Nildson Lilas. Um músico que toca a alma das pessoas
Cultura

Nildson Lilas. Um músico que toca a alma das pessoas

Admirador confesso de Katxás, Norberto Tavares e Beto Dias, três grandes referenciais da música tradicional de Cabo Verde, Nilson Lilas é hoje uma voz autorizada no cenário cultural cabo-verdiano, quando o tema é a música, os sons, as mensagens e as melodias.

Um artista de pena leve, mensageiro da paz, da harmonia social, do amor, este jovem artista afirma que paralelamente ao peso da música tradicional das ilhas na sua formação artística, musical e humana, perfila o artista gospel David Quinlan, que lhe proporcionou muita ferramenta na sua forma de sentir, fazer e falar musical.

Para este que é hoje uma referência no panorama musical em Santiago e Cabo Verde, a “música é a expressão e desabafo de "natureza" embutida de comunicações e emoções”, conexões que aprendeu a promover e alimentar desde criança, tendo atingido a maturidade com as suas participações nos cultos da Igreja do Nazareno por largos anos.

“sempre fui ouvinte de músicas. Mas a música veio a entrar em mim através de participações nas ambiências de louvores, cantos e hinos a Deus na igreja do Nazareno há uns 20 anos atrás” declara, acrescentado: “Pude perceber, a partir de então, que podia não só consumir músicas mas também produzi-las.”

É evidente que nasceria aqui o grande letrista e compositor que Nildson Lilas é hoje, ele que se afirma com sem titubeio: “Eu sou fã de músicas tradicionais por fazerem parte de elencos criativos que alimentam a minha alma enquanto cabo-verdiano, ressaltando o meu sentimento de pertença, mas também sou fã de boas músicas, com significado útil, musicalidade e que acrescentam valor enquanto arte”.

Este artista, que se fosse ministro da Cultura, criaria as condições para cultivo de boas músicas e bons vídeos com vista a proporcionar mais produção de qualidade, mais sentimento de pertença, mais educação e conhecimento através da música... uma vez que nos últimos anos surgiu uma nova tendência na nossa música, com apologia à violência, tanto auditivo quanto visual, deixa aqui um aviso à navegação nestes termos: “A música Caboverdiana é dinâmica e livre por isso consegue expor um cardápio musical vasto para gostos e gostos, suportada por fatores vários, por conseguinte, direcionada às diversas audiências e talvez por conta disso  corre alguns riscos de percurso.”

Aqui está um pequeno retrato de Nildson Lilas, natural de Santa Cruz, onde reside no bairro de Achada Fátima, cidade de Pedra Badejo, cujo novo single, intitulado “Di nos”, lançado no passado dia 10 de maio nas plataformas digitais já corre o mundo, falando com as pessoas, penetrando almas, afagando sentimentos, com a força e a beleza destas letras:

Título - " Di nos"

Djam sabi kuale di bo

Djam fazeu poizia, muzika...

Djam ama, djam dau, djam xinta, djam spera

E ka paixon, ka djam pegabu, e ka leviandadi

 

Linguajem d'amor, kal ki bu prifiri

Dialogu nkre tem ku bo di kualidadi.

E kualidadi... Ouhh!!!

 

Djam sabi kuale di bo

Por isu nfazeu poizia, muzika...

Djam ama, djam dau, djam xinta, djam spera

E ka paixon, ka djam pegabu, e ka leviandadi

 

Linguajem d'amor, kal ki bu prifiri

Dialogu nkre tem ku bo di kualidadi.

 

               Pre-refron

 

Mesmu ki tem ki ser a distansia

Ntem bo na nha pensamentu

Bu ta fazi parti di mi, nka ta skeseu

 

           

             Refron

 

Ka ta nganadu

Ka ta papiadu

Podi kopiadu

DI NOS ke DI NOS

Partilhe esta notícia

Comentar

Inicie sessão ou registe-se para comentar.

Comentários

  • Este artigo ainda não tem comentário. Seja o primeiro a comentar!