Pub

José Sanches

Os deputados do Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV) consideram que o plano de mitigação da seca de que o Governo tem estado a falar ainda não saiu do papel.

Esta posição foi manifestada pelo deputado José Sanches, em conferência de imprensa agendada para fazer o balanço das jornadas descentralizadas à Região de Santiago Norte, realizada entre os dias 20 e 23 do corrente mês.

Para aquele eleito nacional, é “urgente” que o Governo dê atenção à população de Santiago Norte, sobretudo na questão de abastecimento de água, pasto para animais, subsídio de milho e pastos.

“O plano de mitigação de que o Governo está a falar está ainda no papel, não temos sinais vivos no campo sobre o plano de mitigação do Governo para dar resposta, o quanto antes, porque se o programa é para mitigar não pode ser no mês de Junho, Julho e Agosto, mas sim em Janeiro, Fevereiro e Março”, defendeu.

Para aquele parlamentar, este plano deve ser executado em tempos mais difíceis. José Sanches acrescentou ainda que os terrenos estão a secar, enquanto os animais a morrer, a população com problema de abastecimento de água e dificuldades para colocar filhos na escola, por falta de rendimento.

“Então perguntamos onde está este plano, porque é que o dinheiro não está a chegar na população e qual o relatório que está a ser feito dos apoios que foram dados no ano passado?”, questionou a mesma fonte.

Prosseguindo, José Sanches lançou um apelo do seu partido, no sentido de o Executivo se sensibilizar com a população do campo e do meio rural e dar respostas, sobretudo em Santiago Norte, que é das regiões mais pobres de Cabo Verde.

“A população está com grande dificuldade porque há dois anos não chove, não há emprego público, não há apoio (…) nem para comprar pasto, enfim, a população está a com grande dificuldade até para levar panela ao lume”, afirmou a mesma fonte, completando ainda que “existe uma falácia por parte deste Governo no que concerne aos apoios escolares”.

Com Inforpress

Comentar