Pub

Luis Filipe

A livre circulação entre Cabo Verde e a Guiné Equatorial vai ser possível até ao final do ano, conforme um dos quatro acordos que os dois países assinam hoje na cidade da Praia, disse à Lusa fonte oficial.

Segundo o ministro dos Negócios Estrangeiros e Comunidades de Cabo Verde, Luís Filipe Tavares, a isenção de vistos vai ser assinada esta semana, no âmbito da visita que o Presidente da Guiné Equatorial, Teodoro Obiang, está a efetuar ao país.

Mediante este acordo, que depois de assinado ainda terá de ser aprovado pelos respetivos parlamentos e ratificado pelos Presidentes da República, a livre circulação torna-se uma realidade.

Luís Filipe Tavares acredita que até ao final do ano esta isenção estará em vigor.

Além deste protocolo, os ministros de Cabo Verde e da Guiné Equatorial com a pasta dos Negócios Estrangeiros irão assinar um outro que visa a proteção recíproca de investimento entre os dois Estados, que integram a Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP).

Segundo Luís Filipe Tavares, atualmente “há perspetivas de investimento de parte a parte”.

Nesta senda, será assinado um protocolo para evitar “a dupla tributação e a evasão fiscal”.

Na mesma cerimónia será firmado um acordo com vista ao reconhecimento das cartas de condução entre os dois países, adiantou o ministro.

Sobre a visita do Presidente Teodoro Obiang a Cabo Verde, o ministro classificou-a de “muito positiva” e “muito interessante”.

“Falámos de tudo, de forma muito aberta e muito responsável. Acredito que a visita é muito importante para Cabo Verde, enquanto país que preside à CPLP, para a nossa diplomacia. Estamos a conseguir ganhos importantes”, referiu.

Teodoro Obiang, o Presidente africano há mais anos no poder, desde 1979, iniciou segunda-feira uma visita a Cabo Verde, tendo já tido encontros com o seu homólogo cabo-verdiano, o primeiro-ministro do país e o presidente da Assembleia Nacional, além de outras personalidades.

Com Lusa



APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

A crise na imprensa mundial, com vários jornais a fechar as portas, tem um denominador comum: recursos financeiros. Ora, a produção jornalística, através de pesquisas, entrevistas, edição, recolha de imagens etc. Tem os seus custos. Enquanto está a ler e a ser informado, uma equipa trabalha incessantemente para levar a si a melhor informação, fruto de investigação apurada no estrito respeito pela ética e deontologia jornalisticas que caracterizam a imprensa privada, sobretudo.

Neste momento em que a informação factual é uma necessidade, acreditamos que cada um de nós merece acesso a matérias precisas e de interesse nacional. A nossa independência editorial significa que estabelecemos a nossa própria agenda e damos nossas próprias opiniões. O jornalismo do Santiago Magazine está livre de preconceitos comerciais e políticos e não é influenciado por proprietários ou accionistas ricos. Isso significa que podemos dar voz àqueles menos ouvidos, explorar onde os outros se afastam e desafiar rigorosamente aqueles que estão no poder.

Portanto, se quiser ajudar este site a manter-se de pé e fornecer-lhe a informação que precisa, já sabe que toda contribuição do leitor, grande ou pequena, é tão valiosa. Apoie o Santiago Magazine, da maneira que quiser, podendo ser através da conta nº 6193834.10.1 - IBAN CV64 000400000619383410103 – SWIFT: CANBCVCV - Correspondente: TOTAPTPL - Banco Caboverdeano de Negócios - BCN, ou por meio deste dispositivo do PayPal.


APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

Comentários  

0 # Observador 20-04-2019 16:03
E a livre circulação para Noruega e Suíça que o Sr. Ministro prometeu a partir de 2019?
Responder
0 # Osvaldo 19-04-2019 01:57
hehehe e para quando a isenção de vistos com o Iraq e o Afeganistão ?
Responder
0 # Olímpio Lopes Varela 17-04-2019 11:48
Pa kê go? Ken ki sa ta bai la pa ba po si vida em prigu?
Responder