Pub
Por: Amândio Barbosa Vicente

 amandio barbosa vicente1

Um exército inteiro, um país, crianças, velhos e jovens a enfrentar uma guerra evitável; levados, sem quererem, para uma batalha! Tivéssemos um Governo à altura das suas responsabilidades, não estaríamos agora nesta luta!

Não estamos preparados, contrariamente ao que o General Correia tem estado a afirmar que estávamos preparados para a guerra! Na verdade, nem temos armas de combate, de defesa, contra as doenças normais! Os nossos Hospitais são primitivos e mal preparados para a guerra das doenças normais e muito menos para enfrentar um inimigo potente e mortal como o corona vírus, que mata soldados em outras latitudes onde existem exércitos muito mais e melhor preparados que o nosso!

Quem não está preparado para a guerra deve evitar a aproximação do inimigo! A nossa natureza e a nossa localização geográfica deram-nos a oportunidade de evitar esta guerra, mas o General Correia fez orelhas moucas no momento em que foi alertado para fechar as fronteiras e impor quarentena obrigatória aos que chegavam ao nosso território!

Um General dado ao dinheiro e à economia, o General Correia, iludido pela galinha dos ovos de ouro, o turismo, vacilou na tomada da melhor decisão, na escolha entre o dinheiro, a economia e a vida! Escolheu o dinheiro e a economia!

Com efeito, cometeu um erro estratégico! Não conseguiu nenhum dos objectivos! Não salvou a economia e o dinheiro e deixou o país em pânico, em perigo eminente de perdas massivas de muitas vidas! Tudo culpa do nosso General, um líder fraco, que precisa subverter a Constituição para poder gerir uma guerra em que ele meteu todo o seu povo, sem ao menos equipar os hospitais, o quartel, para a guerra.

Em oito anos, como Presidente da Camara Municipal da Praia, não respeitou as fronteiras da possibilidade económica do seu país! Entre priorizar a saúde (quartel) ou as festas e paródias, optou por festas e paródias! Chegando, depois, ao cargo do General continuou com o mesmo comportamento: privilegiou as festas e paródias, cujos gastos\custos por uma década estão estimados em 5 milhões de contos; o que daria para comprar 2444 ventiladores; armas que fazem, hoje, falta aos quarteis \ hospitais.

Há uma máxima que diz: se o soldado errar numa guerra, ele morre sozinho; mas se o general errar numa guerra, morre uma multidão de soldados! Este nosso General tem estado a errar sistematicamente e tem vindo a conduzir o seu povo para o abismo! Pelo que esperemos que o povo esteja ciente e mude de General.

Sal Rei, 27 Março de 2020.

Comentários  

+1 # MARIO 30-03-2020 09:46
So uma observação:
Antes de qualquer caso suspeito ainda o caso estava na China, Sr. Director Nacional da Saúde, Artur Correia, nunca esquecerei suas palavras, quarentena obrigatório não é permitido pela lei e esta tudo sob controle.
No entanto deixaram pessoas entrar sem controle algum deixando para consciência de cada um fazer sua "Auto-Quarentena".
Caso e morte do cidadão Ingles era detetavel, e B. Vista não passava por tudo que passou, digo isto porque? Depois da Bronca resolveram fechar as fronteiras e quarentena obrigatória para todos que saírem dos portos e aeroportos. Agora pergunto porque meu Deus, porque não tomaram a atitude sensata de colocar todos que chegassem de quarentena obrigatória, porque tomaram essa medida tão tardiamente, porque... não entendo estavam a espera disto tudo... Tiveram o exemplo da China e outros países que não o fizeram mesmo assim... É DESOLADOR
Responder
+1 # Preto pobre 29-03-2020 20:19
Sr amandio, devo lhe tirar o chapeu o sr esta a inritar a cla correia e silva e os capachos o sr notou de que as pessoas que estao a lhe criticar tem plano de saude no exterior e que tem facilidades na tacv, disseram que o sr e louco mas prefiro a si que louco do o sr correia que ladrao, o sr vai ter uma supresa em marco de 2021 tenho um primeiro ministro que nem ingles sabe falar, veja como e possivel pedir ajuda nos parceiro internacionais.
Responder
+2 # MARCOS FONSECA 28-03-2020 21:20
Estou aqui, sou eu, e contra este articulista de meia tijela!
Responder
+4 # Adélia Barata 28-03-2020 18:25
Cabo Verde é um país insular, dependendo do estrangeiro. Um país de emigrantes e este "artista" acha que CV tinha "às armas" que faltaram aos outros. Se nem o Reino Unido conseguiu, seria CV a conseguir. O problema de CV é qualquer um com um diploma da treta já acha que tem calabouço para ser articulista ou "opinion-maker". PS: o estado deveria era aproveitar esta "quarentena" e verificar os portadores de diplomas-forjados. Pois também são vírus que precisam de ser eliminados. Principalmente aqueles do Brasil.
Responder
+2 # Amandio Barbosa Vice 28-03-2020 20:48
Mais uma resposta a ADELIA BARATA, consulte no arquivo historico os jornais publicados de 1995 a 2015 e veja os meus artigos!
Responder
+1 # Djuntamoh Afrikanu 29-03-2020 15:58
Forsa Amandio, e ku liberdadi y pluralidadi di opinion y ason ki nu ta konstrui nos pais. Tudu algen ka ten ki pensa igual y nen konkorda ku kunpanheru. Y ntilijenti e kel ki sabe bebe y ngorla si spritu na es pluridadi di pensaméntu y spreson.
Responder
-1 # Amandio Barbosa Vice 28-03-2020 20:44
Dona ADELIA BARATA, tenho um diploma também de Portugal, sou mestre em finanças pela UTL, mas nao me interessa diploma, o que me interessa é debater ideias e nao pessoas, se o meu diploma é forjado, imagine o diploma do seu General Correia!
Responder
+3 # Tuko 28-03-2020 16:05
Senhor Amândio, ódio dessa natureza não dignifica nenhum ser humano! Imaturidade e ignorância ainda podem ser corrigidas! Se quiser avançar com dignidade, terá de abandonar esse comportamento ímpio, nocivo e contrário à dignificação da sociedade humana.
Responder
-2 # Silva Barbosa 28-03-2020 13:39
Estas de parabéns. Um General contra a pátria, entregou o país nas mãos do inimigo. Jamais renderemos, "se Deus é por nós quem será contra nós"!
Responder
-2 # Domingos Rodrigues 28-03-2020 12:57
Excelente observação!!!
Quem está contra este artigo, deve ser aqueles lunáticos mamadores ou que têm alguém por perto a mamar!!!
Responder
-1 # Juvenal Loes Furtado 29-03-2020 14:05
Faço tua minhas palavras em mil por cento!
Responder
+1 # Dulce helena 28-03-2020 11:44
Está guerra poderia ser evitável si governo fazia necessário antes de coronavírus entraba en cabo verde !!!
Responder
+2 # Luiz Nunes 28-03-2020 11:39
Prezado Senhor, ou Doutor, ou Professor, título que melhor lhe convier Amândio Barbosa Vicente,
permita-me discordar do seu "Ponto de Vista" em gênero, grau e observações. Aliás, só faltou a foto do seu candidato, pois no meio ao caos atual é leviano usar tal situação onde vidas estão sendo de fato perdidas com propósitos políticos. Não, eu não votei no atual Primeiro Ministro, nem no anterior. Mas da mesma maneira que servi ao anterior, me coloquei a disposição para ajudar em tempos de dificuldades (mormente quando da erupção do vulcão no Fogo onde colocamos recursos e tudo mais que fosse necessário à disposição do Governo para ajudar!) também tenho me colocado à disposição para ajudar o atual Governo nas dificuldades que se apresentam (essa semana inclusive ofereci o uso de colchões que recebemos se por acaso for necessário!)
Ajudar não custa, embora seja mais difícil do que criticar. Falar é fácil, aprendi desde criança. Aprendi também que o amor que nos une tem que ser maior do que as diferenças que nos separam. E para isso o Parlamento, com membros dos 3 partidos, aprovaram unânimes o pedido feito pelo Presidente de decretar Estado de Emergência. Desde que vivo em Cabo Verde, apenas quando da aprovação do famigerado "estatuto" que aumentava os ganhos dos servidores públicos, foi que houve unânimidade em algo apresentado ali (assim penso eu!)
Não creio que vai haver unanimidade no combate a essa doença. Desde que o mundo é mundo haverá sempre os do contra, os que acreditam que quanto pior melhor... Mas acredito que se nos unirmos, juntos seremos mais fortes e poderemos sim combater devidamente os obstáculos que se avolumam no nosso horizonte. Sendo um país cuja população é duas vezes maior dos que residem fora, jamais haveria como impedir essa pandemia de chegar até as nossas fronteiras! Claro que a "política do pão e circo" existe mundo afora, mas isso o faz todo os governantes, o que estava anteriormente promovia as festas, da mesma maneira que o atual o faz! Não concordo com as tais, acredito que sim deve haver com seriedade o cuidado da saúde física e acima de tudo da espiritual, porque todos nós haveremos de comparecer diante do DEUS Todo Poderoso e temos sim que estarmos preparados. Por isso, nesse momento temos que refletir individualmente como estamos diante dELE, e coletivamente como podemos contribuir para amenizar o sofrimento dos que estão ao nosso redor! Por exemplo, hoje vou levar água para os que não tem. Convido o amigo e todos os demais, que com cautela, prevenção e cuidado, não deixem de ajudar quem está ao seu lado e que precisa.
Quanto aos governantes, temos a oportunidade devida de "julgá-los" no forum adequado, chamado eleições. Querer fazer isso agora é só contribuir ainda mais para o caos. O momento é de lutar contra um problema comum, e não contra pessoas!
DEUS o abençoe. DEUS abençoe as Autoridades civis e militares. DEUS abençoe todos em Cabo Verde e mundo afora, que mais do que nunca precisam se dar conta que somente ELE para nos ajudar a vencer esse mau que está tanto nos palácios, como nas favelas...
Responder
+3 # Di férias 28-03-2020 15:16
Numa situação crítica, real e palpável que se está vivendo em CV não vejo lugar para neutralidade. A situação é muito crítica e revela a falta de importância e atenção dada ao sistema de saúde em CV. Esquece se que a Educação e a Saúde são dois setores chave para o desenvolvimento. O setor da Educação só se desenvolveu quando se apercebeu que poderia constituir um sector de investimento lucrativo.
Responder
+1 # Luiz Nunes 28-03-2020 23:10
Concordo!
Infelizmente, o que toda gente sempre prefere, é festa, imediatismo, "férias" sem atentar para a seriedade do binômio Saúde e Educação, a menos quando se precisa de utilizar um ou outro...
Responder
-4 # Pensamento crítico 28-03-2020 11:25
Um bom artigo de opinião. Bem dito, bem fundamentado. De facto, demorou-se muito tempo para fechar a fronteira. Fez-se muita coisa com bastante amadorismo. É a cultura do desenrascar e facilitismo a vir ao de cima no momento impróprio. É uma pena, infelizmente é nisso que somos bons, como disse, muito bem, o músico Jdodje.
Responder
-1 # Luiz Nunes 28-03-2020 23:18
Sr. o que fazer quando cerca de 1.000.000 de Cabo-verdianos vivem fora das ilhas? Durante a praga da Ébola as fronteiras foram fechadas e graças a DEUS a peste não chegou aqui. Mas o Covid-19 poderia vir do Brasil, dos EUA, da África, da China ou da Europa, de onde vieram os primeiros casos! A fronteira pode ser fechada para os estrangeiros, mas todo Cabo-verdiano que queira voltar pode fazê-lo! Isso não é um "conto de fadas" ainda essa semana chegaram dezenas de Cabo-verdianos e muitos outros podem chegar...
Responder
-4 # Poirot 28-03-2020 10:33
O País teve tempo mais que suficiente para decretar a quarentena obrigatória, a melhor medida de prevenção para países insulares.
Responder
-1 # FIDEL CASTRO 28-03-2020 10:19
Se era uma guerra evitável, porque o General insistiu em não evitar? Falta de capacidade de liderança ou outra "agenda" oculta? Pergunta para a reflexão.

Bom artigo e continuem nessa senda crítica.
Responder
+3 # Jorge Amado Timas 28-03-2020 09:12
Numa coisa eu tiro chapéu : este jornal tem baita de colaboradores. De todos os quadrantes políticos, só iluminados. Tchico, Martin, Amândio. Em tempos de confinamento, até ajudam o tempo a passar. Como dizia o Dico, isto daqui (opinião desses gajos) é igual à poesia grega : vai de comédia ao drama.
Responder
+1 # Adélia Barata 28-03-2020 07:54
O articulista está falando sério ou veio de outro planeta? Espero que seja a segunda opção.
Responder
+2 # Emanuel Tavares Gonç 28-03-2020 07:34
É pa tem muita coisa ali kim tem ki concorda. Relativamente a nós hospital há muita coisa ki precisa ser feito, e, isso é urigente. Com relação a gastos tb é verdade . Há txeu gasto na festival é carnaval ke é preciso para. Kes gastos desnecessários sta deixa pais cada vez mas pobre e mais frágil. Geri pais é sima geri nos casa. Nu precisa trabadja ku prioridade é não ku necessário. Pa alguns festas paz e ser necessário mas equipa hospital é prioritário.
Responder
0 # Luiz Nunes 28-03-2020 23:22
Certíssimo! Mas no mundo inteiro onde a política é herança de Roma, o que vale é "pão e circo..." O resto não importa. Do Brasil, de onde eu venho, tivemos que escutar que "hospitais não ganham Copa do Mundo!" e com isso dezenas de estádios foram erguidos a preços exorbitantes...
E agora, estádio vazios, pessoas morrendo, pela falta de equipamentos básicos. Mas as medidas de "quarentena" só foram adotadas depois do famigerado carnaval. Por que? Porque é disso que o "povo gosta" é disso que "o povo quer!" Depois, só resta chorar...
Responder
0 # SÓCRATES DE SANTIAGO 28-03-2020 00:56
Ó Amândio, que grande artigo, aliás, crónica! Com permissão, eu daria o seguinte título a esta magnífica crónica. Ei- la- A GUERRA PERDIDA DE UM GENERAL PERDIDO. Cumprimentos e um abração a ti e à malta do PP.
Responder