É QUE ESSE TAL ELEMENTO DA GANG MACEDO, AINDA VIVO, TEM UTILIZADO FACEBOOK PARA SAIR EM DEFESA DO NANÁ E AMEAÇAR PESSOAS QUE PEDEM JUSTIÇA SOBRE A MÁFIA DE TERRENOS NA PRAIA??? Tudo tem de ser investigado. E devidamente esclarecido......
Responder
-32 # Eduardo do Canto 04-04-2020 13:32
gás tóxico? Ê odja Morte ta bem buscal, ê susta. Sê hora ki tchiga. Qual gás tóxico. Nhos dexa disparati
Responder
+21 # Virulento 04-04-2020 13:19
O Dr. Vieira Lopes foi um virus violento na vidavida de vários vaidosos de Cabo Verde.
Responder
-24 # Daniel Silva 04-04-2020 13:04
Ficção. Porque o advogado e as pessoas que foram na casa do falecido, não ficaram contaminados? Estão a ver filmes de mais
Responder
0 # António P. Santos 11-04-2020 10:53
Então, Irmão, se a hipótese do gás for verdadeira - e olha bem que, até, pode ser - então, na evidente e inteligente perspicácia do Daniel Silva, os efeitos estonteantes ou mortíferos do hipotético gás, iriam durar alguns dias?! Há questões que nem deveriam merecer resposta, aplicando-se o velho ditado: palavras loucas, orelhas moucas.
Responder
+19 # paulo varela 04-04-2020 12:49
Sem duvida uma grande figura de Cabo Verde. O Mérito pode ter dois gumes.
Responder