Pub

lino magno

O caso mais mediático da atualidade, com repercussão internacional, vem despertando um senso identitário do povo cabo-verdiano de uma forma como nunca antes. Parece que a palavra "racismo" nunca foi tão discutida como agora. A morte brutal do estudante Luís Geovani (de acordo com as informações) vem formando uma onda nunca antes de solidariedade nacional e não só. (Reivindicações por respeito, igualdade de tratamento, justiça e isenção de superioridade racial).

Está claro que o racismo é um tema profundo, na medida em que nele reside questões da consciência, da identidade, da ética e da educação no sentido mais abrangente possível. Um País com um alto grau de educação humana, científica e espiritual saberá que qualquer tipo de descriminação é anti cultura e fere o intelecto, e sobretudo, demonstra um certo senso de complexo de inferioridade latente.

Pode ser que este não é o melhor momento de o cabo-verdiano se autoafirmar, talvez seja o momento oportuno de uma profunda e "descomplexada" reflexão histórica, psicológica e humana.

Que a boa harmonia paire entre Portugal e Cabo Verde, que os Portugueses reconheçam que são apenas seres humanos e não simplesmente uma "raça" e que os cabo-verdianos saibam reconhecer o seu valor, independentemente da sua cor ou situação geográfica.

O valor de um ser humano ultrapassa a dimensão geográfica ou cor da pele. Quem se posiciona de outra forma revela uma gritante ignorância, que como tal, não merece nenhuma resposta plausível.

Meu sentimento sincero á família do nosso irmão Luís Geovani. Que a justiça seja feita.



APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

A crise na imprensa mundial, com vários jornais a fechar as portas, tem um denominador comum: recursos financeiros. Ora, a produção jornalística, através de pesquisas, entrevistas, edição, recolha de imagens etc. Tem os seus custos. Enquanto está a ler e a ser informado, uma equipa trabalha incessantemente para levar a si a melhor informação, fruto de investigação apurada no estrito respeito pela ética e deontologia jornalisticas que caracterizam a imprensa privada, sobretudo.

Neste momento em que a informação factual é uma necessidade, acreditamos que cada um de nós merece acesso a matérias precisas e de interesse nacional. A nossa independência editorial significa que estabelecemos a nossa própria agenda e damos nossas próprias opiniões. O jornalismo do Santiago Magazine está livre de preconceitos comerciais e políticos e não é influenciado por proprietários ou accionistas ricos. Isso significa que podemos dar voz àqueles menos ouvidos, explorar onde os outros se afastam e desafiar rigorosamente aqueles que estão no poder.

Portanto, se quiser ajudar este site a manter-se de pé e fornecer-lhe a informação que precisa, já sabe que toda contribuição do leitor, grande ou pequena, é tão valiosa. Apoie o Santiago Magazine, da maneira que quiser, podendo ser através da conta nº 6193834.10.1 - IBAN CV64 000400000619383410103 – SWIFT: CANBCVCV - Correspondente: TOTAPTPL - Banco Caboverdeano de Negócios - BCN, ou por meio deste dispositivo do PayPal.


APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

Comentários  

0 # toto 16-01-2020 14:05
anedota : Ums estudantes CV em Portugal foram tranquilamente a um bar a tomar o que bem entender ,logo chegaram ums ciganos portugueses que começaram a briga , foi chamada a POP que vendo ate' os destroços do local se fizeram de desatendidos deixando os estudantes e o dono do local a merced deste . Conclusão : Eles não vão-se expor por pretos .Minha fdja foi testimonia e lesada .
Responder