Pub

O ministro da Cultura interino, João Baptista Andrade, pediu demissão esta sexta-feira,17, antecipando a decisão do governo brasileiro de demiti-lo.

Este é mais um desenvolvimento da crise política que se vive no Brasil, um dia depois de o empresário Joesley Batista, presidente da JBS, em mais um depoimento da chamada delação premiada, ter reafirmado as acusações de corrupção ao Presidente da República Michel Temer.

O ministro demissionário, João Baptista Andrade, ocupava o cargo há pouco mais de um mês, substituindo o ex-titular da pasta, Roberto Freire.

Freire, presidente do PPS (um dos partidos da coligação governamental), pediu demisão após o nome de Michel Temer ter sido implicado nas investigações em curso.

Mais recentemente, Freire defendeu a renúncia de Michel Temer (acusado de corrupção, obstrução e organização criminosa). Este posicionamento terá estado na origem da decisão do governo de demitir João Baptista Andrade, substituto e companheiro de partido de Roberto Freire.

A pasta deverá ficar sem titular, pelo menos até o regresso do presidente brasileiro de uma viagem oficial à Russia e à Noruega, a 23 de Junho.

O empresário Joesley Batista, um dos donos da JBS, empresa implicada em investigações sobre pagamentos de subornos a partidos políticos brasileiros, acordou colaborar com a justiça e vem fazendo uma série de revelações, acusando directamente o presidente da República Michel Temer.

A JBS, especializada em processamento de carne e couro, além de comercialização de produtos de higiene entre outros, actua em 22 países, nos cinco continentes.



APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

A crise na imprensa mundial, com vários jornais a fechar as portas, tem um denominador comum: recursos financeiros. Ora, a produção jornalística, através de pesquisas, entrevistas, edição, recolha de imagens etc. Tem os seus custos. Enquanto está a ler e a ser informado, uma equipa trabalha incessantemente para levar a si a melhor informação, fruto de investigação apurada no estrito respeito pela ética e deontologia jornalisticas que caracterizam a imprensa privada, sobretudo.

Neste momento em que a informação factual é uma necessidade, acreditamos que cada um de nós merece acesso a matérias precisas e de interesse nacional. A nossa independência editorial significa que estabelecemos a nossa própria agenda e damos nossas próprias opiniões. O jornalismo do Santiago Magazine está livre de preconceitos comerciais e políticos e não é influenciado por proprietários ou accionistas ricos. Isso significa que podemos dar voz àqueles menos ouvidos, explorar onde os outros se afastam e desafiar rigorosamente aqueles que estão no poder.

Portanto, se quiser ajudar este site a manter-se de pé e fornecer-lhe a informação que precisa, já sabe que toda contribuição do leitor, grande ou pequena, é tão valiosa. Apoie o Santiago Magazine, da maneira que quiser, podendo ser através da conta nº 6193834.10.1 - IBAN CV64 000400000619383410103 – SWIFT: CANBCVCV - Correspondente: TOTAPTPL - Banco Caboverdeano de Negócios - BCN, ou por meio deste dispositivo do PayPal.


APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

Comentar