Pub

forte duque de Bragança

O Forte Duque de Bragança, construído há 200 anos no ilhéu de Sal Rei, na ilha da Boa Vista, vai ser transformado em museu, segundo uma autorização governamental a que a Lusa teve hoje acesso.

O forte, construído durante o período colonial português, em 1820, no ilhéu na baía do porto da vila de Sal Rei, tinha a função de defesa daquele ancoradouro contra os então frequentes ataques de piratas e corsários à ilha da Boa Vista.

Em despacho publicado hoje pelo Ministério da Economia Marítima é autorizado o Instituto do Património Cultural (IPC) de Cabo Verde a “iniciar obras de reabilitação e conservação” naquele forte.

Em concreto, o pedido do IPC para a intervenção consiste em trabalhos ao nível da “consolidação dos muros do forte, limpeza dos arredores, reabilitação dos canhões e construção de um passadiço de madeiro”.

“Finalizando esses trabalhos de reabilitação, o IPC irá proceder à musealização do forte com painéis informativos e sinaléticas”, lê-se no despacho do Ministério da Economia Marítima, que sublinha o “impacto positivo” deste projeto.

No período da sua edificação, a ilha da Boa Vista exportava sal, algodão, gado e cal, entre outros produtos, tendo sido várias vezes saqueada por piratas entre os anos de 1815 a 1817, antes da construção daquele forte, que atualmente está em ruínas.

Com Lusa



APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

A crise na imprensa mundial, com vários jornais a fechar as portas, tem um denominador comum: recursos financeiros. Ora, a produção jornalística, através de pesquisas, entrevistas, edição, recolha de imagens etc. Tem os seus custos. Enquanto está a ler e a ser informado, uma equipa trabalha incessantemente para levar a si a melhor informação, fruto de investigação apurada no estrito respeito pela ética e deontologia jornalisticas que caracterizam a imprensa privada, sobretudo.

Neste momento em que a informação factual é uma necessidade, acreditamos que cada um de nós merece acesso a matérias precisas e de interesse nacional. A nossa independência editorial significa que estabelecemos a nossa própria agenda e damos nossas próprias opiniões. O jornalismo do Santiago Magazine está livre de preconceitos comerciais e políticos e não é influenciado por proprietários ou accionistas ricos. Isso significa que podemos dar voz àqueles menos ouvidos, explorar onde os outros se afastam e desafiar rigorosamente aqueles que estão no poder.

Portanto, se quiser ajudar este site a manter-se de pé e fornecer-lhe a informação que precisa, já sabe que toda contribuição do leitor, grande ou pequena, é tão valiosa. Apoie o Santiago Magazine, da maneira que quiser, podendo ser através da conta nº 6193834.10.1 - IBAN CV64 000400000619383410103 – SWIFT: CANBCVCV - Correspondente: TOTAPTPL - Banco Caboverdeano de Negócios - BCN, ou por meio deste dispositivo do PayPal.


APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

Comentar