Pub
Por: Janira Hopffer Almada

  • No PAICV, e sempre com os cabo-verdianos, várias batalhas já foram vencidas!

    Por isso, é com grande optimismo que nos posicionamos para as confrontações políticas futuras.

    No plano interno, é mister que continuemos, com afinco, o grande esforço que vem sendo feito, no sentido de levar as estruturas partidárias a organizar-se e a funcionar normalmente, nomeadamente nos processos de eleições dos respetivos órgãos e no seu trabalho político permanente, com seriedade e por missão de servir Cabo Verde.

    Na vida externa, resulta fundamental continuar a desenvolver um intenso trabalho de proximidade do Partido, às pessoas e às comunidades, bem como o exercício da sua função parlamentar de forma construtiva e contundente, apresentando-se, cada vez mais, como a alternativa credível que o País necessita.

    Os Militantes do Partido são a prova viva do intenso trabalho que vem sendo feito, no sentido de redinamizar a organização e o funcionamento das estruturas partidárias, visando um adequado enquadramento dos Militantes e Simpatizantes do PAICV, bem como das atividades dos respetivos órgãos, o conhecimento oportuno das decisões dos órgãos da direção nacional, uma apropriada relação do Partido com a sociedade (desde as comunidades de base), e um correto acompanhamento das dinâmicas sociais e seus agentes, com as suas complexas mudanças, com novas perspetivas e exigências, e com novos desafios que colocam.

    Estando sujeito a um grande e variado número de constrangimentos, importa que este esforço seja continuado e, até, reforçado, para conseguirmos, em permanência, a modernização e o fortalecimento do Partido.

    O que pretendemos – e temos estado a trabalhar nesse sentido – é um PAICV que, honrando o seu passado e a sua história, se apresente, também, como um partido de modernidade, que acompanhe a evolução dos tempos e esteja apto a dar novas respostas, em função das expectativas da sociedade e da exigência dos seus membros.

    O que almejamos é um Partido moderno e ao serviço do País, nas várias frentes do combate político, maxime na luta contra a estratégia demagógica e populista de governação do País.

    Com efeito, e face aos desmandos da governação, o Partido tem usado, de forma séria e responsável, os meios ao seu alcance, para denunciar as políticas até agora adotadas, sem resultados para a grande maioria da população, sobretudo no plano económico, e de completo desbaratamento das empresas públicas, em benefício de interesses mal disfarçados.

    A conjuntura (interna e externa) é cada vez mais exigente e complexa!

    Isso implica que o PAICV esteja atento às mudanças, tenha capacidade de seguimento e se apresente sempre com uma grande capacidade de previsão!

    Para tanto, são exigidos preceitos e regras na conduta do militante, muito em particular na aplicação dos princípios que devem nortear a sua prática política, para uma luta, sem tréguas, ao oportunismo e à tentação de seguir a via mais fácil e os protagonismos pessoais, um dos grandes males que podem debilitar a visibilidade e a notoriedade de uma organização político-partidária.

    A via que está sendo seguida prende-se a uma estratégia na linha geral da sua ação política, conformada aos princípios e distinguindo sempre o essencial do secundário, tendo como grandes referenciais a Declaração de Princípios, os Estatutos e os Regulamentos do Partido que, respeitados e fazendo parte da praxis política de cada um de nós, conduzirão, por um lado, a um aperfeiçoamento da organização e do funcionamento das estruturas, e, por outro lado, ao resgate e gradual consolidação da notoriedade e visibilidade, tanto das estruturas, com dos seus membros, junto da sociedade no geral.

    Assim, e por esta via, estaremos a garantir a eficiência e a eficácia da coordenação entre órgãos a diferentes níveis, e o reforço da formação permanente dos militantes, a título individual e coletivo.



APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

A crise na imprensa mundial, com vários jornais a fechar as portas, tem um denominador comum: recursos financeiros. Ora, a produção jornalística, através de pesquisas, entrevistas, edição, recolha de imagens etc. Tem os seus custos. Enquanto está a ler e a ser informado, uma equipa trabalha incessantemente para levar a si a melhor informação, fruto de investigação apurada no estrito respeito pela ética e deontologia jornalisticas que caracterizam a imprensa privada, sobretudo.

Neste momento em que a informação factual é uma necessidade, acreditamos que cada um de nós merece acesso a matérias precisas e de interesse nacional. A nossa independência editorial significa que estabelecemos a nossa própria agenda e damos nossas próprias opiniões. O jornalismo do Santiago Magazine está livre de preconceitos comerciais e políticos e não é influenciado por proprietários ou accionistas ricos. Isso significa que podemos dar voz àqueles menos ouvidos, explorar onde os outros se afastam e desafiar rigorosamente aqueles que estão no poder.

Portanto, se quiser ajudar este site a manter-se de pé e fornecer-lhe a informação que precisa, já sabe que toda contribuição do leitor, grande ou pequena, é tão valiosa. Apoie o Santiago Magazine, da maneira que quiser, podendo ser através da conta nº 6193834.10.1 - IBAN CV64 000400000619383410103 – SWIFT: CANBCVCV - Correspondente: TOTAPTPL - Banco Caboverdeano de Negócios - BCN, ou por meio deste dispositivo do PayPal.


APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

Comentar