Pub
Por: Dom Danillon

 

É esta entidade pública que é responsável para o o maior territorio do Fogo que engloba todo o sitio de Chã das Caldeiras, o perímetro florestal de Monte Velha, a Bordeira, ocupando assim partes dos três Municípios do Fogo. Santa Catarina do Fogo tem a maior parte.

Desde 2014, altura da erupção que o Parque Natural, não reuniu com a População de Chã das Caldeiras, a única Comunidade existente no seu território, também desde o Governo anterior que se sente as maiores preocupações com as actividades nesta area protegida. 

O Governo anterior na pessoa do seu presidente da Câmara Municipal de Santa Catarina do Fogo, o sr João Aquileu Barbosa Amado que adimitira o não controle na função que lhe cabia. Esperava apoio do Governo Central que fazia de orelhas moucas perante as Eleições que se aproximavam, enquanto Portela se desenhava o guetto numa desordem desenfreada, tudo porque o Governo estava mais interessado ganhar as eleições do que distribuir alguma impopularidade. A Oposição andava a namoriscar os votos daqueles desgraçados deslocados e seus apoiantes. Ninguém teria acreditado que eles estariam somente a pensar em subir o Poder. Todos pensavam que estariam a cozinhar alguma solução dos problemas que se evidenciavam e aflorado incansavelmente pelos apoiantes do Governo seguinte.

Três anos feitos na nova Governação, o caos e a desordem mantém sem ao menos adimitirem a situação do Parque que piora com o passar do Tempo. Para aquele que ficou calado com a situação durante os primeiros dias, deram o bonus de Director do Ambiente e aí estabeleceu o império do silêncio e agravado por ter deixado a Direção do Parque sem Coordenação até hoje. Será esta postura do Governo a agravar a Situação do Parque?

Hoje o Parque Natural do Fogo tem a sua devastação que nunca teve em toda a sua existência perante as construções sem orientação da autarquia (o que demonstra o abandono por parte da Câmara Municipal de Santa Catarina do Fogo ao território mais exótico, quiçá mais importante do Município), com o Plano Detalhado de Chã das Caldeiras, concebido na distante ilhas Canárias, sem consulta a ninguém, Bangaeira onde passou a sete e oito de Dezembro o rio de lavas que a sobterrou, será o sitio do novo assentamento que ira destruir a maior parte das lavas novas.

Com o projecto da via Estrada Rural Cova Tina /Bangaeira, este trabalho do Governo, sem qualquer plano, sem nenhuma coordenação da entidade devida, sem fiscalização é o trabalho que mais ja destruiu a essência do Parque. Nas mãos da Elevo Construtora, entregue a um estrageiro que não quer saber dos interesses dos Caldeirenses muito menos do Parque apesar da lenga lenga hipocrita de não ceder um camião de entulho para melhorar os caminhos para casa ou para as propridades agrícolas. É de lembrar que a estrada por onde passa as viaturas caterpilares e mesmo as autoridades foram feitas à mão por estes valentes residentes, e é normal que hoje estejam cansados e hoje depois de ver as poderosas máquinas pedirem ajuda. Mas não! Não e não. Está a construtora superiormente autorizada a não ajudar ninguém de Chã das Caldeiras, muito menos aquele agitador "dos Conta"

O Parque Natural do Fogo, além da negligência que está demonstrada desde a erupção é também contra os interesses dos residentes, opondo a qualquer e ínfima transformação frente à grande devastação das referidas obras. Será por ser com maquinarias pesadas? Metem-nos medo? E connosco esta grande falta de respeito! 

Tudo parece calmo, mas depois não me venham a dizer que eu não disse.

Sei quão dificil é o caminho para minha casa.

Isto vem desde o dia em que eu nasci, por isso mesmo, não esperem que eu desanime, pois isto não existe. Com mais de meio século a procura do lar, estou disposto e convicto que chegarei lá. 

Não há caminho que não posso andar e amor gritar!

Artigo publicado pelo autor, Dom Danillon, no facebook

Comentar